search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for the ‘ Dica Gourmet ’ Category

Já conhece o Gol Burger em Vila Velha? Não! Então vai correndo. Depois de muito ouvir falar fui lá essa semana com a criançada e gostei muito, inclusive da maionese. Já que os sandubas levam os nomes de craques do futebol, fui logo com o mais famoso, o Rei Pelé. Ou foi o Ronaldo? Bom, sei que estava muito bom, rs. Três andares de carne (fraldinha), cheddar, bacon, molho barbecue, cebola caramelizada, alface e tomate.

Endereço: Rua 15 de Novembro, 593 – Praia da Costa – Vila Velha

Telefone: 3329-3348

Terça a sábado – 11h30 às 14h30/ 18h às 22h30 | Domingo – 18h às 22h30

Aceita todos os cartões

Semana passada estive em São Paulo para um pequeno roteiro gastronômico junto a minha amada. Gostaria de dividir com vocês quatro lugares que me chamaram bastante atenção pela qualidade.

Para quem é fã da culinária japonesa não pode deixar de visitar o Minato Izakaya. Não tem luxo, o ambiente é simples, somente 20 lugares, não aceita reservas, mas a qualidade é uma regra! Pratos quentes e frios surpreendentes.

Endereço: Rua dos Pinheiros, 1308 – Pinheiros - São Paulo - SP

Telefone: (11) 3814 8065

De segunda a sábado: 18h30 - 00h / Domingo: fechado

Aceita todos os cartões

Outra dica imperdível é A Queijaria, uma loja especializada em queijos brasileiros. São 149 tipos de 8 estados.

Endereço: Rua Aspicuelta, 35 – Pinheiros - São Paulo –SP

Telefone: (11) 3812 6449

De segunda a sábado: 09h - 20h / Domingo: 11h - 17h

Aceita todos os cartões

No Zena Caffè provei duas maravilhas. Uma focaccia bem fina recheada com queijo stracchino e a coxinha de costelinha de porco. Show!

Endereço: Rua Peixoto Gomide, 1901 – Jardim Paulista -São Paulo - SP

Telefone: (11) 3081 2158

Segunda, terça, quarta e domingo: 12h - 00h / De quinta a sábado: 12h - 01h

Aceita todos os cartões

E para fechar o final de semana provei o Polvo a lagareiro da Adega Santiago, simplesmente fantástico. O restaurante fica localizado no ultimo andar do Shopping Cidade Jardim, proporcionando uma bela vista da cidade. Imperdível.

Endereço: Avenida Magalhães de Castro, 12000 – Shopping Cidade Jardim - Butantã - São Paulo - SP

Telefone: (11) 3758 4446

Segunda: 12h - 15h e também 19h - 23h / De terça a quinta: 12h - 15h e também 19h - 00h / Sexta e sábado: 12h - 00h / Domingo: 12h - 22h

Aceita todos os cartões

Mais uma vez a Confraria Vivendo a Vida se reuniu para apreciar ótimos vinhos e também uma gastronomia de primeira, que é elaborada pelo Chef oficial do grupo, o Dr. Aldir Almeida.

De todas as regiões da Itália, a ilha da Sicília foi a que mais mudou nas ultimas décadas. Trinta anos atrás era apenas uma terra quase medieval. Com relação ao vinho, havia o Marsala, um nome que todos conheciam, porém ninguém bebia, e também o Moscato doce. Mas a maior parte do vinho era intragável. O melhor era exportado para o Norte, destinado a mistura.

A salvação foi um programa de desenvolvimento regional bem dirigido, modernizando, se tornando uma referência na Itália. Vinhedos novos e enormes abastecem cooperativas automatizadas que produzem vinhos corretos e modernos. 75% dos vinhos da Sicília são brancos, sendo 80% da totalidade da produção são elaborados por cooperativas.

AS DOCG’s são quase irrelevantes por lá, menos de 5% se qualificam. No entanto de uns anos para cá, é evidente a crescente qualidade dos vinhos, sendo capaz de produzir vinhos muito bons e até excelentes.

Palari Faro 2007 – 13,5%. – Descrições Marcos Fonseca

  • A cor, clara e translúcida, já criava uma boa expectativa. Nariz delicado de frutas vermelhas frescas, especiarias, ervas provençais e madeira praticamente imperceptível, muito bem trabalhada. Na boca, um vinho elegante, com fruta delineada por boa acidez, taninos finos e persistência média/longa. Certamente jovem, mas já batendo uma bola muito redonda. Lindo.


Gulfi Nerobufaleffj 2007 – 14%. – 100% Nero d’Avola.

  • Produtor adepto da agricultura orgânica e que adota preceitos da vinicultura natural, com adição de pouco ou nenhum SO2:. Estágio de 18 meses em barris de 500 litros. Maiores detalhes aqui:http:// www.gulfi.it/e_nerobufaleffj.html. Nariz intenso de frutas negras e vermelhas frescas, floral, baunilha discreta e álcool um pouco saliente. Na boca, um vinho potente, quente, confirmando a ponta de álcool sentida no nariz, com taninos presentes porém nada agressivos, acidez equilibrada e persistência longa. Primário, precisa de tempo para que o álcool integre e o vinho se transforme em algo menos ostensivo, mais sutil. Ainda assim, parece ter um futuro promissor.


Donnafugata Contessa Entellina Mille e Una Notte 2007 – 13,5%.

  • Nero d’Avola com um pequeno percentual de outras uvas. Esse é um velho conhecido. Nunca tinha bebido um tão jovem, e nem deveria, pois se mostrou bastante primário, com frutas negras em primeiro plano e um leve traço balsâmico por trás da cortina negra. Parou por aí. Na boca, encorpado e um tanto quanto monolítico. Definitivamente, se transforma em algo bem mais interessante com 10+ anos, ainda que nas minhas experiências passadas eu sempre tenha achado que um pouco mais de acidez seria benéfica ao vinho.


Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

Na noite desta terça-feira participei de um jantar harmonizado promovido pela dupla dinâmica Helio Massoni e Simey Santos, da Enótria, em parceria com a Importadora Vinci, no restaurante Mexido, aqui na capital capixaba. Para apresentar os vinhos esteve em vitória os representantes da importadora, Rafael Porto e Ederson Possatti, que deram conta do recado.

Filha do grande Nicolas Catena, o principal e mais respeitado nome do vinho argentino, Laura Catena é conhecida em todo mundo como embaixadora da uva Malbec. Estudou biologia em Harvard e medicina em Stanford, mas abandonou a medicina para dedicar-se a viniticultura em meados dos 90. É braço direito do pai nas Bodegas Catena Zapata como vice-presidente e ainda encontra tempo para dirigir suas próprias vinícolas, Luca (homenagem ao seu filho de mesmo nome) e La Posta. 

Os belos vinhos de Laura Catena

O cardápio foi desenvolvido pela equipe do restaurante mexido, comandada Chef Ana Beatriz Seguchi, junto ao Sommelier da Enótria Helio Massoni. Foi um show de qualidade, aonde a gastronomia formou uma parceria perfeita com os vinhos.

Prato: Mini dourado de brie com salada e redução de tangerina – (Nota 1000)

Começamos a noite com o Luca Chardonnay 2009 (uvas da Borgonha), R$ 149,00, ST (91). Passou por 12 meses em carvalho. Nariz com nota de abacaxi maduro, manteiga, damasco e mel. Paladar Cremoso, gordo, com ótima acidez dando suporte ao peso, com um final longo. Segundo Robert Parker, este soberbo branco é o candidato ao melhor Chardonnay da Argentina entra ano e sai ano, tendo merecido consecutivamente 92 pontos na safra de 2009. 

Prato: Camarões ao molho de ostra e gengibre (Picante)

Luca Pinot Noir 2009 (uvas da região de Pomar na França), R$ (149,00), ST (91). Aromas tradicionais de cereja, floral, terroso, taninos macios, ótima acidez, equilibrado. Aguentou bem o prato bastante picante. Recebeu 93 pontos de Robert Parker nessa safra de 2009, a nota mais alta concedida pelo crítico a um Pinot Noir argentino!  

Prato: Riso al Salto (rabada desfiada) – para comer de joelhos!

Luca Syrah Laborde Double Select 2009, R$ 142,00, ST (92). Visual perece petróleo, aromas de frutas maduras, couro e carne defumada, com notas de tostado de carvalho e especiarias. O paladar é rico, exuberante, com taninos bem estruturados, com fruta em compota e pimenta. Muito longo e persistente.

Prato: Escalope negro (no carvão), com legumes churrasqueados e purê de aipim. TOP

O quarto prato foi harmonizado com os dois vinhos TOP da vinícola; BESO DE DANTE 2009 (homenagem ao filho de meio de Laura Catena), R$ 189,00, ST (94), um corte de Cabernet Sauvignon (45%) e Malbec (55%), com uvas vale do Uco de 3 vinhedos diferentes,  um de Gualtallary com 1500 de altitude. Na taça mostra uma elegância incomum aos vinhos argentinos, muito cremoso, potente, um vinhaço.

O outro TOP é o LUCA MALBEC 2009, 100% Malbec, R$ 180,00, ST (91+), poderoso, mostra muita estrutura, gordo, porém com uma madeira destacada, que esconde a fruta tanto no nariz, quanto na boca. Mais vamos esperar, acho que mais uns 2 aninhos em garrafa essa madeira vai integrar.

Parfait de banana com chocolate, para fechar a noite com uma dose de glicolse!

MEXIDO RESTAURANTE - R Affonso Cláudio 259 lj 4 - Praia Canto – Vitória, ES | CEP: 29055-570 – Tel: 3315.80.92

Enótria – Av. Rio Branco, 1383 – Praia do Canto – Vitória-ES – 55 (27) 3345-8696 -  

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

Evento reúne chefs de todo o Brasil em três dias de atividades na capital capixaba

Entre os dias 30 de agosto a 01 de setembro acontece o XVII Congresso da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança. A reunião anual dos associados será no Hotel Senac Ilha do Boi, em Vitória (ES), e contará com participação dos credenciados e diretores da entidade. O objetivo é avaliar os resultados do último ano e estabelecer novas metas para o próximo período.

Entre as atividades do congresso estão a apresentação dos resultados e prestação de contas, planejamento das ações, exposição de projetos e novos parceiros, aprovação de novos candidatos, relatório dos festivais e eventos, assuntos relativos ao prato da Boa Lembrança e ao clube do colecionador, definição do calendário de eventos 2013. Na programação do dia 30, à tarde, haverá mesa redonda sobre mercado de trabalho aberta ao público e, à noite, coquetel de abertura para os congressistas. Para o dia 31 estão previstas plenárias e um almoço tradicional da culinária capixaba oferecido pelo SENAC.

Ainda no dia 31, quatro chefs vão preparar o menu do tradicional Jantar Beneficente do Congresso, que reunirá 150 pessoas. Biba Fernandes (Chiwake/PE) prepara um ceviche para a entrada, Wanderson Medeiros (Picuí/AL) faz para o primeiro prato uma brandade de bacalhau, Conceição Neroni (Marguba Cibá/RJ) cozinha paleta de cordeiro com cuscuz marroquino para o segundo prato. O chef Roberto Bento (Bistrô d’Acampora/SC) faz pudim de milho para a sobremesa. O valor do convite é R$ 120 por pessoa incluindo bebidas não alcoólicas e vinhos. Parte da renda do jantar será revertida para a Avedalma, instituição que cuida de idosos carentes. Como em todos os Congressos da ARBL, será produzido prato comemorativo para o evento.

André Saburó, atual presidente da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança espera alcançar resultados positivos junto aos associados, pois este será o congresso anual mais bem elaborado em conjunto com o executivo e os diretores regionais. Através das atividades com a mesa redonda e jantar beneficente, o evento quer levar aos alunos e gourmets capixabas um pouco do que os chefs da Associação podem oferecer ao paladar e conhecimento sobre o mundo da alta gastronomia. “Espero que este congresso possa unir ainda mais os laços de amizade entre os associados, até porque a ARBL sempre foi uma grande família e sempre estará a disposição para ajudar o associado no que for preciso” finaliza.

XVII CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO DOS RESTAURANTES DA BOA LEMBRANÇA

DATA: 30/08 a 01/09

LOCAL: Hotel Senac Ilha do Boi

Vitória (ES)

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

A cebola é extremamente viajada. Nativa de algum lugar da Ásia Central, tem hoje presença importante na culinária de todos os recantos. Mas, dentre todos, é na França que ela tem uma presença mais marcante. Robert Julien Courtine (1910-1998), autor de diversos livros sobre gastronomia e articulista culinário do jornal Le Monde, dizia ser a cebola a trufa do pobre.

Dentre as iguarias dessa tuberosa, a sopa de cebola é o prato mais icônico, presente em cada bistrô, taverna, brasserie ou restaurante da capital francesa. Cada um com sua variação própria. Mas a mais famosa, tida como a perfeita, é a da brasserie Au Pied de Cochon em Les Halles, charmoso pela suntuosa decoração Art Déco, aberto 24 horas e porto seguro para as altas horas das frias noites pariesienses.

Patrícia Wells, assídua frequentadora do Pied de Cochon e autora do livro Cozinha de Bistrô (São Paulo: Ediouro), nos oferece uma receita dita como original dessa brasserie. Mas, sinceramente, seguindo o passo a passo dessa receita, não conseguimos o resultado magnífico e complexo do Pied de Cochon. Muito mais rica é a preparação que descrevemos a seguir, de autoria de Elsie Martins Ferreira, antiga moradora de Paris e uma Babette invejável.

Receita de sopa de cebola: Ingredientes: (para 6 pessoas)

  • 2 colheres (de sopa) de azeite de oliva
  • 4 colheres (de sopa) de manteiga sem sal
  • 6 xícaras de cebolas fatiadas
  • 2 dentes de alho bem picados
  • 1 colher (de chá) de açúcar
  • 1/3 de xícara de conhaque
  • 1 colher (de sopa) de mostarda de Dijon
  • 1 pequeno ramo de tomilho fresco
  • 2 colheres rasas de farinha de trigo
  • 2 litros de caldo de carne
  • 1 1/2 xícaras de vinho branco seco
  • Sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto
  • 6 fatias de pão francês tipo baguette cortadas não muito finas
  • Mistura de queijos ralados: 100 gramas de Gruyère e 100 g de parmesão

Modo de preparar:

1. Aqueça a manteiga e o azeite em uma panela grande de sopa. Junte as cebolas e refogue em fogo médio /alto durante 15 minutos. Junte o alho e o açúcar e continue agora em fogo brando sempre mexendo de vez em quando até que as cebolas fiquem bem douradas mais ou menos durante 40 minutos.

2. Flambe com o conhaque pré- aquecido. Quando as chamas apagarem junte a mostarda e o tomilho. Acrescente em seguida a farinha de trigo, misture bem sempre no fogo, e gradualmente junte o caldo de carne e o vinho branco. Tempere com sal e pimenta e deixe ferver lentamente durante 1 hora em fogo brando.

3.Enquanto isso, prepare os croutons: passe um pouco de manteiga e azeite temperados com um pouco de alho nas fatias de pão e depois torre-os em uma frigideira bem aquecida.

4.Para servir coloque a sopa nos ramequins, coloque sobre a sopa um crouton, cubra cada um com a mistura de queijos, e leve a gratinar por 4 ou 5 minutos ou até os queijos derreterem.

No caso de querer fazer uma entrada mais elegante, pode-se cobrir os ramequins com massa folhada e levar ao forno. No entanto não devemos esquecer que a verdadeira sopa de cebolas do Les Halles originalmente era uma sopa saborosa porem barata para nas madrugadas acalentar a barriga dos trabalhadores do antigo mercado.

O resutado final é uma iguaria delicada com discreto aroma do campo conferido pelo tomilho e cebola, perfumado pelo cognac de boa estirpe e discretamente encorpada pelo crouton.

O recomendado para uma harmonização deve ser um bom Beaujolais cru classée, especialmente o Morgon, rico, intenso, com notas de frutas vermelhas bem condizentes com a cor e o leve corpo da sopa.

(Texto de Carlos José Vieira, parceiro e colunista do Blog)

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

Promovido pela Associação Turística de Pedra Azul, a região prepara-se para sediar, nos dias de 21, 22 e 23 e 28, 29 e 30 de setembro deste ano (2012), a segunda edição do Pedra Azul Gourmet, evento que irá reunir 50 empresas representadas pelas áreas de gastronomia, agroturismo, ecologia, hotelaria e serviços, sediadas no município de Domingos Martins.

Pedra Azul Gourmet destaca-se por seu ineditismo: é o único evento do país a contemplar o agroturismo, além de também ser o primeiro festim gastronômico da região de montanha do Espírito Santo. Ele será realizado nos dois últimos finais de semana do mês, prometendo atrair gourmets e gourmands do Estado e do Brasil, com um cardápio de atrações que vão desde almoços e jantares harmonizados até degustações e passeios por pontos turísticos da região.

Evento com características de festival gastronômico, o Pedra Azul Gourmet vai além de uma demonstração do talento e da competência dos chefs que criam e assinam cardápios nos restaurantes espalhados pela região de montanha do Espírito Santo. Ele quer consagrar-se como um evento que valoriza os profissionais da região, sejam eles chefs, cozinheiros, empresários do ramo hoteleiro e do agroturismo da região, buscando destacar e divulgar, também, a importância da produção cultural local.

Sua temática contemplará a sustentabilidade, destacando as influências do agroturismo como parceiro na gastronomia dos restaurantes e suas adaptações ao paladar dos capixabas.

Entre os principais objetivos do Pedra Azul Gourmet destacam-se estimular e valorizar profissionais e empresas locais; fortalecer a identidade gastronômica da região de montanhas do Espírito Santo; fortalecer e divulgar o conceito de gastronomia orgânica; fortalecer e divulgar o agroturismo da região; incentivar e promover o desenvolvimento dos profissionais que atuam no município e atrair turistas do Estado e do Brasil, além de novos clientes para os estabelecimentos sediados na região.

Seus realizadores esperam que o evento também aumente o volume de vendas de produtos da região durante o período de sua realização, o mês de setembro.

Mais informações: http://www.pedrazulgourmet.com.br/site/

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

Já dizia o pintor e cineasta norte-americano Andy Warhol: “um dia, todos terão direito a 15 minutos de fama“. Pois é amigos…rsrsrs

Brincadeira à parte, na ultima edição do Caderno Prazer & Cia, jornal A Gazeta, tive a honra de poder colaborar para matéria da Jornalista Evelize Calmon. O tema foi “harmonização entre Vinho & Comida“, no qual foram convidados seis chefs renomados para criarem receitas, com o objetivo de serem reproduzidas por vocês em casa. A minha contribuição foi indicar os vinhos e justificar a suas harmonizações. Busquei dar explicações simples e objetivas, fugindo do “tecniquês”. Afinal, precisamos aproximar as pessoas desse mundo, dando um caráter mais popular ao vinho.

RECEITA VILLA VECCHIA – Chef Cleuza Costa

Spaghetti com camarões, abobrinha, beringela, tomate cereja e um toque de bacon

VINHO BRANCO

Kawin Sauvignon Blanc 2011 – Chile – 29,00 – Da Confraria

Aromas típicos de frutas tropicais e um leve herbáceo. O paladar é leve, frutado, acidez equilibrada e refrescante. Um vinho fácil de beber e entender a sua proposta. Ótima compra.

Casas del Bosque Reserva Sauvignon Blanc 2010 – Chile – R$ 49,00 – Enótria

Muito aromático com notas vegetais de alecrim, e frutadas m(maracujá e goiaba, evoluindo com toques minerais. Paladar apresenta uma acidez exuberante, médio corpo, equilibrado, muito frescor, com um final jovial e muito agradável.

T.H – Terroir Hunter Sauvignon Blanc 2011 – Chile – R$ 99,00 – Ville du Vin

Nariz intenso, remetendo a notas de frutas tropicais maduras (maracujá, melão) e cítricas (limão e tangerina). Paladar apresentou muito frescor, corpo leve, frutado, com final agradável e com média persistência.

Obs: A Da Confraria é uma importadora Capixaba, que está crescendo muito e com vinhos de bastante qualidade x preço, o site de vendas é www.vinhosdaconfraria.com.br

Receita Restaurante Mexido – Chef Bia Seguchi

Peixe branco em cama de purê de abóbora japonesa e mexido de legumes.

Viapiana 192 dias Brut – Brasil – 46,00 – Enotria

Perlage fina em boa quantidade e persistentes. No nariz predomínio de frutas brancas, leve toque de fermento.Paladar com acidez adequada, bom equilíbrio, corpo médio, persistência média e retro-olfato de frutas citricas com notas florais. Seu melhor atributo é a sua personalidade e notável fineza.

Les Amis Brut Blanc de Blancs – França – R$ 49, 80 – Expand

Perlage médio, em boa quantidade. Nariz apresenta frutas cítricas (limão e grapefruit) e leve toque de pêssego. Paladar com um bom frescor, leve e de boa persistência.

Champagne Irroy Brut – França – R$ 90,00 – Wine

Perlage finíssima, aromas tipicos de mel, fermento. Paladar cremoso, encorpado, com um final bastante longo.

RECEITA SOETA – Chef Bárbara Verzola

TAGLIOLINE DE AÇAFRÃO DA TERRA, LINGUIÇA DE PORCO E FUNGHI PORCINI

VINHO TINTO

Farnese Montepulciano D Abruzzo – Itália – R$ 45,00 – Ville Du Vin

Aromas de frutas vermelhas, fresco, bom corpo e uma ótima acidez.

Beronia Crianza 2008 – Espanha – R$ 64,80 – Carone

Aromas de baunilha, framboesa, com toques de cereja e especiarias. Na boca é frutado e fresco, equilibrado, estruturado, com taninos finos, com final agradável.

Rúbio de San Polo 2009 - 100% Sangiovese (Itália) – R$ 72,00 – Grand Cru

Aromas de cereja, ameixa, groselha, especiarias e uma leve baunilha. Apesar de novo na boca mostrou um bom equilíbrio, estruturado e suculento.

RECEITA DAJU BISTRÔ – Chef Júlia Faria

Filé à moda da Vovó

VINHO TINTO

Leyda Reserva Carmenère 2010 (Chile) - R$ 46,00 – Grand Cru

Aromas frutado destaque para frutas vermelhas e o tradicional toque herbáceo. Na boca confirma a fruta, com boa acidez, macio, médio corpo e um final de média persistência.

La Madrid Malbec 2010 – Argentina – R$ 52,00 – Puerto Madero

No nariz apresenta aromas de frutas maduras e leve especiarias. Paladar com taninos doces e aveludados, equilibrado, bom corpo, fácil de beber.

Crasto Superior D.O.C 2009 – Portugal – R$ 82,90 – Carone

Aromas sutis de frutas compotadas, envoltas em finas notas carvalho e notas resinosas, ainda primárias. Paladar é equilibrado, tem acidez e álcool na medida certa, muita concentração, taninos finos, longa persistência e um retro-olfato frutado muito gostoso. Um vinho que alia potência e elegância na taça!

RECEITA ARGENTO – Chefs Ivan Di Cesare e Emilio Recchia

Ossobuco ao disco de arado, acompanhado de Purê de abobora com cubos de queijo de cabra e alho confitado.

VINHO TINTO

Heredad Malbec 2010 – Argentina – R$ 34,90 – Enotria

No nariz aromas de cerejas vermelhas, floral e de especiarias. O paladar apresenta médio corpo, frutado, bom equilíbrio entre acidez e teor de álcool.

Araucano Reserva Cabernet Sauvignon Reserva 2009 – R$ 49,00 – Da Confraria

Aromas de pimenta do reino moída na hora, frutas negras e vermelhas. Paladar mostrou taninos firmes, bom corpo, frutado e uma acidez adequada. Ótima opção para um churrasco.

Embocadero Tempranillo 2009 (Espanha) – R$ 54,00 – Grand Cru

Bastante perfumado, tostado, especiarias, café e frutas negras. Em boca é gordo com sabor frutado e elegante, com final bastante agradável e longo.

RECEITA VERO – Chef Vinicius Dobal

Cassata siciliana com geleia de cajá

VINHO DE SOBREMESA

La Cellia Late Harvest 2008 – Argentina – R$ 49,00 – Ville Du Vin

Frutas em compota, (abacaxi, pêssego), frutas passadas, floral, com toques de mel. No paladar é doce, bom corpo. Boa acidez, com leve predomínio do teor de açúcar. Persistência longa.

Morande Late Harvest Sauvignon Blanc 2008 – R$ 54,80 – Expand

Aromas agradáveis de mel e maracujá. Na boca, confirma as notas do nariz, equilibrado e longo.

Hukapapa 2007 Riesling Dessert Wine – Nova Zelandia – R$ 79, 00 – Enotria

Aromas de casca de laranja, damasco e manga. Na boca é intenso, com sabores de mel, cítricos e geleias…

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

Degustar vinhos italianos é viajar pela história. Por lá, o vinho é mais que um produto, é uma verdadeira identidade cultural. Na noite desta segunda feira realizamos o 2º encontro da Confraria Vivendo a Vida, com a oportunidade de apreciar vários estilos, gerando muito conhecimento e prazer na taça!

A noite começou ao contrario (pela intensidade), fomos recebidos com uma garrafa do grande vinho do Vêneto, o Amarone Tommasi 2004, oferecido pelo confrade Flavio Maraninchi.

Elaborado no Veneto o Amarone Della Valpolicella DOC é elaborado com as uvas, Corvina Veronese, Rondinella e Molinara (obrigatóriamente). Suas uvas passam por um processo de secagem, ficando parecida com uva passa, pouca água e muito açúcar. O seu envelhecimento é de no mínimo 24 meses. O resultado é um vinho potente, rico, longevo, com teor alcoólico que varia de 14% a 16%. Um vinho perfeito para noites frias, acompanhado de queijos fortes, boa companhia e meditação.

Os pratos:

Depois de um bate papo regado a Amarone, fomos para mesa começar realmente a degustação, que teve o Chef Aldir Almeida que preparou um verdadeiro banquete para os confrades, no qual iniciamos com uma bela salada americana, seguindo para um Brasato “sem barolo” e finalizando com uma Panna Cotta com Cobertura de carambola in calda de anis estrelado ao rum.

Brasato “sem Barolo”

Panna Cotta com Cobertura de carambola in calda de anis estrelado com Rum

Os vinhos: A descrição dos vinhos ficou a cargo do confrade Marcos Fonseca.

A uva Dolceto é doce, porem é distintamente seco e com bastante sabor de fruta e com um tanino notável. Geralmente é comparado ao Beaujolais (França), porém é mais seco e acompanha melhor uma refeição.

Elvio Cogno Dolcetto d’Alba Vigna del Mandorlo 2009 – 13%. Estágio de 8 meses em aço inox (60 dias “sur lie”) + 6 meses em garrafa.

  • Frutas silvestres maduras, com destaque para cereja, e uma leve ponta adocicada. Na boca um vinho agradável, com boa fruta (preferiria até que fosse um pouco menos extraída), taninos macios e média acidez. No meio do caminho entre aquelas coisas mais exageradas que existem por aí e aquelas mais simples e despretensiosas, que, em se tratando de Dolcetto, costumam me agradar mais. Senti uma pontinha de pretensão nesse aqui, mas muito bem trabalhada.

A uva Barbera é a segunda uva vermelha mais plantada da Itália (Sangiovese é a primeira). É no Piemonte, mais especificamente nas áreas viníferas de Asti e Alba, que a Barbera se destaca. É um vinho rico, com alta acidez e um generoso traço de framboesa.

Bruno Giacosa Barbera d’Alba 2003 – 14%. Estágio de 12 meses em grandes barris de carvalho (provavelmente botti de carvalho da Eslavônia) + 6 meses em garrafa.

  • Uma beleza de Barbera, com fruta já apresentando sinais de evolução, caldo de carne levemente picante, floral discreto e madeira perfeitamente integrada. Na boca um vinho muito equilibrado, com taninos agradáveis, boa acidez e final de boca delicioso. Show.

As vinhas ao redor da vila de Barbaresco são responsáveis por 45% da produção regional, com muitas vinhas localizadas dentro da cidade. As vinhas desta área tendem a ser relativamente mais claras na cor e ter um corpo mais bem estruturado e aromático.

Albino Rocca Barbaresco Vigneto Brich Ronchi 1998 – 14%

  • Ainda estava enamorado pelo Barbera do Giacosa quando abri esse aqui. Pois é… Rótulo todo detonado, feinho pra caramba. Diz o ditado que quem vê cara não vê coração. Lindo lindo, com fruta (muito bem) evoluída, cheio de terciários, alcatrãozinho luxo, funghi, especiarias e madeira integradíssima. Nariz falando alto, etéreo, cheio de nuances. Pela primeira vez não senti falta daquele floral que tanto me agrada na Nebbiolo. Talvez pelo fato de sempre associá-lo a um vinho mais delicado, mais elegante. Esse, porém, era isso tudo mesmo sem o bendito floral. Delicado, elegante, complexo, equilibrado, muito bem costurado. Taninos resolvidos, acidez perfeita e final de boca de chorar. Um dos melhores Barbarescos que já tive o prazer de beber. Roubou meu coração.

Apesar de utilizarem a mesma casta e ser produzidos a 15 km um do outro, os vinhos das DOGC’s Barbaresco e Barolo tem diferenças bem distintas. Os Barolos tendem a ser mais fechados e encorpados, mas é nos taninos que se estabelece a grande diferença. Os Barbarescos tendem a ter taninos mais delicados e podem ser bebidos mais cedo, enquanto os Barolos podem exigir o dobro do tempo para serem degustados.

Gianni Gagliardo Barolo Preve 1996 – 13,5%

  • Isso aqui tava muito legal também. Só levou azar de ter sido aberto na seqüência do Barbaresco Brich Ronchi. Elegante, com fruta evoluída, um traço terroso, chá mate, alcatrão discreto e madeira de casa antiga. Menos multifacetado que o Brich, mais contido também, com um quê de de seriedade. Tipo biblioteca de avô sizudo (o meu era… só não tinha biblioteca).


Farei um post exclusivo sobre este fortificado da Itália.

Sobremesa: Cantine Pellegrino Marsala Superiore Riserva Ambra Semisecco 1985 – 18%.

  • Pra resumir, manga, nozes e mel. Nada enjoativo. Boa acidez e álcool muito bem integrado. Fechou a noite com louvor.

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook


Olha que dica gourmet interessante que acabei de ver na página do facebook de Ubiraja Pinto, que o site thekitchn publicou. Congelamento das ervas em azeite ou manteiga sem sal (derretida), em cubos, que poderá ser usado de diversas formas na sua cozinha: assados, batatas cozidas e etc.

Veja o passo a Passo:

1. Escolher ervas frescas, de preferência da feira ou do seu próprio jardim.

2. Se quiser você pode picá-las bem, ou deixá-las em ramos e folhas maiores. Na foto, as ervas foram finamente picadas.

3. Colocar em bandejas de cubos de gelo (cerca de 2/3 cheio de ervas).

4. Você pode misturar as ervas (sálvia, tomilho, alecrim).

5. Colocar azeite extra-virgem de oliva sobre as ervas.

6. Cobrir com filme plástico e congelar.

7. Remover os cubos congelados e armazenar em recipientes ou sacos pequenos de congelamento.

8. Não esqueça de etiquetar cada embalagem informando qual é o tipo de erva dos cubos!

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook