search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for outubro, 2010


É com muita satisfação que anunciamos o vencedor da promoção de comemoração ao aniversário do Blog Vivendo a Vida em parceria com a importadora Decanter. O vencedor vai poder provar três belíssimos vinhos.

  • Raventós i Blanc de Nit 2007
  • El Principal Memórias 2006
  • Luigi Bosca Gala 1 Malbec

E o vencedor foi de São Paulo!

Nome: Julio Samuel de Mello Sobral

Idade: 29

Uma boa dica de sobremesa para o seu domingo com Cream Cheese, Vinho e Morango. É muito simples e rápido. Bom domingo!!! 


Confesso que estou apaixonado pelos vinhos italianos. São vinhos maravilhosos complexos e com um diferencial, a acidez, grande companheira de uma boa refeição. Vai ai uma pequena relação de vinhos com boa relação Custo X Beneficio publicado pela revista Wine Spectator.

  • Itália Tinto
    88 Villa Pillo Toscana Borgoforte 2008 $12
    88 Piccini Chianti Classico 2008 $15
    87 Castello Banfi Toscana Centine Red 2009 $11
    86 Piccini Chianti 2009 $9
    85 Melini Chianti Borghi d’Elsa 2008 $9
  • Itália Branco
    90 Vesevo Falanghina Beneventano 2008 $12
    88 Cantina Girlan Pinot Grigio Delle Venezie Filadonna 2008 $13
    87 Argiolas Vermentino di Sardegna Costamolino 2008 $14
    87 Tommasi Lugana Il Sestante Vigneto San Martino 2008 $14
    85 Castello Banfi Toscana Centine White 2009 $11

Em 1976, um pequeno vinicultor americano desafiou a tradicional supremacia francesa e provocou uma tensão na indústria vinícola mundial ao colocar a Califórnia no mapa dos bons vinhos. Baseado em fatos reais, o filme mostra como a história do vinho mudou para sempre a partir do que se convencionou chamar de “Julgamento de Paris”.


A revista Wine Spectator publicou uma relação de vinhos franceses brancos e tintos com preços que variam de 9 a 15 dólares com pontuação de 85 a 90 pts. Uma boa dica, já que muitos enófilos tem grande dificuldade em reconhecer um vinho Francês com boa relação Custo x Beneficio.

França Tinto:

90 Cave de Rasteau Côtes du Rhône-Villages Rasteau La Domelière 2009 $15
88 Domaine de la Présidente Côtes du Rhône Grands Classiques 2009 $10
88 Cave de Rasteau Côtes du Rhône Ortas Les Viguiers 2009 $13
87 Tresch Coteaux du Languedoc Château de Fourques 2007 $9
87 Vignerons de Caractère Vin de Pays Portes de Méditerranée Petit Caprice 2009 $10
87 Maison Badet Clément Corbières Château Lamy 2008 $11
87 Cave des Vignerons de Saumur Saumur Réserve des Vignerons 2009 $12
86 Raoul Clerget Côtes du Rhône Pont du Rhône Terroirs 2007 $9
86 Delas Côtes du Ventoux 2008 $10
86 La Vieille Ferme Ventoux 2009 $10
86 Vignerons de Caractère Vin de Pays de Méditerranée Culture Sud 2009 $10
85 Domaine de Couron Côtes du Rhône 2009 $10

França Branco:

89 Cave des Vignerons de Saumur Saumur White Réserve des Vignerons 2009 $12
89 E. Guigal Côtes du Rhône White 2008 $14
88 Jeanjean Vin de Pays d’Oc Naked Earth White 2008 $10
88 HobNob Chardonnay Vin de Pays d’Oc 2007 $11
87 Paul Jaboulet Aîné Côtes du Rhône White Parallèle 45 2009 $13
86 J. & F. Lurton Chardonnay-Gros Manseng Vin de Pays des Côtes de Gascogne 2009 $9
86 Mas de Daumas Gassac Vin de Pays de l’Hérault White Guilhem Moulin de Gassac 2008 $10
86 La Vieille Ferme Côtes du Lubéron White 2009 $10
85 J. & F. Lurton Gros Manseng-Sauvignon Vin de Pays des Côtes de Gascogne 2009 $9

Bom meus amigos, já diz o ditado “estar no lugar certo na hora certa”. Em uma noite na cidade de Ribeirão Preto SP recebo um torpedo me chamando para uma pizza despretensiosa. Convite aceito, chegando lá sou apresentado a um convidado e sua digníssima que logo colocou na mesa um Tokaji 5 Puttonyos e um Banhans Haut – Brion Pessac – Léognan, Graves. Ai eu pensei “rapaz a pizza rendeu”. Após o termino dos vinhos e das pizzas e jovem comentou, “estou com sede” logo nos convidou para ir a sua casa, onde iria nos abrir uma garrafa histórica de Casa Ferreirinha Reserva 1990.

Ao chegarmos em sua casa fomos logo convidados a visitar sua humilde adega. Lá habitam seres de um outro mundo como Moutons, Lafites, Romanées, tendo uma garrafa de Lafite 1865 com avaliação de U$$ 43.000 e mais alguns tops mundo a fora. Eu me achava experiente em vinhos antigos, quem acompanha o blog sabe do meu gosto. Logo me bateu uma mistura de tensão e ansiedade até saber qual garrafa iríamos degustar naquela noite. Logo fui intimado a abrir e decantar o prometido Casa Ferreirinha Reserva 1990 (vídeo acima). Os Reserva da Casa Ferreirinha é produzido nos anos de mais excepcional qualidade, quando o vinho não se torna um Barca Velha.

O vinho se mostrou totalmente inteiro, escuro, taninos firmes, acidez viva, aromas que demoraram a abrir mostrando estrebaria, caixa de charuto, azeitona, terra, levando a crer que terá uma estrada longa pela frente, 10, 20, 30, 40 anos, quem sabe? Logo após foi aberto um Tokaji 6 Puttonyos, que falarei sobre eles em nova oportunidade.

Noite que além de excelentes vinhos foi muito alegre de grandes gargalhadas. Viva o Vinho e os momentos felizes da vida!!!

Uma Garrafa de sua adega Lafite Rothschild 1865 U$$ 43,000


A Austrália está produzindo sofisticados vinhos e hoje é o 4º maior exportador de vinhos, perdendo somente para Itália, França e Espanha.

A história dos vinhos australianos teve inicio em 1836, quando os ingleses se instalaram perto da cidade de Adelaide, no Vale Barossa. Durante mais de cem anos os vinhos australianos produzidos eram fortes e doces, além de vinho do porto, que eram destinados ao mercado inglês. Nos anos 60 houve um grande avanço tecnológico na produção de vinhos no país, que começou a produzir e exportar vinhos de excelente qualidade, produzidos com ingredientes nobres.

O vinho Shiraz é feito da uva que leva o mesmo nome. O Shiraz australiano é considerado o melhor do mundo e acabou se tornando um símbolo de vinho australiano. A uva Shiraz era cultivada originalmente no Irã, antiga Pérsia. As uvas forma levadas à França e mais tarde chegaram a Austrália, onde se adaptaram bem ao solo e clima.

O vinho tinto Cabernet Sauvignon e os brancos à base de Chardonnay e Semillon também são destaques na carta de vinho australiana.

Maior parte da produção dos vinhos é feita nos estados de New South Wales, South Austrália, Victoria e Western Austrália. Muitos vinhedos possuem visitação às adegas e a possibilidade de provar os vinhos na porta das vinícolas.

Para saber mais sobre vinhos australianos, visite www.wineaustralia.com.

Australia Tinto

  • 89 Paringa Shiraz na Austrália do Sul 2008 $ 10
    89 Razor’s Edge McLaren Vale Cabernet Sauvignon 2008 $ 12
    89 Quatro Irmãs Victoria Central Shiraz 2008 $ 13
    89 Inkberry Shiraz-Cabernet Herdade Montanha Central intervalos 2.008 $ 14
    88 Wolf Blass Cabernet Sauvignon South Australia etiqueta amarela 2.008 $ 13
    Barossa Red 88 Gamekeeper Hallett St. 2008 de 13 dólares
    88 2 Up Austrália do Sul Shiraz 2008 $ 14
    87 Shiraz St. Kilda Sul da Austrália Oriental 2008 $ 9
    87 Vinhos R Shiraz na Austrália do Sul braços fortes 2.008 $ 10
    87 Red Heads Yard Dog Studio Vermelha no Sul da Austrália Oriental 2.008 $ 10
    87 Shiraz Rosemount Diamond Label Sul leste da Austrália 2008 $ 10
    87 Yalumba Cabernet Sauvignon Austrália do Sul. A série Y 2.008 $ 10
    87 Drop O primeiro Red One South Australia 2009 $ 12
    85 Cabernet Sauvignon Lindemans Bin leste da Austrália do Sul 45 2008 $ 7

Austrália Branco

  • Chardonnay St. Kilda Sul da Austrália Oriental 2009 9 dólar
    Austrália 89 Angove do Sul Viognier Nove Vines 2009 $ 12
    87 Oxford Landing South Australia Chardonnay 2009 $ 8
    87 Pinot Grigio Yellow Tail Sul da Austrália Oriental 2009 8 dólares
    87 d’Arenberg The Stump Jump Branco Adelaide Hills McLaren Vale-2009 $ 10
    87 First Drop The White One South Australia 2009 $ 10
    87 Victoria Frisk espinhosa 2.009 $ 10
    87 Yalumba Viognier Austrália do Sul. A série Y 2.009 $ 10
    86 Yellow Tail Riesling Sul da Austrália Oriental 2.009 $ 8
    85 Estação Banrock Chardonnay Sul da Austrália Oriental 7 $ 2,009
    Chardonnay 85 Jacob’s Creek, South Australia Oriental 2.009 $ 8
    85 Yellow Tail Sauvignon Blanc NV Zelândia Austrália-Nova $ 8

Esta semana sob o comando de Vanderlei Martins no Carone Wine Store V.V, tive a oportunidade de provar os vinhos da linha Mouton Cadet que ainda não conhecia. Além do conhecimento dos vinhos tivemos uma aula sobre as regiões de bordeaux. Lá tive o prazer de conhecer pessoalmente o grande jornalista e blogueiro Oleari (foto acima esquerda), pessoa de fino trato, e apreciador da bebida de Baco.

Mouton Cadet é a marca mais popular e também a bem sucedida de Bordeaux, líder de vendas. Criado por Baron Philippe de Rothschild. Informações sobre a história e demais curiosidades da vinícola e seus vinhos, acesse o site (www.moutoncadet.com).

Os vinhos são importados pela Vinho Sul www.vinhosul.com e representado por Carlos Meneguel.


Graves

Com uma ligeira predominância de Merlot (50% das superfícies plantadas), e uma forte minoria de Cabernet Sauvignon (40%), estes vinhos são um exemplo perfeito do equilíbrio entre flexibilidade Bordeaux e firmeza, a riqueza ea persistência aromática, com um bom potencial de envelhecimento . A denominação se estende por 50 km ao longo do sudeste do rio Garonne e Bordeaux leva o nome de seu solo (Graves é francês para “terreno pedregoso”), uma mistura de pedras e cascalho, transportados pelo Garonne dos Pirineus, mais de 500 km . Os pedregulhos e as pedras são misturadas com siltes e argilas luz e descansar em um solo que é mais arenosos do que a de Médoc e pode ser pura areia ou terra dura (óxido de ferro cimentadas areia).

Medoc

O nome do Médoc vem do latim “in medio aquae”, que significa “no meio da água”. A disposição geográfica da península, com o Oceano Atlântico de um lado e do rio Gironde, por outro lado, confere um clima suave e temperado, abrigando mais de 1500 propriedades Chateau. Embora esta denominação inclui todas as áreas vinícolas norte de Bordeaux, na margem esquerda do Gironde, é principalmente na ponta norte da península que a maioria dos vinhos AOC Médoc são produzidos. Os solos são constituídos por terraços dos depósitos de cascalho aluvial, separadas por pequenos riachos que constituem um sistema de drenagem excelente. Os solos leves são altamente adequados para o cultivo de Cabernet Sauvignon. Merlot, por outro lado, prefere solos argilosos profundos localizados entre os terraços gravemente. As duas variedades dominantes são o Cabernet Sauvignon e Merlot, que sozinha representa 50% das superfícies plantadas. Petit Verdot e Malbec às vezes são adicionadas para melhorar a estrutura de taninos, cor e sabor frutado dos vinhos durante a mistura. O distrito é geralmente considerada uma fonte de baixo custo, com valor bom, básico Bordeaux: Notáveis. Propriedades incluem Haut-Condissas, Le Boscq, Rollan de perto, Lafon, Loudenne, Ormes-Sorvete, Patache d’Aux, Potensac e Tour de By.

Mouton Cadet (Graves 2009) branco – 50% Sauvignon Blanc, 40% Sémillon e 10% Muscadelle – 12,5% – ST(89) – R$ 79,80

  • Coloração quase transparente, aromas florais, minerais com boca mostrando frescor e persistência.

Mouton Cadet 2007 – Bordeaux – 12,5% alc – 65% Merlot 20% Cabernet Sauvignon 15% Cabernet Franc – ST(85) – R$ 60,00

  • Vinho de entrada da linha, nariz mostrando frutos seco, boca apresentando médio corpo, acidez correta com leve amargor no final.

Mouton Cadet Reserva (Graves) -12,5% – 45% Cabernet Sauvignon, 40% Merlot e 15% Cabernet Franc – ST(88) – R$ 82,60

  • Visual vermelho rubi, aromas de amoras, cereja, framboesa e algumas notas minerais. Na boca se mostrou com médio corpo, boa acidez com boa persistência.

Mouton Cadet Reserve (Médoc) 2007 – 12,5% alc – 50% Cabernet Sauvignon, 45% Merlot e 5% Cabernet Franc– ST(88) – R$ 82,60

  • Visual vermelho rubi, aromas de frutos secos, puxando para mirtilo e ameixa. Boca mostrando boa acidez, taninos macios, álcool integrado com final de boca agradável.     

Sauternes

A região de Sauternes, engloba cinco municípios, Sauternes, Barsac, Bommes, Fargues de Langon e Preignac. Esta região destaca-se internacionalmente pela produção dos seus vinhos brancos licorosos, que são definidos por muitos, como o melhor vinho licoroso do mundo.

A região tem uma área de 1.800 hectares, e produz 4,5 milhões de garrafas, e faz parte da AOC – Sauternes, que exige um rendimento máximo de 25 hectolitros por hectare. Embora a maioria dos grandes chateaux elabore com um rendimento inferior a 18 hectolitros por hectare.

O vinho de Sauternes é elaborado de forma bem peculiar, as uvas são atacadas por um fungo, Botrytis cinerea, que origina a podridão nobre, produzindo um vinho rico em açúcar e consequentemente em álcool. Daí a denominação de vinho licoroso!

As variedades utilizadas são a Semillon, a Muscadelle e a Sauvignon Blanc, as cepas são vinificadas separadamente e a percentagem da assemblage é definida de acordo com cada chateau. Em geral a semillon é a cepa principal, seguida pela sauvignon blanc e após pela muscadelle.

Mouton Cadet Reserve Sauterns 2007 – 80% Semillon, Sauvignon Blanc 15% e 5% Muscadelle – ST(93+) – R$ 117,00

  • Uma grande surpresa, um belo caldo grosso, muito mel, abacaxi, amêndoas. Na boca estava untuoso, gordo com o dulçor escondendo um pouco a acidez, mais nada que tire o prazer enorme que tive em degustar este Sauternes.


Quando falamos em Custo x Beneficio lembramos sempre dos vinhos chilenos e argentinos. Geralmente são as melhores opções dentre os outros países como Brasil, Austrália, frança, Portugal e outros. Ainda mais no meu estado, Espírito Santo, que é um grande consumidor dos vinhos chilenos.

Para os apreciadores vai ai alguns vinhos que a revista Wine Spectator publicou como Custo x Beneficio Chile e Argentina 2010:

Argentina

  • 89 Kaiken Malbec Mendoza 2009 $14
    89 Bodega Norton Malbec Mendoza Barrel Select 2007 $14
    89 TriVento Amado Sur Mendoza 2008 $15
    88 Bodegas y Viñedos O. Fournier Malbec Uco Valley Urban 2009 $11
    87 Altos Las Hormigas Malbec Mendoza 2009 $13
    87 Bodega Elvira Calle Malbec Mendoza Alberti 154 2009$13
    86 Valentín Bianchi Malbec Mendoza Sensual 2009 $10
    86 Fincas Patagonicas Malbec Mendoza Zolo 2009 $11
    85 Bodega Silvestre Hinojosa & Hijos 2 Copas Mendoza 2009 $8

Chile – Tinto

  • 90 Viña Maipo Cabernet Sauvignon-Syrah Maule Valley Gran Devoción 2007 $15
    90 De Martino Syrah Choapa Valley Legado Reserva 2007 $15
    86 Viu Manent Malbec Colchagua Valley 2008 $9
    86 Viñedos Emiliana Carmenère Central Valley Natura 2009 $11

Chile – Branco

  • 90 De Martino Chardonnay Limarí Valley Legado Reserva 2008 $15
    88 Viña Cono Sur Chardonnay Casablanca Valley 2008 $10
    88 Veramonte Chardonnay Casablanca Valley Reserva 2008 $11
    88 Viña Maipo Sauvignon Blanc Casablanca Valley Gran Devoción 2009 $14
    85 Viña Santa Rita Chardonnay Central Valley 120 2009 $8


É um dos mais importantes tintos de Itália. Produzido com uvas Nebbiolo cultivadas nas colinas da zona do Barbaresco, situada á direita do rio Tanaro. Na adega Batasiolo a fermentaçao controlada com todo cuidado dura cerca de 10 dias. Durante esta fase o mosto é guardado em recipientes de aço e submetido ao processo de fermentaçao com maceraçao do bagaço, o vinho amadurece no minimo por um ano em garrafa.

Nebbiolo é uma uva caprichosa e famosa, tanto por sua aparência pálida como por seu caráter tânico que produz alguns dos vinhos mais perfumados e de excelente sabor.

Avaliação Pessoal:

Visual castanho evoluído, mostrando sedimento. Aromas complexos de frutas secas, chá, madeira velha e alcatrão. Na boca mostrou que agüenta mais tempo, acidez viva, ainda se mostrando tânico com final de boca seco e boa persistência.

Itália – Piemonte – Nebbiolo – 13% alc – ST(92)