search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for fevereiro, 2011

A bodega LAN foi fundada em 1972, apostando na qualidade e inovação para elaborar seus vinhos. O nome LAN nasceu da junção das letras iniciais das províncias que formam a DO Rioja, Logroño, Álava e Navarra.

Com o passar do tempo a Bodega se transformou num modelo de empresa moderna e uma das protagonistas nas evoluções da Denominação de Origem Rioja, nos últimos tempos.

Avaliação Pessoal: ST (86)

Visual castanho, aromas de frutos secos, baunilha e leve fumo. Na boca mostra médio corpo, taninos macios, acidez viva, retrogosto confirmando o nariz e uma persistência média.

Espanha – Rioja – 100% Tempranillo – 13,5% alc – Importadora Magnum – Siga o Blog Vivendo a Vida no Twitter
– WS (90)


A dupla dinâmica Simey Santos e Helio Massoni irá promover em Vitória no dia 23/03, no restaurante Vero, um Wine Dinner para o lançamento de vinhos das Bodegas Winery Arts (Navarra) e Bodegas Faustino. O evento contara com a presença de Duda Zagari, diretor comercial da importadora Confraria Carioca.

 Siga o Blog Vivendo a Vida no Twitter

Degustei este vinho no Wine Dinner da importadora Magnum por esses dias, aqui na capital Capixaba. Gostei tanto que decidi fazer um post exclusivo com ele.

O Enólogo e proprietário Karim Mussi está a frente do Projeto Familiar da Altocedro. Com o objetivo de elaborar vinhos de alta qualidade, essa vinícola que se intitula boutique aproveita ao máximo do potencial das uvas do Vale de Uco.

Avaliação Pessoal: ST (93)

Ultimamente estou meio arredio aos vinhos novos e concentrados, mais este Malbec se mostrou um caso a parte. Apresentou um conjunto super agradável, aromas que lembram cravo, canela e baunilha, que vão se acalmando com tempo de taça. No paladar um caldo grosso e cremoso, taninos firmes, acidez mesmo não sendo um forte dos vinhos Sul Americanos, se mostrou adequada. Um vinhaço que deve melhorar bem com 2 anos de garrafa. Avaliação Pessoal: ST (93+) WS (92)

Vale de Uco, Argentina – Malbec – 14,2% – Ville du Vin R$ 95,00 – Siga o Blog Vivendo a Vida no Twitter


Quero diálogo, com certeza vamos dialogar, mais diálogo se faz por favor, bem talvez já chegue de diálogo e nunca há diálogo a mais!!!

Com estas frases e alguns desenhos Luis Afonso ilustrou o rótulo do vinho “Diálogo 2008″, produzido pela Niepoort, Vila nova de Gaia, Portugal. Foi trazido pelo amigo Flavio Maraninchi que chegou ontem de Portugal com a mala cheia e muita história para contar, aonde dialogamos bastante.

Avaliação pessoal: ST (86)

Visual acastanhado, aromas que lembram muita fruta vermelha, com intensa cereja. No paladar mostra um corpo leve, redondo, bom frescor, para ser degustado sem maior preocupação.

DIALOGO_2008.pt

Como é bom achar um vinho de qualidade por um preço relativamente baixo. O Tricyclo 2007 Merlot, elaborado pela Viñedos Errázuriz Ovalle, é um vinho que me surpreendeu de forma positiva na taça. A linha pode ser encontrada nas prateleiras dos supermercados Capixabas com valores entre 30 e 40 reais.

Avaliação Pessoal: ST (89)

Visual escuro, aromas de ameixa em calda, cereja com leva baunilha. Na boca foi a melhor parte, muito macio, taninos domados, saboroso, fruta na medida e um final persistente. Harmonizou bem com um Fettuccine Alfredo e um filé mal passado.

Chile – Colchagua, Marchigüe – Merlot 55% – Cabernet Sauvignon 30% – Malbec 15% – 13,5% – Siga o Blog Vivendo a Vida no Twitter

Foi um sucesso a II Degustação da Villa Francioni em Penedo no dia 24 de fevereiro.

Após a primeira edição em 2009, no Restaurante Giló – Cucina di Änima, dessa vez, o evento ocorreu no Restaurante Jardim Secreto. A apresentação feita pelos profissionais Elaine Oliveira e Marcelo Carneiro abrangeu oito rótulos da vinícola, incluindo os recém-lançados: Espumante Joaquim Brut Rose e o tinto Aparados.

O evento contou com a presença de enófilos da região de Penedo e Resende, bem como de representantes de vários estabelecimentos da área de enogatronomia, incluindo convidados de Penedo, Visconde de Mauá, Paraty e Volta Redonda.

Após a degustação, os convidados tiveram o prazer de desfrutar da maravilhosa comida do chef Fabiano. Não por acaso o Jardim Secreto é um dos grandes ícones de toda a região.

O evento não apenas abriu novos clientes para a Villa Francioni, como já foram pré-agendadas novas degustações para Penedo, Resende e Visconde de Mauá.

É, certamente, motivo de orgulho notar que os vinhos nacionais já despontam com qualidade no mercado nacional e começa a agradar ao grande público.

Vinhos degustados: Espumante Joaquim Brut Rose; Sauvignon Blanc 2008; Chardonnay Lote II; VR Rose 2008; Aparados 2007; Joaquim 2006; Francesco 2006; e Villa Francioni Tinto 2005.

Autor: Marcelo Carneiro

 

Ingredientes:

800gr de lagosta
½ maço de alfaces americana
½ de cenoura ralada
02 Unid de rabanete
10gr de pimenta rosa
10gr de gergelim preto
50 ml de azeite
100gr manteiga
10gr de sal
10gr de ervas finas

Modo de preparo:

Em uma frigideira aquecida coloque o azeite com um quarto de manteiga coloque a lagosta com sal pra dorar e em seguida leve ao forno,enquanto isso derreta a manteiga e sirva a metade pura e a outra metade com as ervas,e depois monte o prato,coloque ao alface no centro do prato e por cima a cenoura ralada e nas bordas coloque o rabanete por cima coloque a lagosta, semei por cima o gergelim e a pimenta rosa sirva com molho do lado.

O vinho para acompanhar esta Lagosta é um Chardonnay que passe em madeira.

Degustação as cegas, acho que todas as degustações deveriam ser assim. Não tem nada melhor para saber se estamos provando qualidade real ou rótulo. Quando um vinho de renome é aberto e sabemos quem é, ficamos sugestionados, mais as cegas não tem geito, a verdade do gosto prevalece!!!

Este vídeo foi postado ontem no blog www.decantandoavida.com.br,  do amigo Eugênio, no qual sou leitor diário. Fiquei feliz de ver um vinho de 14,90 euros ficar em segundo lugar no meio dos grandes franceses!!!

O detalhe que este vinho já esta sendo vendido no brasil por 580,00. É ísso mesmo amigos, comprado lá por 14,90 euros e vendido aqui por 580,00.

Interessante a rejeição de muitos restaurantes quanto a colocar rótulos nacionais em suas Cartas de Vinho. Preconceito ou falta de atualização sobre o mercado? Ou ambos os motivos?

Houve época em que realmente era impossível montar uma boa carta de vinhos com rótulos nacionais. A qualidade em termos de vinhos finos era efetivamente precária. Colocar vinhos nacionais significava jogar a Carta para baixo.

Com as novas tecnologias aplicadas, investimentos direcionados e muito trabalho, o quadro mudou drasticamente e, louve-se, para melhor. Muito melhor.

Começando pelos espumantes, o Brasil nada deve ao resto do mundo no que tange à qualidade dos nossos espumantes. Obviamente, não estamos falando de Champagne e outros espumantes “top”. Entretanto, nossos espumantes são muito melhores do que a maioria dos proseccos servidos em festas e que abundam nas Cartas de Vinho de norte a sul.

Casas como Villa Francioni, Lídio Carraro, Angheben vêm produzindo vinhos absolutamente excelentes. Mesmo casas que trabalham com visam camadas mais amplas de mercado como Casa Valduga, Salton e Miolo, não apenas têm ótimos vinhos “top”, como vem melhorando cada vez mais os rótulos mais populares.

Nomes emergentes como Pericó, Vallontano, Quinta das Neves dentre outros, começam a despontar já com qualidade diferenciada. Ou seja, não é mais por falta de qualidade que muitos restaurantes continuam a ignorar os vinhos nacionais. É por falta de visão.

Obviamente, não levo em conta, os vinhos de garrafão e os suaves em geral, apenas porque não fazem parte da proposta deste artigo. São muito vendidos e a demanda é grande. Mas, estamos falando de Cartas de Vinhos, digamos, “genuínas”.

Um fator que certamente inibe uma presença maior é o custo ainda muito alto dos nossos vinhos, custo esse refletido no seu preço final. Não se pode negar que, em muitos casos, é natural o consumidor comparar os preços a acabar se decidindo por um importado de melhor relação custo benefício.

Logo, é fato que o vinho nacional ainda não é atraente o suficiente. E não será sobretaxando os importados, como se pretende com a criação do – famigerado – selo fiscal, que passará a ser mais atraente, visto que isso em nada desonera a nossa cadeia produtiva. Pelo contrário, ainda penaliza os produtores emergentes.

Pertenço ao time que defende incondicionalmente a presença de vinhos nacionais nas cartas e, sempre que um cliente me dá liberdade, incluo rótulos “brazucas” que possam puxar a Carta para cima. Porém reconheço que, além do fator preconceito, a relação custo/benefício ainda é um inimigo poderoso.

Investir no consumidor final, talvez seja a melhor solução a médio prazo, já que sonhar com desoneração tributária é algo para esquecer.

Não é por acaso contudo, que os melhores restaurantes sempre ostentam ótimos rótulos nacionais em suas respectivas Cartas, sem que isso deponha contra o seu status. Pelo contrário, rótulos como o “130″, “RAR”, “Lote 43″, “Francesco”, “Joaquim”, “Desejo”, “Angheben”; “Cave Geisse Brut Nature” e “.Nero Rosé” só tendem sempre a engrandecer uma boa proposta.

Autor: Marcelo Carneiro


Siga o Blog Vivendo a Vida no Twitter

Mais uma Importadora de olho no mercado de vinhos Capixaba, afinal para que não sabe o Espirito Santo é um dos maiores em consumo per capta de vinhos do Brasil. A apresentação dos novos rótulos foi na loja da Ville du Vin, aonde Raphel Zanette proprietário da Magnum importadora falou um pouco de cada vinho para os convidados.

O conceito da Magnum Importadora é buscar pessoalmente mundo afora pequenos produtores artesanais. Pessoas obcecadas em fazer vinhos de qualidade, mas mais do que isso, em fazer vinhos com personalidade, que realmente expressem o local onde são feitos e sua autoria.

Na foto acima Raphael Zanette com a força jovem da Ville duVin, os homens de preto, Sidney Santiago, André vieira e Leonardo Gomes.

Dos 12 rótulos degustados destaco 5 que todos deveriam provar:


Alento Rosé 2008 – Alentejo, Portugal – Aragonês e Touriga Nacional – 12%

  • Este vinho é envelhecido em tanques de aço inox, apresenta coloração rosada, aromas florais e de frutas maduras. No paladar é saboroso, acidez equilibrada que lhe confere um ótimo frescor. Para que não gosta de rosé, prove este e mudará de idéia. Avaliação pessoal – ST (90)


Newton Johnson 2008 – Hermanus/Walker Bay, África do Sul – Pinot Noir – 13,5%

  • Este vinho mostrou muita personalidade fugindo um pouco do caráter frutado dos Pinots em geral. Passa por 11 meses em barrica de carvalho francesa, onde lhe confere muita estrebaria, torrefação e especiarias. Na boca mostrou bom corpo, taninos macios, acidez equilibrada e um final agradável e longo. Avaliação pessoal: ST (91+)


Altocedro Reserva 2007 – Vale de Uco, Argentina – Malbec – 14,2%

  • Ultimamente estou meio arredio aos vinhos novos e concentrados, mais este Malbec se mostrou um caso a parte. Apresentou um conjunto super agradável, aromas que lembram cravo, canela e baunilha, que vão se acalmando com tempo de taça. No paladar um caldo grosso e cremoso, taninos firmes, acidez mesmo não sendo um forte dos vinhos Sul Americanos, se mostrou adequada. Um vinhaço que deve melhorar bem com 2 anos de garrafa. Avaliação Pessoal: ST (93+) WS (92)


Veenwouden 2007 – Paarl, África do Sul – 90% Merlot, 5% CS e 5% CF – 13,5%

  • Este é daqueles vinhos que precisam de tempo e atenção para poder aproveitar todo seu potencial. Pelo menos umas duas horas de decanter. É envelhecido por 24 meses em barricas de carvalho francesa, se mostrou um pouco fechado no nariz em virtude da falta de tempo de decanter, acima citado, paladar super delicado, destoando um pouco das pancadas degustadas antes. Avaliação Pessoal: ST (91).


Chocalan Gran Reserva Blend 2007 – Maipo, Chile – CS, Syrah, Carmenere, Malbec, CF e PV

  • O nome deste vinho não é a toa, chocolate é uma nota evidente nos seu aromas e também no seu paladar, que se mostrou potente, dulçor presente mais não enjoativo. Vai agradar a turma dos apreciadores de Chile encorpado.

PS: Acredito que estes vinhos estarão presentes no mix da loja rapidamente. Quando chegar aviso aqui no Vivendo a Vida.