Alfredo Gerszt Nogueirinha (Vendas/ES), Claudio Vello (Gerente Comercial Barrinhas), Claudio Moreira (Presidente Barrinhas) e Antonino Pires Barbosa (Presidente Adega de Monção)

Considerado o terceiro consumo per capita de vinho do país, o Espirito Santo, mais precisamente Vitória, entra de vez na rota dos grandes eventos de vinho, chamando atenção das vinícolas estrangeiras, nacionais e de importadoras aqui fixadas.

A convite da importadora Barrinhas participei na noite de ontem de um jantar harmonizado com os vinhos verdes da Adega da Monção. O evento foi conduzido pelo produtor, Sr. Antonino Pires Barbosa, que veio de Portugal especialmente para o evento, que pela primeira vez visita a nossa cidade. O local escolhido para a degustação não podia ser outro, o restaurante Porto do Bacalhau, que serve o melhor da gastronomia portuguesa. Dentre os preparos, destaque para o bacalhau lombo (divino), que foi harmonizado com os vinhos brancos e o carré de porco, para o tinto.

Fundada em 1948, por iniciativa de 25 vinicultores, está localizado na região demarcada dos Vinhos Verdes, extremo nordeste de Portugal, bem na divisa com a região de Rias Baixas na Espanha. A região é bastante verdejante por causa do Oceano Atlântico, uma teoria por traz do nome do vinho. Existem no mercado dois estilos de Vinho Verde, o primeiro meio-seco de qualidade média, ficando melhores se servido frio. O outro, mais caro, são varietais feitos a base de uva Alvarinho, Loureiro ou Trajadura. Eles são mais complexos, mais secos e concentrados, considerados os melhores brancos de Portugal.

O grande destaque da noite foi conhecer em primeira mão, o Alvarinho Estagiado, que passou 4 meses em barricas. Em Portugal já não é novidade, a casta Alvarinho fermentado ou estagiado em madeira tem alcançado resultados bastante animadores.

Vinhos da noite: A maior qualidade do Vinho Verde é o seu frescor (acidez), sendo um ótimo parceiro para uma refeição.

Adega Monção branco – Alvarinho e Trajadura – 11,5% – ST (84) – Preço médio R$ 23,00

  • Visual amarelo translucido, brilhante, com reflexos verdes. Aromas frutas brancas, floral e cítricos. Seco, boa acidez, álcool equilibrado, corpo leve, persistência curta.

Muralhas de Monção – Alvarinho e Trajadura – 12,5% – ST (88) – Preço médio R$ 39,90 – “Bom e Barato

  • Visual amarelo-palha com reflexos verdes. Nariz apresentou boa intensidade, frutas brancas maduras (maçãs e peras), floral e notas cítricas. O paladar é macio, ótima acidez, equilibrado, corpo médio, e boa persistência final.

Alvarinho Deu La Deu – 100% Alvarinho – 13% – Preço médio R$ 76,00

  • Visual amarelo-palha, nariz de média intensidade, notas de frutas brancas maduras, flor de laranjeira, mineral. O paladar é seco, boa acidez, equilibrado, corpo médio, com média persistência final.

Bacalhau para harmonizar com dois brancos, perfeito casamento.

Alvarinho Deu La Deu “Estagiado” em casco de carvalho (4 meses) – 100% Alvarinho – ST (90) – 13% – Preço médio R$ 129,00

  • Uma beleza de vinho, com breve passagem em madeira, conferindo outras nuances, ampliando o nível de aromas e sabores, a verdadeira harmonia entre fruta e madeira, resultando em maior complexidade, retirando-lhe alguma austeridade, mas ao mesmo tempo tornando mais nobre. Visual amarelo-palha. Nariz intenso, notas de coco, frutas brancas maduras, floral e cítricos. Paladar untuoso, boa acidez, álcool equilibrado, com boa persistência. Madeira não sobrepõe a fruta.

Adega de Monção Vinho Verde Tinto – Alvarelhão, Pedral e Vinhão – 10,5% – ST (83) – Preço médio R$ 23,00

  • Um vinho realmente difícil, levemente frisante, com aroma vinoso, bastante acido, necessitando de uma prato gorduroso para balancear e ai mostrar a que veio. Confesso não ser a minha praia, porém é uma bela aula.

Carré de porco com linguiça…ajudou muito o tinto.

Muralha de Monção Rosé – Alvarelhão, Pedral e Vinhão – 11,5% – ST (86) – Preço médio R$ 39,90

  • Salmão escuro, concentrado, nariz de boa inensidade, com notas de frutas vermelhas e especiarias. Paladar fresco, alegre, boa acidez, leve carga tânica, sabores confirmando o nariz com persistência média.

Alguns participantes:

Antonino, Vanderlei Martins (Carone) e Claudio Vello

Antonino, Helio Massoni (Enótria) e Claudio Vello

Sr. Rui e Gil (Casa do Porto)

Laucimar (Sup. Perim) e Antonino

Luiz Paulo e Antonino

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook