search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for julho, 2009

D.O.M

Não, o Alex Atala não vai parar de comer bichinhos, sejam eles meigos ou não. O Alex é caçador. É matador, não tem dó, não. Todo mundo já viu o chef camuflado com a arma na mão. Mas, a partir de hoje, ele apresenta no D.O.M. um menu degustação exclusivamente dedicado aos vegetais, que, diga-se de passagem, não tem nada a ver com os pratos vegetarianos que se costuma encontrar cidade afora. É uma outra coisa, outra viagem, a da valorizações dos produtos brasileiros. O chef explica: “O que estou propondo é uma refeição, não um modo de vida.”
Ele diz que uma das razões que o levaram a preparar esse menu é que, quando as pessoas falam de produtos brasileiros, são remetidas diretamente aos produtos do reino vegetal: cambuci, poejo, jambu, jabuticaba, mandioca, taperebá e outras frutas, tubérculos, farinhas, folhas, temperos e ingredientes que se somam à lista de produtos made in Brazil que costumam povoar a cabeça de quem gosta de comer.
O Menu Reino Vegetal não vai ser democrático. Ao contrário, ali Alex diz que vai mostrar sua faceta de ditador. “Nesse menu ninguém vai perguntar sobre possíveis restrições alimentares”, avisa. Vai ser pegar ou largar. Afinal, vegetariano é um bicho bravo, radical. Não come quiabo? Azar!
O chef garante que nesse menu ninguém vai sentir falta dos prazeres da carne. Explica-se: com a associação de produtos vegetais, ele se dedica a extrair sabores animais de alimentos exclusivamente da terra. Por exemplo, com uma combinação de limão, melancia, sal e castanha-do-pará, diz que consegue reproduzir o gosto da ostra. Já os sabores das carnes vêm de técnicas que envolvem legumes brasas, cinzas e fumaças.
Para quem quiser mergulhar fundo na viagem, há opções de águas aromatizadas, sucos e essências de frutas, como taperebá, poejo, capim-santo, entre outras, que serão harmonizadas com os pratos vegetarianos. Outra opção será a harmonização com vinhos naturais e biodinâmicos.
O cardápio vegetariano estará disponível no almoço e no jantar – e ainda deve ganhar mais duas versões. São seis tempos, mais sobremesa. Custa R$ 120. Com a opção águas e sucos, sobe para R$ 140. Mas se você ficar com vontade dos vinhos naturais, o preço final vai variar conforme os rótulos do momento…
D.O.M – R. Barão de Capanema, 549, 3088-0761
FONTE


Na noite de quarta feira fui convidado pelo symei da enotria para degustar dois vinhos da linha lidio carraro, chegando la encontrei com o representante da vinícola no estado GILBERTO FARIA um profissional querido no setor, dai partimos para as avaliações o primeiro vinho degustado foi o DA DIVAS merlot 2006(st90) um vinho muito interessante coloração escura, aromas de estrebaria e cafe bem superior a sua faixa de preço que deve ser de 36,00 ao consumidor final o outro vinho ELOS MALBEC CABERNET 2007 (st88)acredito que foi prejudicado pelo tempo em decanter que faltou, se mostrou um vinho honesto mais comum aos vinhos comercializados no mercado, bom a degustação foi bastante proveitosa para troca de informações sobre o nosso mundo do vinho e vai algumas informações colhidas para os leitores. O Vale dos Vinhedos, região onde está localizada a sede da Vinícola Boutique Lidio Carraro e 7 de seus Vinhedos, situa-se na Serra Gaúcha (Região Nordeste do Estado), na latitude 29ºS, é uma das regiões mais tradicionais do país na elaboração de vinhos finos, trazendo na paisagem, mas sobre tudo na sua história, o contexto do vinho e muito da evolução do próprio vinho brasileiro. O Vale compreende uma área de 81,23 quilômetros quadrados, abrangendo os municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul. É a primeira região do Brasil que possui Indicação Geográfica, reconhecida através da demarcação dos limites territoriais por satélite. A partir de 2001, os vinhos conformes com as exigências estabelecidas pela I.P.V.V. – Indicação de Procedência Vale dos Vinhedos são certificados com um selo de controle nas garrafas.Perfil: O solo do Vale dos Vinhedos tem como rocha-mãe o basalto, classificado como argilo-arenoso. O clima é temperado do tipo subtropical, mesotérmico. Apresenta boa amplitude térmica com uma temperatura média do ar de 17,2°C, importante para desenvolver e preservar o perfil aromático dos vinhos do Vale dos Vinhedos. Sendo que esta pode ser identificada como uma vocação da região, pela fineza e elegância típica dos aromas e pela complexidade e evolução organoléptica.A implantação dos vinhedos na região do Vale se deram a partir de estudos geoclimáticos e mapeamento das parcelas do terreno para a escolha dos clones ideais das variedades cultivadas: Merlot, Cabernet Sauvignon, Cabernet Franc e Tannat, cepas que compõe o corte do Assemblage Lidio Carraro. Para a implantação dos vinhedos Lidio Carraro, parte-se de estudos científicos para a escolha das áreas que apresentam características geoclimáticas privilegiadas para o cultivo de cada variedade. As videiras são conduzidas em espaldeira, realizando-se um monitoramento constante, através de podas verdes de forma a reduzir a produção de uva por planta e manter o correto equilíbrio vegetativo, visando concentração natural e maior expressividade no vinho. A colheita de cada parcela particular do vinhedo é feita separada e manualmente quando atingido o ideal momento de maturação.

Fazer vinhos do gelo é uma aventura: é preciso deixar as uvas no vinhedo até que congelem, em regiões e anos em que a temperatura baixa permita. O risco é enorme. Quanto mais tempo as uvas maduras ficam no pé, maior o perigo de serem atacadas por podridão ou predadas por pássaros. O suspense não termina aí. Colhidas, as uvas precisam ser prensadas imediatamente e com o gelo que as recobre. Nas bagas enregeladas a água congela, mas os açúcares e demais componentes sólidos não. Quando prensadas, este gelo fica de fora, aumentando a concentraçao, intensidade e doçura do mosto, dando origem a um vinho fortemente aromático e saboroso. E, como se pode imaginar por tamanha dificuldade, raro e caro. Os ice wines mais famosos são os canadenses, mas os eisweins de Alemanha e Áustria são notáveis. Agora uma novíssima vinícola catarinense, a Pericó, anuncia o primeiro ice wine brasileiro. As uvas , tintas da variedade Cabernet Sauvignon, foram colhidas nos dias 4 de junho e 12 de julho, com temperatura de –7,5°C nos 1.300 metros de altitude do vinhedo. O vinho só chegará ao mercado em 2010, mas o enólogo Jefferson Sancineto Nunes está animado. De 3,5 hectares, colheram-se 3 toneladas de uvas, das quais saíram os 900 litros de mosto que fermentarão por dois meses em aço e depois passarão para barricas de carvalho francês.

fonte

Em Portugal, Filipa Pato. Com formação em Bordeaux, estágios na Argentina, Austrália e França, hoje Filipa Pato (foto à esquerda) lidera o projeto FP Wines. Com o conceito que o vinho é uma questão de origem, a enóloga procura que seus produtos demonstrem a forte identidade com o local onde são produzidas as uvas, isto adaptado ao consumidor internacional. “Não quero ter um vinho que se confunda com outro, do Novo Mundo, por exemplo”, diz a mais badalada musa do vinho português do momento. Hoje o vinho feito por enólogas está na moda em Portugal, num universo até há pouco tempo dominado por homens. A qualidade está quase sempre acima da média e o reconhecimento, pelo menos para Filipa, veio rápido, com suas maravilhas do Dão e Bairrada.Na Argentina, Laura Catena ocupa, hoje, o ranking de uma das maiores personalidades do vinho argentino. Jovem, talentosa, filha de Nicolás Catena, o emblemático vitivinicultor daquele país, Laura estudou biologia em Harvard e medicina em Stanford, mas desde meados dos anos 1990, dedica-se exclusivamente à vitivinicultura. Hoje, além de vice-presidente e braço direito do pai nas Bodegas Catena Zapata, ela é proprietária das prestigiadas vinícolas Luca e La Posta.E por falar nelas, existem vinhos femininos?Vejamos: na França, se diz que o vinho de Bordeaux é masculino e os Bourgognes são femininos. No Piemonte, esta associação é feita com as uvas Nebbiolo e Barbera. As primeiras são masculinas e as segundas, femininas. Maria Borio, presidente da Associazione Nazionale Le Donne Del Vino, entidade que congrega 150 mulheres proprietárias ou casadas com proprietários de vinícolas da Itália, diz que o principal objetivo desse grupo é divulgar o vinho entre as mulheres. Ela se preocupa com detalhes femininos na apresentação dos vinhos como, por exemplo, as garrafas e os rótulos. As primeiras confrarias femininas brasileiras apareceram a partir do ano 2000 e fazem a mesma coisa que as masculinas: reúnem-se para degustação, comentários e papos de vinho.Mas, já que o assunto é mulheres e vinho, vamos falar das grandes “Damas de Baco” do século 19. Na França, a Veuve Clicquot (1777-1866) e a Mme. Pommery (1819-1890) ocupam lugar de histórico destaque. E em Portugal, a personagem-referência é a emblemática Dona Antónia (1881-1896) (gravura à direita), que naufragou num rabelo (aquelas barcaças que singram o Rio Douro) junto com o marido – ele morreu e ela sobreviveu graças às sete saias, que lhe serviram de boia – e que durante o ataque da phyloxera, “o fungo assassino” que devastou as vinhas do Douro, pagou do bolso durante anos a sobrevivência/manutenção dos seus empregados (vinhateiros), até que se dominou a praga e a Casa Ferreirinha pode voltar a colher a uva sadia e, consequentemente, fazer o bom vinho, de mesa e do Porto.Detalhe: todas viveram muito. A Veuve Clicquot morreu com 89 anos, a Pommery com 71 e a Dona Antonia com 85. Alguém ainda duvida que vinho faz bem à saúde?

FONTE

Herdade do Esporão Private Selection Branco 2007 – Este Private Selection do Esporão representa o topo de gama nos brancos do produtor. Para isso o produtor não se poupou a despesas e nota-se uma preocupação evidente tanto com a escolha da madeira como com a selecção de matéria prima. A escolha recaiu sobre as castas Semillion, Antão Vaz e Arinto com predominância para a primeira, sendo esta uma casta pouco plantada em Portugal, mas famosa em Bordéus. É um vinho intenso com os “tiques” da madeira bem presentes, tanto nas notas amanteigadas como nos tostados fortes. Mas também se distinguem notas de a pêssego, alperce e torrada.A prova de boca revela um vinho gordo, redondo, encorpado, um branco bastante diferente do padrão comum português. A madeira está presente, com uma excelente acidez dando uma maior vivacidade, não o tornando plano. Vê-se que é um vinho ambicioso e bem feito.

degustado em 27/07/2009

st(91)

Variedade: Malbec. Safra: 2005 Data da colheita: 15 de abril de 2005 Localização do vinhedo: Sierras de Lunlunta 33º 03′ 54” (sur) – 68º 50′ 16” (oeste) Altitude do mar: 910 metros Setor: Lujan de Cuyo Província: Mendoza Nome do Vinhedo: Finca La Serrera. (Sierras de Lunlunta). Idade do Vinhedo: 15 anos Sistema de condução: Espaldeira alta Este tipo de sistema permite um menor rendimento de uva por hectare, com um manejo bastante preciso da fruta antes da colheita. O fato de ser alto possibilita também ter uma grande superfície de folhas e racimos, alcançando assim melhorar consideravelmente a concentração de cor e aromas. Solo: Ladeira, bastante pedregoso e também argiloso. Os solos pedregosos, além de limitar o vigor da planta favorecendo a concentração, permitem alcançar ótimos níveis de maturação, já que se pode regular a antecipação ou não da colheita. Forma de Colheita: Manual, em caixas de 18 kg. Esta forma de colheita é adequada para se chegar à bodega sem frutas danificadas. Tipo de Vinificação: Seleção manual de racimos e grãos, maceração pré-fermentativa a frio durante 05 dias com leveduras selecionadas e fermentação alcoólica sob baixas temperaturas, com 02 remuagens diários. Curta maceração pós-fermentativa e prensa manual artesanal de baixa pressão. O vinho também passou por fermentação maloláctica em barrica e depois foi envelhecido em carvalho de primeiro uso por 12 meses. Após o envelhecimento em barrica, permaneceu em garrafa por mais 12 meses antes de ser liberado ao mercado. Dados analíticos: Álccol: 14.5 % Acidez total: 5.76 g/l Açúcar: 2.11 g/l Notas de degustação: De cor rubi intensa, com tonalidades violáceas. Mostra aromas de especiarias, pimenta preta, ameixas secas e chocolate. Em boca apresenta bastante volume, acidez equilibrada e longa persistência. Seus taninos são suaves e de ótima maturação. Potencial de guarda: Excelente potencial, podendo ser guardado por mais 10 anos se bem armazenado. Comentários: Potência, concentração e elegância definem este grande vinho de guarda. Resultado da união das uvas e de um dos vinhedos mais exclusivos Mendoza (Sierras de Lunlunta), com extraordinário conceito de vinificação. A busca pela excelência está refletida neste vinho de grande personalidade.
Vinho degustado em jantar de aniversario de casamento.
st(92)

degustado em 25/07/2009

Você sabe que está vivendo no século XXI quando…
Você envia e-mail ou msn para conversar com a pessoa que trabalha na mesa ao lado da sua.
Usa o celular na garagem de casa para pedir a alguém que o ajude a tirar as compras do carro.
Quando esquece o celular em casa – coisa que você não tinha há 20 anos – fica apavorada e volta para buscá-lo.
Você levanta de manhã e quase que liga o computador antes de tomar o café.
Você diz “bom dia” através de um torpedo, pelo celular.
Ninguém sabe qual é o seu gosto musical porque você escuta, solitária, a sua canção preferida com fones de ouvido.
Você não sabe o preço de um envelope comum.
A maioria das piadas que você conhece, você recebeu por e-mail (e ainda por cima ri sozinho…).
Quando seu computador pára de funcionar, parece que foi seu coração que parou.
Você sabe que está vivendo no século XXI…
Quando ouve tudo isso e concorda.
Tudo bem, tecnologia é bom. Facilita, agiliza, torna a vida mais confortável…
Mas, de vez em quando, experimente desplugar os cabos, desconectar as baterias, desligar aquele monte de luzes que ficam acesas na escrivaninha de casa ou na mesa do escritório…
Experimente dizer a um amigo, olhando nos olhos, o quanto ele é importante pra você!
Faça uma visita inesperada aos seus pais, tios, filhos e padrinhos, antes do trabalho, só pra dizer “eu te amo”.
Vá até a sala ao lado da sua, no escritório, e pergunte ao seu colega de trabalho como foi o fim de semana.
Escreva cartas, mande flores, distribua beijos.
Sorria, cante junto, caminhe acompanhado, erga um brinde á vida, numa mesa cheia de pessoas que sabem o seu endereço de cor…
Uma mensagem pela internet pode ser simpática e até alegrar o seu dia, mas o toque gostoso da pele, naquele abraço apertado, não tem tecnologia que substitua.

SOB O COMANDO DO MESTRE CUCA AUDIR E AUXILIO MEU SE DEU INICIO AO JANTAR

RISOTO DE ABOBRINHA , DAMASCO E HORTELA DEIXOU RESTAURANTE DE VITORIA NO CHINELO!!!!!!!!!!!

O CANEIRO DESTA FOTO ESTAVA DESMANCHANDO UM DOS MELHORES!!!!!!!!!!!!

QUE CARA E ESSA MEU AMIGO!!!!!!!!!!!!!!!!!!

FALA CABRAL GENTE MUITO BOA !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
VINHOS DEGUSTADOS BRANCOS VENTOLERA (CHILE)st 92

ESPUMANTES DEGUSTADOS MIOLO BRUT MAGNUN 1,5LTRS (brasil) st90


O MEU VIZINHO JEOMAR DEO A HONRA DA VISITA EM NOSSA CONFRARIA.
VINHO TINTO DEGUSTADO DES DUCS 2005 BORDEUX (FRANÇA)ST87, VELLONTANO TANNAT 2004 (BRASIL), SALTON DESEJO 2004 E 2005 (BRASIL) ST91
AGUARDO COMENTÁRIO DE TODOS OS CONFRADES OK.

Vai ai a lista em ordem de classificaçao

95 MAYCAS DEL LIMARI reserva especial sauvignon blanc 2008
94 DE MARTINO parcela 5 sauvignon blanc 2008 casablanca
94 MATETIC EQ coastal sauvignon blanc 2008 san antonio
93 CASA MARIN cipreses vineyars sauvignon blanc 2008 san antonio
93 CASAS DEL BOSQUE sauvignon blanc 2008 casablanca
93 CONCHA Y TORO terrunyo sauvignon blanc 2008 casablanca
93 CONO SUR 20 barrels sauvignon blanc 2008 casablanca
93 LITORAL ventolera sauvignon blanc 2008 leyda
93 UNDURRAGA TH suvignon blanc 2008 casablanca
92 AMAYNA barrel fermented sauvignon blanc 2006 leyda
92 CANEPA finissimo gran reserva sauvignon blanc 2008 casablanca
92 CASABLANCA nimbus sauvignon blanc 2008 casablanc
92 CASAS DEL BOSQUE gran reserva sauvignon blanc 2008 casablanca
92 CHOCOLAN mavilla sauvignon blanc 2008 san antonio
92 INDOMITA reserva sauvignon blanc 2008 casablanca
92 LEYDA guruma sauvignon blanc 2008 leyda
92 MAYCAS DEL LIMARI reserva sauvignon blanc 2008 casablanca
92 MORANDE terrarum reserva sauvignon blanc 2008 casablanca
92 Q FOURNIER centauri sauvignon blanc 2008 layda
92 SAN PEDRO castillo de molina reserva sauvignon blanc 2008 elqui
92 SAN PEDRO 1865 single vineyard sauvignon blanc 2008 layda
92 TARAPACA terroir la isla sauvignon blanc 2008 leyda
92 UNDURRAGA TH sauvignon blanc 2008 san antonio

HOJE EM COMPRA DE VINHOS NA CASA DO PORTO ADQUIRI UM GUIA DESCORCHADOS 2009, COMEÇANDO A LER VERIFIQUEI A ALTA PONTUAÇÃO DO MORANDE EDITION LIMITADA CARIGNAN QUE DEGUSTEI NA EXPOVINOS E ACHEI SUPER INTERESSANTE,SEGUE ABAIXO CLASSIFICAÇÃO TINTO DO ANO DE 2009:

96 ALMAVIVA 2006 puente alto
95 CONCHA Y TORO carmin de peumo carmenere 2005 peumo
94 MORANDE edition limitada carignan 2006 loncomilla
94 LOMA LARGA BK-BL syrah 2007 casablanca
93 CASA SILVA microterroir los linghes carmenere 2006 colchagua
93 CONCHA Y TORO terrunyo carmenere 2006 cachapoal
93 CASAS DEL PEQUI prestige cabernet sauvinhon 2004 cachapoal
93 CHADWICK cabernet sauvignon 2005 maipo
93 LOMA LARGA malbec 2007 casablanca
93 CASA LAPOSTOLLE clos apalta 2006 colchagha
93 CASA SILVA altura 2004 colchagha
93 COUSINO MACUL lota 2006 maipo
93 MORANDE house of morande 2005 maipo
93 ODF JELL aliara 2005 central
93 LOMA LARGA cabernet franc 2007 casablanca
93 KINGSTON bayo oscuro syrah 2006 casalanca
93 MAYCAS DE LIMARI reserva especial syrah 2006 limari

93 TABALI reserva especial syrah 2007 limari