search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for maio, 2010

O vinhedo de Chateau Rauzan-Ségla tem 51 há, com uma predominância de Cabernet Sauvignon (61%) e Merlot (35%), e 2% cada uma, Cabernet Franc e Petit Verdot. Os solos são típicos de cascalho Gunzian, os frutos colhidos manualmente, o mosto fermentado em temperatura controlada de aço inoxidável. O vinho, em seguida, passa em barril, 60% a cada nova safra, por até vinte meses. O produto final é engarrafado sem filtragem. O grand vin é Rauzan Chateau Ségla-, que são produzidos 8.000 garrafas por ano.

Notas de prova:

Decantado por duas horas, rolha em perfeito estado. Coloração vermelho claro, sem halo de evolução e sem sedimentos em taça. Aromas de ameixa em calda, especiarias, leve grama, e mais uma infinidade de aromas que se alternavam. Em boca muita elegância, álcool integrado, taninos redondos, acidez excelente com longa persistência.

2éme cru classé de Margaux (90WS e 88RP); Margaux ; 60% Cabernet Sauvignon e 40% Merlot ; França ; ST95+


Segundo o site Forbes.com segue os 10 melhores destinos de vinhos internacionais por George Taber, autor de “Em Busca de Baco: Andanças na Wonderful World of Wine Tourism”.

1. Castello Banfi, Toscana, Itália

A vinícola Banfi foi iniciada por John Mariani, um importador de vinhos norte-americana. Uma das vinícolas mais lindo na Toscana, que possui um belo castelo com dois excelentes restaurantes, uma sala de degustação de vinhos e visita adega.

2. Montes, Vale de Colchagua, Chile

Montes é um dos mais conhecidos produtores de vinho chileno, mas não perdeu a sua excentricidade. “É a única vinícola do mundo, onde os vinhos são envelhecidos com cantos gregorianos que está sendo jogado em segundo plano”

3. Ken Forrester, Stellenbosch, África do Sul

Stellenbosch É considerada uma das regiões vinícolas mais lindas do mundo, com um clima mediterrâneo e uma reminiscência paisagem do Vale do Napa, sem as multidões. Winemaker Ken Forrester fez várias viagens para Loire Valley da França, antes de aplicar seus conhecimentos em casa na África do Sul.

4. Fournier, Mendoza, Argentina

Esta adega é apenas cerca de 10 quilômetros do Andes “tão no fundo você pode ver as montanhas cobertas de neve durante todo o ano”, diz Taber. A adega tem um design moderno, quase como uma nave espacial que pousou no meio do deserto.

5. Leeuwin Estate, Margaret River, Austrália

Margaret River está mais perto de Cingapura do que é Melbourne, por isso é uma longa viagem, chegando lá. “É uma pequena bolsa que faz com que apenas os vinhos excelente”, diz Taber. A bela paisagem, com florestas antigas “é tão isolado não é tão lotado – você começa o serviço maravilhoso.”

6. Felton Road, Central Otago, na Nova Zelândia

Relativamente nova no mundo do vinho, Central Otago é também a região austral de vinhos do planeta. Algumas áreas, como o Vale do Gibbston, são esteticamente mais agradável do que outros, como a área Bannockburn, o site de Felton Road. Mas pinot noir de Otago superstars, como Carrick, MT. Dificuldade, Akarua e Felton Road estão todos aqui em Bannockburn.

7. YSIOS Bodegas, La Rioja, Espanha

A área tornou-se famosa nos últimos anos, alguns pela arquitetura gosta de Frank Gehry. Bodegas YSIOS, projetada por Santiago Calatrava, lembra as montanhas que ficam apenas por trás dele. “Eles também fazem grande vinho”

8. Quinta do Vale, Portal do Douro, Portugal

Alcançar esta adega por condução ao longo estreitas e sinuosas estradas. Se você está pensando em provar mais do que um copo de vinho, considere passar a noite. “Eles têm uma casa de hóspedes de hotel que tem uma vista maravilhosa”

9. Chateau Lynch-Bages, Bordeaux, França

Bordeaux é conhecido por produzir alguns dos melhores vinhos do mundo. Mas até recentemente, a região não têm uma reputação de belas vistas ou uma experiência turística amigável. Lynch-Bages oferece agora um hotel, restaurantes e lojas.

10. Peter Jakob Kuhn Oestrich, Rhein / Mosel, na Alemanha

Este é um dos locais mais românticos do mundo, com castelos mountain-top e uma adega, acolhedora. Não ser adiadas por as tampas das garrafas todas adega este, diz Taber – os vinhos estão agora a melhor e mais consistente que nunca.


O Encontro de Vinhos www.encontrodevinhos.com.br deve reunir 20 expositores na sala dourada do hotel San Raphael, em São Paulo. Em mais uma parceria, repetindo a edição do Encontro Papodevinho do ano passado e agora em conjunto com Daniel Perches do www.vinhosdecorte.com.br, outro blogueiro apaixonado pelo vinho.

O hotel oferece um espaço climatizado, no último andar, com vista privilegiada da cidade, 4 tipos de massas e muita receptividade aos visitantes e convidados.
Antes mesmo do envio da apresentação do evento para importadores e produtores, tiveram uma receptividade incrível.Com certeza, teremos mais vinhos que no ano passado, quando os visitantes puderam provar cerca de 150 rótulos.

Parabéns aos amigos Beto Duarte e Daniel Perches divulgadores incansáveis do vinho no Brasil. A minha passagem já está comprada !

O encontro de vinhos acontece no dia 5 de Agosto, das 15 às 22 horas, no Hotel San Raphael.Fone 11 91 08 57 81Largo do Arouche, 150
Informações nos blogs www.papodevinho.blogspot.com , www.vinhosdecorte.com.br e www.encontrodevinhos.com.br
Fone 11 91 08 57 81

Mais um restaurante visitado em São Paulo, desta vez foi o Walter Mancini, Família Mancini, que é por essência é um italiano. A rua foi toda revitalizada, com piso de pedra. Há dois anos, em parceria com a prefeitura, realizou uma completa revitalização da Rua Avanhandava, onde localizam-se os seus restaurantes. Daí então, esta charmosa região central de São Paulo, tornou-se um ponto turístico, marcado por gastronomia, música e arte.

Logo que entrarmos no restaurante fomos intimados a ir a mesa de antepastos, que maravilha, saborosas entradas, destaque para alcachofra recheada e a mussarela de búfala com tomate seco. A noite foi ao som de Jazz com um piano de calda. O atendimento estava muito agradável e paciente.

Partimos então para os pratos, eu pedi um ossobuco com risoto de açafrão e polenta, que vem com uma colher para retirar o tutano e misturar no risoto (foto abaixo), meu amigo pediu um ravióli ao molho de tomates. Só faltou estar com a minha esposa, não desmerecendo a companhia do meu amigo Wellington, que é gente muito boa, mais…..

Os pratos foram harmonizados com uma Coca-Cola zero, pois depois de 80 provas deste dia na ExpoVinis, á situação era dramática para meu fígado !

Restaurante aprovado !


Rua Avanhandava, 126 | Bela Vista | São Paulo
Contato: 55 11 3258.8510 –  

Capacidade: 153 lugares

Horário de Funcionamento: De domingo a quarta, das 12h à 01h. Quinta, das 12h às 02h. Sexta e sábado, das 12h às 03h. Couvert R$ 9,00. 

Estacionamento com manobrista R$ 12,00.

Acesso para pessoas com deficiência.
Aceita todos os cartões de crédito, débito e tickets refeição.


Royal Hungria Tokaji Companhia planeja dobrar a produção, abrindo uma nova adega com investimento de € 3.25 milhões em setembro.

A nova fábrica aumentará a capacidade de produção anual de 30.000 para 60.000, e incidirá sobre volumes crescentes de Furmint seco e um vinho de colheita tardia, em vez de a região da assinatura estilo Aszu.

O aumento da produção, visa aumentar as vendas em seu maior mercado, os Estados Unidos, além do Reino Unido e na Europa.

Fonte:

Amigos, em minha recente viagem a São Paulo fui visitar uma churrascaria que ainda não conhecia, a Jardineira Grill.

Uma beleza para quem é carnívoro como eu. Está localizada na Av. dos Bandeirantes, V. Olímpia.

Um atendimento muito atencioso, sempre tem um garçom olhando para você. Na mesa de frios, o grande destaque, uma grande variedade de frutos do mar, saladas e antepastos. O polvo fatiado é único. As carnes não ficam para trás, muito saborosas com ótima apresentação e grande variedade, do porquinho a pururuca ao carré de cordeiro, sem falar na picanha que estava dos deuses. A adega é variada, com vinhos de vários países com preços para todos os bolsos. Aprovado !




    


Avenida dos Bandeirantes, 1001 – Vila Olimpia – São Paulo

3845 – 0299

www.jardineiragrill.com.br




Estive ontem na loja Enótria, Praia do Canto, Vitoria-ES, para degustar os premiados vinhos da vinícola nacional Vila Francioni, que agora é exclusividade da Casa. Estavam presentes amigos e novos amigos, Ademar Bermond, Sergio Zuliane, Roberto Lima, Luis Polese, Orlando Caliman, Hedy Locatel, Gilberto Faria e os proprietários da loja Helio Massoni e Simey Santos. O papo estava muito amigável e agradável, com todos querendo aprender mais sobre o vinho nacional. Os vinhos surpreenderam a todos, pela grande qualidade. É impressionante a quantidade de brasileiros que ainda não conhecem os grandes vinhos de seu país.

O Sauvignon Blanc da vinícola foi destaque no guia Descorchados, em 37°, na lista dos 50 tops da America do Sul. O vinho brasileiro mais bem colocado.

Foram degustados desde o Joaquim Tinto e Rosé aos aclamados Villa Francioni, Sauvignon Blanc, Chardonnay, Francesco e Vila Francioni Tinto.

Descrição pessoal:

1° Vila Francioni Sauvignon Blanc 2008 – 13% – 100% Sauvignon Blanc

Coloração esverdeada brilhante, com aromas de cajá, grama cortada leve e algum mineral. Na boca se mostrou com boa estrutura, equilibrado, boa persistência.

2° Vila Francioni Chardonnay Lote II 2008 – 13% – 100% Chardonnay

O melhor vinho do painel, impressionou a todos, um vinhaço !

Coloração amarelo palha, forte ataque aromático, mostrando uma complexidade de aromas, tostado, mel, doce de leite, que foi variando e persistindo até o final da degustação, não parou de crescer. Na boca estava carnudo,prazeroso, equilibrado e com longa persistência. Ótima Companhia para uma Lagosta.

3° Joaquin Rose 2008 – 13,4% – Cabernet Sauvignon e Merlot – Fermentação em inox

Coloração vermelho vibrante, aromas de frutas vermelhas, com o grande forte o seu frescor.

4° Joaquim Tinto – Cabernet Sauvignon e Merlot – 13,6% – 10 meses em carvalho francês

Coloração rubi, aromas sutis de sândalo, ameixa com boca redonda, corpo médio e boa persistência.

5° Francesco 2006 – Merlot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc, Malbec e Syrah – 13,8% – 12 meses em carvalho francês

Visual escuro, com aromas de ameixa, cassis, cereja e especiarias. Na boca, boa estrutura, macio, equilibrado com uma boa persistência.

6° Vila Francioni Tinto – Cabernet Sauvigon, Merlot, Cabernet Franc e Malbec – 13,3% – 15 meses em carvalho francês

Visual rui brilhante, aromas iniciais de chocolate, especiarias e frutas vermelhas. Boca com tanino aveludado, álcool integrado e persistência longa. Foi elaborado a partir de uvas selecionadas nos melhores vinhedos, com maceração longa, separação de vinho prensa e sem filtragem.

História:

A Vinícola Villa Francioni foi fundada na Região de São Joaquim em Santa Catarina, pelo Sr. Manoel Dilar, que encontrou através da dedicação e seriedade um caminho para constituir um projeto promissor e duradouro.

Hoje a Villa Francioni conta com várias premiações re conhecimento Mundial, como declarou o crítico espanhol José Penin, ” ….Sucursal ilustre do Medóc, Saint Emilion, Toscana e Bourgogne. Milagre de uvas frescas, altas e virgens, capazes de produzir os melhores vinhos do Brasil “.

Sem duvida a Villa Francioni é hoje uma da melhores vinícolas do Brasil, produzindo vinhos de Qualidade diferenciada e única.



Château Calon-Ségur é um 3ème Cru Classé localizado em St. Estephe. A propriedade consiste em um vinhedo de 74 hectares de Cabernet Sauvignon, Merlot e Cabernet Franc. O motivo do coração reconhecível nos rótulos deriva do proprietário original, o Marquês de Ségur, que declarou: “Meu coração pertence a Calon”, apesar de possuir propriedades, tais como Latour e Lafite. Desde 1894, o castelo foi propriedade da família Gasqueton. Vintages recentes bem sucedidas incluem o 1995, 1996 e 2000. Calon-Ségur é caracterizado por sua força notável e fruta concentrada.

Notas de prova:

Decantado por duas horas antes com rolha 70% molhada. Visual roxo brilhante sem sedimento, aroma mutante de cassis, torrefação, carne, mostrando a grande sacada dos grandes vinhos, variação de aromas, equilíbrio com elegância e longa persistência.

França – Saint Stephe – 50% Cabernet Sauvignon/ 25% Merlot/ 25% Cabernet Franc – 3ème cru classé – ST94

Fundada por imigrantes italianos em 1905, esta vinícola teve sua grande mudança em 1969, quando foi adquirida pela família Nieto Senetiner, tornando-se uma das principais referências da Argentina e adquirindo grande prestígio internacional. A Nieto Senetiner combina com perfeição tradição e inovação, usando equipamentos de última geração e técnicas modernas de vinificação, traduzindo desta forma em seus vinhos a força do terroir de Mendoza. Um dos maiores trunfos da empresa é a forma como cultiva as nobres videiras, dando-lhes todas as condições para que produzam frutos de altíssima qualidade, base indispensável para a produção de vinhos de muita personalidade.

Notas de Prova:

Visual escuro, sem sinais de evolução, aromas maravilhosos de tosta, frutas maduras como manga, cassis e evoluindo para torrefação. Na boca uma estrutura invejável, com taninos maduros e aveludados com álcool integrado e uma ótima persistência.

Argentina – Agrelo, Luján de Cuyo – Mendoza- 100% Syrah (Vinhas de 30 anos) – 24 meses de carvalho francês – safra 2002- ST95