search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for the ‘ Prazer & Cia ’ Category

A Delicatessen e Adega DZ Empório, na Praia da Costa (Vila Velha), vai promover um curso básico de vinhos, em que os apreciadores da bebida interessados na cultura que a envolve poderão adquirir conhecimento sobre as uvas, e as etapas de preparação e produção, além de noções de harmonização e dicas sobre como escolher um rótulo. A aula, ministrada pelo professor Franklin Martins está marcada para o dia 21 de março, sábado, das 10 às 18 horas, na sala de degustação da loja. O investimento é de 250 reais (por pessoa). Mais informações:  tel: 3062.70.70

Matéria publicada originalmente na coluna Vivendo a Vida | Caderno C2 + Prazer & Cia | Jornal A Gazeta

Você já deve ter ouvido muito falar na palavra “Terroir”. Mas você consegue defini-la? O terroir é a união de solo, clima, variedade de uva e o trabalho do homem. Da mistura desses elementos nascem, em cada vinhedo, vinhos únicos, que representam a personalidade de cada uma das diferentes regiões do mundo – em outras palavras sua identidade.

Por isso quando se fale em vinhos de terroir, basicamente se está definindo um vinho que expressa uma região ou uma área vitivinícola determinada. Muitos vinhos que existem no mundo inteiro, com suas denominações ou apelações de origem (regras de cultivo), diferenciam-se entre si porque, além de diferentes combinações de castas, graduação alcoólica e rendimento por hectare, os solos ou o clima em que foram criados deixam, em cada um deles, uma forte personalidade.

É por isso que um Rioja (Espanha) – basicamente elaborado com a uva tempranillo – ou um Chablis (França) – elaborado exclusivamente com a uva Chardonnay – são muito diferentes de vinhos produzidos com a mesma variedade, em qualquer outra parte do mundo.

No chile, apesar de existirem poucas regras de cultivo, depois de décadas, o pais tem emergido como um importante produtor de vinhos tanto de entrada quanto premium. O que chama atenção para é o crescente número de vinícolas que produzem novos e interessantes vinhos em locais recém-descobertos. Em regiões costeiras de clima frio, como Casablanca, San Antonio, Elqui e Limarí, várias vinícolas estão elaborado excelentes Sauvignon Blanc, muito minerais e elegantes Pinot Noir. Nas regiões mais temperadas do Maipo, Aconcagua, Colchagua e Cochapoal, eles estão se especializando em aromáticos e saborosos Carmenere. E, no sul do Chile, em Bio-Bio, Malleco e do Vale do Maule, vinícolas estão provando que eles podem produzir distintivo Pinot Noir, Chardonnay e também reinventando a Carignan. 

Rafael Prieto, criador da Top Winemakers – já falamos por aqui – e um dos nomes que assinou o Guia de Vinhos de Chile, por muitos anos avaliou e acompanhou a evolução desses terrois, conseguindo identificar de onde vinham as melhores uvas. Diante disso criou o projeto Visionary Wines e convidou Juan Alejandro Jofré, eleito o melhor enólogo jovem do Chile em 2014 com o objetivo de elaborar uma linha de vinhos que pudesse viajar pela diversidade de estilos, climas e zonas do Chile, refletindo na taça o que cada terroir tem de melhor. Para se ter uma idéia onde eles querem chegar, as uvas de Cabernet Sauvignon foram compradas diretamente dos Vale de Maipo e a carmenére em Peumo excepcional micro-terroir para casta no Vale do Cachapoal.

Recentemente estive na Casa do Porto em Vila Velha, importador exclusivo da linha no Brasil, para provar sua linha completa, que inclui seus vinhos de entrada (mais simples), Singular Edition, e intermediária Special Edition e as superiores Private Edition e Premium Edition. Vinhos agradáveis e gastronômicos com uma boa relação qualidade x preço, no qual emito uma opinião pessoal nas próximas linhas.

Visionary Singular Edition Carmenére 2013 – R$ 39,90 – Onde encontrar: Wine Vix

  • 100% Carmenére, sem passagem por madeira, mostra um visual rubi claro, aromas de framboesa e leve floral. Paladar leve, frutado, se mostrando mais atraente que o nariz.

Visionary Singular Edition Cabernet Sauvignon 2013 – R$ 39,90 – Onde encontrar: Wine Vix

  • 100% Cabernet Sauvignon, sem passagem por madeira, mostra um visual rubi ​​claro, nariz agradável de frutas vermelhas e negras, com leve toque apimentado. O paladar é leve, fresco, com sabores privilegiando a fruta. 

Visionary Wines Special Edition Carmenére 2012 – R$ 59,90 – Onde Comprar: Wine Vix

  • 100% Camenére, com 50% do vinho envelhecido em carvalho por cerca de 12 meses, o que aportou mais estrutura e maciez ao vinho, além de boa presença de fruta.

Visionary Wines Special Edition Cabernet Sauvignon 2012 – R$ 59,90 – Onde Comprar: Casa do Porto

  • 100% Cabernet Sauvignon, com 50% do vinho envelhecido em carvalho por cerca de 12 meses, macio, redondo, com boa concentração de frutas e especiarias.

Visionary Wines Private Edition Cabernet Sauvignon 2012 – R$ 89,90 – Onde Comprar: Casa do Porto

  • 85% Cabernet Sauvignon e Cabernet Franc 15% com passagem em barricas novas francesas. Agradável, elegante, com notas de frutas negras e vermelhas, além de ervas. Equilibrado, com taninos macios e final longo.

Visionary Wines Premium Edition Blend 2012 – R$ 189,00 – Onde Comprar: Casa do Porto

  • 80% Cabernet Sauvignon e 20% Carmenére. Visual granada escuro, nariz complexo de cerejas, ameixas, e toque de couro. Paladar com ataque macio, aveludado, confirmando as notas do nariz. Vinho de guarda.

Matéria publicada originalmente na coluna Vivendo a Vida | Caderno C2 + Prazer & Cia | Jornal A Gazeta

Nem toda colheita expressa o desejo dos produtores na Serra Gaúcha, que, apesar de se dedicarem aos vinhedos durante todo ano, depende também de um clima favorável. Afinal, o bom vinho é resultado da união da natureza com a sensibilidade e expertise do homem. Este ano, que estive mais uma vez na região, o clima não somente antecipou a safra da uva em pelo menos três semanas, como também favoreceu o cultivo de uvas mais precoces, utilizadas na elaboração de vinhos brancos e espumantes, o temos de melhor. Agora, já no final da colheita a expectativa gira em torno das tintas, que dependem das condições climáticas dos próximos dias. Independentemente da espera pela safra, há quem visite a região para contemplar a natureza, conhecer a gastronomia local e desfrutar da boa estrutura turística por lá. Para tanto separei algumas dicas de passeios em vinícolas, e também de restaurantes e hotéis. Confira a seguir.

Vinícolas

Herbicida natural na vinícola Don Giovanni

Don Giovanni

Localizada a pouco mais de 10 quilômetros de Bento Gonçalves, no distrito de Pinto Bandeira, vale reservar um fim de semana para visitar essa vinícola, que possui uma pousada com oito quarto que recebe enófilos e apreciadores em geral. No mesmo local, um casarão do ano de 1930 funciona um restaurante que tem capacidade para receber até 60 pessoas mediante reserva. Destaque para o Don Giovanni Nature (sem adição de açúcar), produzido pelo método tradicional e 24 meses em contato com as leveduras.

VINÍCOLA E POUSADA DON GIOVANNI – VRS 805 – Linha Amadeu (28), km 12, Pinto Bandeira – Tel: (54) 3455-6293 |  www.dongiovanni.com.br

As leveduras trabalhando na garrafa de Cave Geisse

Cave Geisse

Instalada também em Pinto Bandeira a 4 kl da Don Giovanni, a Vinícola Cave Geisse é conhecida por seus espumantes de excelência e com estilo próprio, que conseguiu a maior nota da respeitada crítica internacional, Jancis Robinson, para um espumante brasileiro. A vinícola é comandada pelo enólogo Mário Geisse, filhos e Carlos Arbazua. Mário chegou ao Brasil em 1976, quando foi contratado para dirigir a Moët Chandon. Possui uma impressionante estrutura refrigerada, onde amadurecem seus espumantes exclusivamente elaborados pelo método tradicional. Destaque para o Cave Geisse Blnc de Blanc.

Cave Geisse – Linha Jansen, s/n – Tel.: 54 – 3455-7461 e 3455-7463 |95700-000 – Pinto Bandeira – Região de Bento Gonçalves – RS – www.vinicolageisse.com.br

O visual de tirar o folego na Estrelas do Brasil

Estrelas do Brasil

Situada no distrito de Faria Lemos, Bento Gonçalves, a 525 metros de altitude, em um local mágico, onde reina a tranquilidade e se pode contemplar a natureza, a vinícola Estrela do Brasil é um passeio imperdível na Serra Gaúcha. A produção de trinta toneladas de uvas, somente um pequeno percentual vai para elaboração de vinhos próprios, cerca de 25 mil garrafas ano. Uma grande parcela é destinada para outras vinícolas, como a Chandon, Valduga, entre outras empresas. Produz brancos, espumantes e tintos maravilhosos e curiosos como o espumante tinto (100% Merlot) e Dall’Agnol DMD, elaborado da mesma forma do Amarone. Destaque para o Fumé Blanc 2014, 100% Sauvignon Blanc com 6 meses de passem por barrica.

Estrelas do Brasil – 431 – Km 4,2 – Faria Lemos – Bento Gonçalves - RS – Fones: (54) 9924.016 / (54) 3439.1089 – www.estrelasdobrasil.com.br

Seu João Valduga com minha família em sua adega, a maior de espumantes da América Latina, com capacidade para abrigar seis milhões de garrafas, exclusivamente pelo método champenoise.

Casa Valduga

Uma das gigantes do setor, é responsável pelo primeiro complexo enoturistico do Brasil, a Vila Valduga que fica no município de Bento Gonçalves. É visita obrigatória para quem está de passagem, ou quer se hospedar no Vale dos Vinhedos. Além de contar com restaurante e pousada, o complexo conta com uma fábrica de sucos e uvas e geleias. Quando não está viajando, o proprietário João Valduga recebe pessoalmente os visitantes. Não deixem de provar o Stória, um dos melhores tintos elaborados a uva Merlot e também seus espumantes elaborados pelo método tradicional em diferentes tempos de envelhecimento.

Linha Leopoldina – Vale dos Vinhedos – Bento Gonçalves RS – Telefone:(54) 2105.3122 – Fax:(54) 2105.3122 – Site:www.casavalduga.com.br

As delicias no Wine Garden da Miolo

Miolo

Com 1.200 hectares de vinhas próprias e 12 milhoes de litros de vinhos finos por ano, a Miolo conta com a maior área de vinhedos próprios no país. A pedida, além de passear pelos vinhedos, interior da vinícola e sua espetacular sala de degustação, é aproveitar os finais de semanas e feriados no Wine Garden, instalado em uma ampla e linda área verde atrás do varejo da vinícola. A novidade conta com espaço kids, para que os pais apreciem com tranquilidade vinhos e espumantes em taça, além de comidinhas vindas de uma espécie de “wine truck”.

RS 444, Km 21 – Vale dos Vinhedos, Bento Gonçalves – Telefone (54) 2102-1540 – site: www.miolo.com.br

A deliciosa polenta à bolonhesa com queijo da Osteria Casa de Madeira

Restaurantes

  • Casa di Paolo – www.casadipaolo.com.br
  • Casa de Madeira – Linha Leopoldina – www.casavalduga.com.br
  • Restaurante Valle Rustico – www.vallerustico.com.br
  • Trattoria Primo Camilo – www.primocamilo.com.br
  • Trattoria & Armazém Mamma Gema –


O charme da Pousada Don Giovanni

Hospedagens

  • Farina Park Hotel – www.farinaparkhotel.com.br
  • Hotel Laghetto Viverone Bento – www.laghettoviveronebento.com.br
  • Spa do Vinho Hotel & Condomínio Vitivinícola – www.spadovinho.com.br 
  • Hotel Villa Michelon – www.villamichelon.com.br
  • Pousada Castello Benvenutti – www.pousadacastellobenvenutti.com.br
  • Pousada Don Giovani – www.dongiovanni.com.br

Receptivo

A Liga empresa de Receptivo na Serra Gaúcha oferece pacotes temáticos enoturísticos com hospedagem em hotéis, visitas e degustação em várias vinícolas da região, bem como cursos e jantares harmonizados, piqueniques nos parreirais além de transporte executivo. Estes pacotes têm valores à partir de R$ 1.300,00 por pessoa incluindo hospedagem e serviços. 

A surpresa da semana vem do Vale do Elqui, uma região semi-desértica no Chile, onde a premiada vinícola Falérnia foi pioneira na produção um vinho branco com a uva Pedro Ximénez, orginalmente utilizada na produção de vinhos de sobremesa na região de Jerez na Espanha. Na taça se mostrou deliciosamente seco, frutado, mineral e com bastante frescor. Onde encontrar em Vitória: Wine Vix – R$ 60 – Tel: 3019.58.58

Vila Velha ganhou, há menos de um mês, um novo espaço para os apreciadores da bebida de Baco. É a Wine Spot, que reúne em seu espaço loja de vinhos e mercearia gourmet, no Shopping Vila Velha. O comando é de Gilberto Faria, que soma mais de 20 anos no mercado de vinhos, e Helio Massoni (Ex-Enótria e Perim), com 10 anos de carreira como sommelier.

Na nova adega é possível encontrar em torno de 800 rótulos, de 15 paises, em uma seleção que inclui produtores conhecidos e algumas raridades. A casa conta com uma Enomatic, máquina que permite o fracionamento de vinhos, com opção de até quatro rótulos, em acondicionamento e temperatura perfeitos.

A loja conta com um espaço destinado a cursos, palestras, confrarias, jantares harmonizados e eventos em geral. Também são encontradas por lá bebidas como: whisky, rum, vodka, conhaque e cervejas artesanais.

Para acompanhar os goles, há uma seleção especial de frios, embutidos, queijos, conservas, azeites e menu com pratos personalizados, feito com a consultoria da chef Isaura Caliari.

Sugestões de harmonização: Tapas de Queijos (Ibérico, Manchego e Cabra) RS 38,90 x Vinho Viu Manent Reserva Estate Cabernet Sauvignon. RS 49,90 – Queijo Granapadano com mel, RS 36,00 x Vinho – Nero D ‘avola Borgo Sanleo IGT, RS 48,00, Para sobremesa, Folhado de amoras RS 18,00 x Vinho Espumante Stravaganzza Don Giovanni Moscatel, RS 43,90.

O cliente ainda encontra uma vasta linha de acessórios. Em breve será inaugurado um quiosque com uma maior variedade de vinho em taça. Falaremos em breve.

Endereço: Shopping Vila Velha – Piso L2 – Vila Velha – ES – Telefone: (27) 3533.2173

A renomada vinícola Reynolds, da região do Alentejo, elaborou, em parceria, com a loja de vinhos e importadora Espaço D.O.C, uma linha de vinhos brancos e tintos nomeada Figueira de Cima, com exclusividade para o Brasil. Provei o Colheita, rótulo de entrada, Figueira de Cima Colheita, um corte de 40% Alicante Bouschet, 40% tricadeira e 20% Syrah. Suculento, frutado, redondo, com boa acidez e relação qualidade-preço. ST (88) Quanto: R$ 68. Tel: 3024-1222

A surpresa da semana fica por conta do espumante brasileiro (Vale dos Vinhedos) Almaúnica Cuvée Prestige Reserva Brut Rosé, um incomum corte de Chardonnay, Pinot Noir e “Malbec” elaborado através do método tradicional de fermentação na garrafa, onde permaneceu por doze meses nas caves subterrâneas da vinícola. Na taça encantou pela estrutura, fruta limpa, frescor e equilíbrio. ST (90) – R$ 63 no DZ Empório. Tel: 3062.7070

O consumo de vinhos de qualidade é crescente. Mesmo com o aumento no preço devido aos impostos, a atração e o fascínio que a bebida exerce sobre os capixabas e demais brasileiros vem se tornando cada vez maior. Além disso, aumenta anualmente a oferta de produtores que vem ao estado, dos quatro cantos do mudo, para mostrar seus brancos e tintos, em vários estilos.

Mas é preciso ficar atento. Diante de um mercado expressivo, mesmo diante dos parâmetros dos estados mais ricos, as armadilhas para ludibriar o consumidor se multiplicam. Em parte devido à enorme variedade de vinhos com qualidade discutível e de relação custo x benefício altamente duvidosa, querendo se passar por grandes pedidas.

Pois bem, consciente de que o consumidor merece respeito, elaboro anualmente esse ranking independente. Obviamente, sofreu influencias das degustações quase diárias que participei durante o ano de 2014 com importadores, lojistas, amigos e solo. E claro, não poderia de deixar de citar as degustações em algumas viagens internacionais e também várias idas as regiões vinícolas do Brasil.

Foi mais um ano incrível, com muito ganho de experiência e um divisor de aguas para o meu paladar, com nítida preferência pela elegância, frescor e complexidade. Provei muito mais vinhos brancos, roses e espumantes que os demais estilos, como os tintos, fortificados e sobremesas. Em um clima tropical nada mais coerente. Além disso, procurei conhecer e me apaixonei pelos vinhos sustentáveis; orgânicos, biodinâmicos e naturais. Uma tendência em todos os seguimentos da alimentação que entrou com tudo no Brasil.

Nesse ranking constam os vinhos que despertaram o meu entusiasmo independente das faixas de preço.


Vinho do ano

Domaine Arnoux-Lachaux Chambolle-Musigny 2009 – França – Borgonha – França – www.magnumimportadora.com.br – Preço: R$ 400

Um tinto monumental e poderoso. Ao mesmo tempo sedoso, elegante, bem integrado. Fruta delicada numa estrutura forte. Uma magnifica experiência.

Tinto do ano

La Gerla Brunello Di Montalcino Docg 2007 – Italia – Toscana – www.buywine.com.br – R$ 249

Intensidade, equilíbrio, perfeição gustativa. Elegante, com fruta refinada e várias nuances. Mais do que merecido destaque no ranking.

Branco do Ano

Toques & Clochers St Martin 2010 – França – Limoux – www.vinhosevinos.com.br – R$ 225 (promoção R$ 99)

Intenso nos aromas de frutas tropicais, com algum cítrico e mineral. Boca ampla, untuosa, compensada pela bela acidez.

Rosé do Ano

Château Saint-Hilaire Cuvée ONE 2013 – França – Provence – Wine Vix – R$ 120

Na taça mostrou uma admirável cor salmão clarinho, aroma sutil, com uma variada paleta de aromas, especiarias, flores e frutas, com destaque para as cítricas. Paladar é seco, com uma deliciosa fruta limpa. Muito vibrante, refrescante e equilibrado. Simplesmente o melhor rosé que já provei. 

Espumante do ano

Estrela do Brasil Brut 2006 – Brasil – Bento Gonçalves –www.estrelasdobrasil.com.br – R$ 60

Elaborado com as castas chardonnay, viognier e riesling itálico provenientes de Bento Gonçalves e Nova Prata, apresentou um visual ouro, aroma intenso de mel, amêndoa, cravo, pão torrado. Paladar apesar de cremoso, encorpado, é fresco e agradável. 

Brasileiro do Ano

Pizzato DNA 99 safra 2008 – Brasil – Vale dos Vinhedos –www.pizzato.com.br – R$ 180

Um dos melhores Merlot já nascido em solo brasileiro, neste caso dentro do Vale dos Vinhedos, Serra Gaúcha. No nariz há fruta madura, toques mentolados e de torrefação. Paladar é amplo, envolvente e macio.


Sustentável do Ano

 L’Anglore Tavel Rosé 2007 – França – Côte-du-Rhône – R$ 120 – www.worldwine.com.br

Produzido naturalmente, sem adição de SO2 no engarrafamento, sem colagem nem filtração, esse rosé incomum de Grenache, Cinasault e Aramon mostrou aromas e sabores framboesa e um intrigante toque. Paladar delicioso, com uma bela textura e acidez perfeita, que faz querer mastigar este vinho.

Surpresa do Ano

Damijan Ribolla Gialla 2010 – Itália – Friuli – R$ 298 – www.decanter.com.br

Um italiano incrível, com cor alaranjada, aromas de damasco seco, ervas e casca de laranja. Paladar intrigante, refrescante, bela textura, acidez impar e longo final.

Custo x benefício do Ano

Salton Volpi Pinot Noir 2013 – Brasil – Bento Gonçalves – R$ 32 – Carone

Visual rubi claro, aroma com destaque para notas frutadas, como a pitanga. Paladar leve, fresco e frutado, incrementado por uma ótima acidez. Sabor prolongado. Final agradável, sem amargor. Meu vinho do dia-dia.

Sobremesa do Ano

Taylor´s 20 anos – Porto – Portugal – R$ 250 – www.qualimpor.com.br

Mostrou aroma de mel, especiarias, casca de laranja entre outros. Paladar longo, fresco e cremoso. Muito equilibrado. Um porto para ficar na memória.  

Matéria publicada originalmente na coluna Vivendo a Vida | Caderno C2 + Prazer & Cia | Jornal A Gazeta

Durante o ano, um trabalho incansável é realizado para que o vinho chegue às taças. Ele começa nos vinhedos com o plantio, a poda e a colheita – e a torcida para que nenhuma praga ou intempérie climática prejudique a safra –, passando por um cuidadoso processo de produção, e termina no departamento de marketing da vinícola.

Para que um vinho se destaque nas prateleiras é preciso que ele chame atenção. Assim, o design da garrafa e do rótulo é fator primordial na decisão de compra. A partir daí, só a qualidade na taça vai definir sua recompra.

Atualmente, muitas vinícolas trabalham para desenvolver rótulos criativos e atraentes. Um exemplo é a portuguesa Herdade do Esporão, referência em vinhos alentejanos. Desde 1985, ela alia a cultura do vinho à arte ao reproduzir obras de artistas plásticos nos rótulos de alguns de seus vinhos. Todos os anos, um artista é convidado para personalizar os rótulos de cada colheita das linhas Reserva e Private Selection. Até hoje, foram 27 portugueses, dois angolanos e um brasileiro, o pintor Rubens Gerschman.

Prova vertical e lançamentos

A convite dos representantes da vinícola, participei, recentemente, de uma prova na Wine Store Carone, com as novas safras da linha Reserva, e também de uma vertical da linha Private Selection tinto, com as safras 2005, 2007, 2008, 2009 e 2011.

Os rótulos dos lançamentos, Reserva Branco 2013 e Reserva Tinto 2012, foram concebidos pelo artista português Alberto Carneiro. Inspirado na paisagem alentejana e fiel aos princípios de sua obra, Carneiro desenhou uma narrativa que abraça todos os rótulos da Esporão. O visual começa com a representação de uma árvore e quatro nuvens e termina com a inversão numérica desses elementos.

Esporão Reserva Branco 2013 | Alentejo | Portugal | R$ 70

A safra 2013 teve primavera chuvosa seguida de verão seco com temperaturas diurnas elevadas, o que possibilitou a maturação ideal e consistente das uvas. Na taça, mostrou notas aromáticas de abacaxi, tangerina, pêssego e um leve toque mineral. O paladar é de médio corpo, com predomínio de notas frutadas. A madeira entrou como coadjuvante, na dose certa, sem ofuscar a fruta. Saboroso, com ótima acidez.

Esporão Reserva Tinto 2012 | Alentejo | Portugal | R$ 94

Safra de um ano extraordinariamente seco, com baixa produção mas com uvas de grande qualidade e concentração. O vinho estagiou 12 meses em barricas de carvalho americano (70%) e francês (30%). Após o envase, seguiram-se mais 12 meses de estágio em garrafa. Rico, concentrado e saboroso. Belíssimo vinho. Estará disponível no mercado em janeiro.

Curiosidade

O rótulo da safra 1999 é uma pintura do artista Pedro Proença em homenagem aos mouros que ocuparam a região. Trata-se da figura de um árabe de barba, com uma taça na mão, muito parecido com o então desconhecido líder terrorista Bin Laden. Porém, em setembro daquele ano, houve o atentado nas Torres Gêmeas, em Nova York, que teve como suposto mandante, Osama Bin Laden, odiado pelos americanos. Naquela época, o Esporão Reserva 1999 estava chegando a Nova York. Todas as garrafas foram recolhidas e enviadas de volta para que os rótulos fossem trocados. A garrafa tornou-se item de colecionador, e por consequência teve seu preço aumentado.


A vertical do Private Selection

O Private Selection tinto é uma continuidade do Esporão Garrafeira, lançado em 1987. Inicialmente, era uma escolha das melhores barricas de Esporão Reserva, e, com o tempo, foi evoluindo para uma seleção das melhores parcelas da propriedade. No final dos anos 90, foi construída uma adega exclusiva para ele, que passou a ser o centro das atenções. O vinho é feito, predominantemente, com as uvas alicante bouschet, aragonês e syrah.

Esporão Private Selection 2005

Tanto o nariz quanto a boca já apresentavam notas oxidativas. Na boca, a fruta me pareceu ligeiramente passada. Vinho já em curva descendente. Álcool e madeira integrados. Taninos macios. Acidez e persistência médias.

Esporão Private Selection 2007

Nariz e boca equilibrados. Fruta e taninos ainda vivos. Boa acidez e persistência. Álcool e madeira integrados. Complexo e elegante.

Esporão Private Selection 2008

Nariz e boca equilibrados, com fruta e taninos ainda vivos. Caráter ligeiramente frutado, com traços de especiarias. Boa acidez e persistência. Álcool e madeira integrados. Complexo e elegante.

Esporão Private Selection 2009

Aqui o estilo mudou. Mostrou-se forte e potente. Muita fruta madura e fundo floral. Por unanimidade, o melhor da degustação. Extremamente complexo e elegante. Excelente persistência. Madeira (baunilha) integrada e álcool equilibrado. Alia potência e elegância. Potencial para evoluir.

Esporão Private Selection 2011 (safra atual) | R$ 220

Vinho concentrado, mas não agressivo. Aroma potente e com várias nuances. Novo, mas pronto para o consumo. Paladar redondo, gostoso. Bastante longo. Deixou sensação agradável e duradoura.

As delicias da chef Arlete Nunes

Lombo de bacalhau

Carré de cordeiro com musseline de baroa

Mousse de chocolate com café


Só gente boa! – Leonardo Dantas, João Carlos Prado Filho, André Andrès, Silvestre Tavares, Rogério Baracho, Vanderlei Martins e a Chef Arlete Nunes.

Texto publicado originalmente na coluna Vivendo a Vida | C2 + Prazer & Cia | Jornal A Gazeta

PDF >