search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for setembro, 2010

Na noite de ontem reunimos mais uma vez a confraria na loja Ville du Vin em Vitória. O tema escolhido pelo confrade e amigo Aldir foi Portugal, e as regiões Alentejo e Douro. Foi uma bela escolha, inclusive pelas safras mais antigas assim proporcionando vinhos evoluídos e complexos. Os vinhos a principio estavam muito iguais, mais com tempo de taça foram mostrando suas características. A degustação foi a cegas, aonde partimos para uma eliminação um por um até chegar ao vencedor. O Casa ferreirinha 1997, após já dado o resultado, com a eleição apurada e urna lacrada, começou a crescer e para alguns da mesa foi o melhor da noite. Viva Portugal e seus belos vinhos!

Segue a descrição dos vinhos por ordem de classificação geral:


Couteiro-Mor Colheita Seleciona 2001 – Portugal – Alentejo – Aragonês, Alicante Bouschet e Touriga Nacional – 13,8% alc – ST(90)

  • Votei contra o vinho em todas as rodadas, achei um vinho com um aroma um pouco enjoativo de estrebaria em excesso. Mais na boca se mostrou um vinho equilibrado.


Mouchão 2001 – Portugal – Alentejo – Alicate Bouchet e Tricadeira – 13% Alc – ST(92+)

  • Um vinho que me surpreendeu pela elegância, aromas terrosos e animais com boca elegante, e ao mesmo tempo potente.     


Casa Ferreirinha Reserva Especial 1997 – Portugal, Douro – 13% – Varias uvas – ST(92+)

  • Esse vinho que é considerado o Barca velha disfarçado, mostrou um nariz doce e uma leve baunilha. Na boca elegante, redondo, cresceu muito após a apuração e um confrade Welington o elegeu como o melhor da noite.


Esporão Garrafeira 1999 – Portugal – Alentejo – Alicante, Touriga, Cabernet, Trincadeira e Aragonês – 14% alc – ST(90)

  • Visual castanho claro, aromas de fruto seco, chá, erva. Na boca mostrou corpo médio, agradável, um vinho que não cansa.


Quinta da T – Terrugem 2001 – Portugal – Alentejo – 14% alc – 90% Aragonez e 10% Trincadeira – ST(90)

  • Apresentou bastante sedimento, aromas de gelatina de framboesa, boca estruturada, acidez adequada, média persistência.    

O trabalho do vinho e feito de forma artesanal coincidindo com a as fazes da lua. Não são utilizados pesticidas, adubo ou produtos químicos, sendo a 40 anos 100% biodinâmico. A produção é extremamente controlada e limitada, com média de três a quatro cachos por planta. É envelhecido por 14 meses em barris de carvalho francês.

O Cantor e Gourmet Ed Motta que provou este vinho, disse a seguinte frase: “é um vinho de se beber de joelhos”.

Avaliação Pessoal:

Visual roxo, aromas encantadores e complexos de torrefação, couro, resina, própolis e verniz. Na boca o que chama atenção são os taninos, que apesar de ser um vinho se mostra muito macio e aveludado, acidez excelente com final de boca muito logo. Para finalizar foi harmonizado com um File Rossine, mostrando que também é um vinho gastronômico, crescendo com o prato.

Espanha – Ribeira Del Duero – 95% Tempranillo e 5% Cabernet Sauvignon – RP(95) – ST(96+) – R$ 470,00 gf – Casa do Porto

File Rossine – Restaurante Aleixo


É uma resposta emocional a um vinho, uma outra maneira de dizer ” sedutores “ou” opulento. “Eu acho que os vinhos sexy estão frequentemente cheios, ricos, e têm uma textura macia e sabores que seduzem para tomar outro gole. O oposto de um vinho “sexy” é um vinho que é velho, chato e plano.

- Dr. Vinny –Wine Spectator

Agora a foto é da Capixaba Mariana de Lima Cots que foi sorteada e recebeu sua garrafa de Antyal na Casa do Porto em Vitória. Mariana, obrigado por participar e acreditar no Blog Vivendo a Vida. Agora é só degustar este grande vinho!!!

Descrição do vinho que ainda será sorteado: Participem!

3 de Valandraud
– Sorteio 25/09 a 02/10


Hoje vamos falar apenas de vinhos bons, bom preço e disponíveis no mercado capixaba. A idéia e publicar uma lista por semana das melhores lojas de vinho de Vitória, tendo 5 espumantes, 5 brancos e 5 tintos com preço que variam de 20,00 a 60,00 por garrafa, a famosa relação custo x beneficio. A primeira lista é da Loja Grand Cru Vitória, um dos melhores catalogo de vinhos da capital tendo uma enorme variedade de vinhos a disposição do enófilo.

ESPUMANTES

* Novecento Extra Brut – Mendoza, Argentina – R$ 29,00

* Nocturno Brut – Mendoza, Argentina – R$ 29,00

* Nocturno Rosé Brut – Mendoza, Argentina – R$ 29,00

* Prosecco Bottega dei Poeti Brut - Vêneto, Itália – R$ 49,00    

* Cava Castellroig Brut – D.O. Penedés, Espanha - R$ 57,00 | RP 88

 BRANCOS

* Siete Soles Sauvignon Blanc 2009 - Valle Central, Chile - R$ 21,00 – Best Buy

* EQ Matetic Sauvignon Blanc 2009 – D.O. San Antonio, Chile – R$ 59,00

* Tapiz Viognier 2008 – Mendoza, Argentina – R$ 39,00

* Doña Paula Estate Chardonnay 2008 - Mendoza, Argentina - R$ 58,00

* Pizzorno Don Próspero Sauvignon Blanc 2009 – Canelones, Uruguay - R$ 38,00 

TINTOS

* Santa Rita 120 Carmenere – Valle Central, Chile - R$ 32,00

* Leyda Reserva Carmenere 2008 – Valle do Rapel, Chile – R$ 42,00

* Escorihuela Gascon Sangiovese 2007 - Mendoza, Argentina - R$ 45,00

* La Flor de Pulenta Malbec 2009 – Mendoza, Argentina – R$ 49,00 | RP 87

* Mayorazgo Crianza Tempranillo 2006 – Ribera del Duero, Espanha – R$ 55,00


Bruno Freire
GRAND CRU VITORIA – Os Melhores Vinhos
Rua Joaquim Lirio, LOFT 620 – Lojas 6 e 7
Praia do Canto – Vitória – ES
(27) 3317-9765 (27) 9966-4517

2ª a Sábado – 10 h às 20 h
www.twitter.com/grandcruvitoria

Alex Ferguson revelou finalmente o segredo da sua longevidade no banco do Manchester United.

Antes da sua equipe defrontar os espanhóis do Valência, o escocês, que está no banco do Manchester United desde 1986, diz que o segredo da sua longevidade como treinador está em “viver de forma adequada e …beber o vinho certo”. Ferguson assumiu assim, com um sorriso, que descobriu o  o elixir da eterna juventude.

Na mesma conferência de imprensa, o treinador do Manchester United confirmou  que Wayne Rooney vai estar afastado da competição durante as próximas semanas devido à lesão sofrida no tornozelo no empate com o Bolton, domingo passado.

“Duas ou três semanas, talvez. Vai depender”, disse Ferguson em Valência, onde o Manchester joga quarta-feira para a Liga dos Campeões. “Ele é um rapaz forte e tem um bom histórico e vai se recuperar das lesões”, acrescentou.

Desta forma, Rooney deverá falhar o encontro da Inglaterra contra Montenegro, a contar para a qualificação do Euro-2012.

Fonte: DN Desporto

Na semana passada tive uma oportunidade de conhecer grandes vinhos espanhóis importados pela Casa do Porto. São vinhos fantásticos com personalidade única do terroir espanhol. Dentre eles está o projeto Ramiro Wine Cellar comandado por Jesús Ramiro e Eduardo García. Os dois se juntaram com a idéia de elaborar um vinho personalizado e distinto no qual o estilo do vinho esteja por cima das regulações dos conselhos de denominações de origem, para poder experimentar como nas diversas zonas do Valle del Duero. No blog Taça cheia você encontra mais informações sobre a vinícola.


Ramiro´s 2006 – D.O vinho de La Tierra de Castilla YLeon – 15% Alcool – 100 % Tempranillo de Duero – Colhido entre 14 set 10 out – 20-25Hl/HÁ – Vinhedos de 60 e 90 anos – Maceração 15 dias – 28 meses em barrica novas francesas e americanas-Engarrafado Abril 2009 – 92 RP – ST(96+) – R$ 299,00 gf – 3.750 gfs = 308 caixas – Importadora: Casa do Porto

Avaliação pessoal:

  • Visual roxo, aroma intenso de frutas negras e vermelhas maduras, baunilha, caramelo, traços de torrefação e notas lácteas.
    Na boca, um vinho encorpado, macio, com taninos aveludados, acidez correta e persistência longa.
    Um vinho de qualidade inquestionável. Acho até que o nosso amigo Robert Parker foi muito econômico em sua nota.


Condita 2007 – Jesus Ramiro’s – D.O : Vinho de La Tierra de Castilla Y Leon – 14.000 gfs são Produzidas = 1.166 cxs – 14,5% de Alcool – Tempranillo 100% do Vale do Duero – Colheita: 25 de set a 15de out – Rendimentos 20-25 hl/ht – Idade dos vinhedos 30/60 anos – 10 dias de maceração com remontagem diaria – 16 meses em barrica francesa e americana de 1 e 2 uso - RP 90 Pontos – ST(91) Filtrado com clara de ovos –  Engarrafado em Agosto de 2009 –  Preço R$ 120,00 gf  – Importadora: Casa do Porto

Avaliação pessoal:

  • Visual escuro, aromas de framboesa, fruta em compota, com madeira bem integrada. Na boca mostrou bom corpo, taninos redondos, acidez adequada com bom final de boca.

A propriedade Brancaia engloba as vinhas Brancaia ( Castellina in Chianti ) e Poppi ( Radda in Chianti ), a entre 750 e 1300 metros acima do nível do mar. Todas as vinhas têm localização numa encosta, olhando para o sul , sudoeste e sudeste. Eles estão parcialmente cobertas com vegetação e trabalhou de acordo com as normas de produção integrada. O solo é pedregoso, com uma porção de argila e calcário. Vinhedos cobrem aproximadamente 60 hectares: 65 % são Sangiovese,30% Merlot e 5% Cabernet Sauvignon. Foi o 10° colocado no TOP 100 da Wine Spectator.

Avaliação pessoal:

Indico a decantação desse vinho por no mínimo uma hora. Visual vermelho rubi, aroma intenso de frutas vermelhas, baunilha, cedro e uma leve tosta. Na boca mostrou taninos macios, acidez muito boa, retrogosto frutado e uma persistência média. Um vinho gastronômico, ótima companhia para uma refeição.

Itália – Maranema – 13,5% alc – 80% Sangiovese, 10% Merlot e 10% Cabernet Sauvignon – 25.000 garrafasST(91+) – WS(93) – R$ 115,00 por R$ 80,00 – Grand Cru


Nhoque de batata baroa com gorgonzola e pesto! Restaurante Pinocchio!

Sob o comando de Simey Santos e Helio Massoni, Enótria, será realizado no dia 6 de outubro um jantar harmonizado com vinhos da vinícola Bacalhôa no restaurante Vero. Restaurante de grande qualidade gastronômica e de bom serviço aqui na capital Capixaba. O jantar que contará também com a presença do Sommelier Eduardo Lopes da importadora Portus Cale promete ser daqueles.

A Bacalhôa Vinhos de Portugal, fundada em 1922, sob a designação João Pires & Filhos, fez um longo percurso, afirmando-se como um dos mais inovadores produtores de vinhos em Portugal, e é considerada a mais bela quinta da primeira metade do século XV ainda existente em Portugal. Quinta da Bacalhôa é uma antiga propriedade da Casa Real Portuguesa, localizados em Azeitão, a Quinta e o famoso Palácio da Bacalhôa constituem um monumento artístico da maior relevância para o País.

Marilisa Allegrini, uma das proprietárias da vinícola Allegrini revela uma das receitas de sua família, um risoto feito com uvas de vinho tinto e branco que foi passado através de gerações. Escolha um Verdicchio ou Vermentino para o branco e um Barbera ou Dolcetto para o tinto. O Allegrini Verona Palazzo della Torre faria também uma excelente escolha.

Colheita Risoto com uvas vermelhas

• 4 xícaras de caldo de legumes
• 1 / 2 xícara extra-virgem do azeite
• 2 cebolas médias, em fatias finas
• 1 de cebolinha punhado , picada
• 2 xícaras de grão curto arroz importado italiano, como Vialone Nano, Carnaroli ou arborio
• 1 / 5 xícara de vinho branco
• 05/01 copo de vinho tinto
• 1 xícara de ralado queijo Parmigiano Reggiano, e mais para servir à mesa
• 1 punhado de grandes dimensões ( cerca de 2 xícaras) de uvas vermelhas
• Sal

1. Em uma panela média, aqueça o caldo de legumes até chiar.

2. Em fogo baixo , aqueça o azeite em uma panela até que ela brilha , adicione a cebolinha, a cebolinha e arroz, uma pitada de sal e mexa delicadamente.

3. Quando o arroz aspecto translúcido (após cerca de 5 minutos), acrescente o vinho e deixe evaporar como você aumentar o fogo para médio. Comece aos poucos adicione o concha uma caldo de cada vez, deixando o líquido evaporar antes de acrescentar o seguinte. Mexa delicadamente todo até que o arroz estiver cozido.

4. Deixe o resto do arroz, enquanto você lave e seque as uvas. Corte as uvas ao meio, retirar as sementes. Adicione o queijo e depois de alguns minutos, as uvas cortadas também. Mexa e ajuste o tempero. Deixe o arroz condensar e sirva quente com um aglomerado de alguns de queijo por cima. (4 porções)

Fonte: Wine Spectator