search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for the ‘ Alemanha ’ Category

Na noite desta segunda-feira participei de uma degustação com vinhos alemães – biodinâmicos e orgânicos, promovido pela “Vinhos & Serviços” (www.vinhoseservicos.com.br), do competente sommelier Túlio Mendes, em parceria com importadora Weinkeller (única especializada em vinhos alemães do Brasil), no Rei do Vinho, anexo a Cantina do Bacco. Para apresentar os vinhos esteve em vitória à proprietária da importadora, Vivien Kelber, e Gabriel Zipman, da assessoria Casa de MKT.


Sommelier Túlio Mendes

Os convidados foram recebidos com um belo espumante brasileiro.

Aracuri Collector Blanc de Noir 2013 – Brasil – R$ 59 – www.vinhoseservicos.com.br

  • Espumante elaborado pelo método champenoise, 100% Pinot Noir da região de Campos de Cima da Serra (RS), 960 metros de altitude. Frutado, cremoso, equilibrado, acidez gastronômica e final de boa persistência. ST (90)


Vivien Kelber e Gabriel Zipman

No evento foram apresentados cinco rótulos, sendo um rosé, três brancos frescos e aromáticos, e um tinto surpreendente. Mas o que você precisa saber antes de comprar um vinho da Alemanha? Recentemente falei um pouco sobre esse tema aqui > http://www.vivendoavida.net/?p=33825.

Vinhos degustados:

Weingut Heinz Pfaffmann Portugieser rosé 2013 (Orgânico) – Pfalz – 11% – 1.000 ml – R$ 79,00 – www.vinhoseservicos.com.br

  • Um vinho rosé agradável, com aromas frutados de morangos, framboesas e tuti fruti. No paladar é vivo, fresco e frutado. A garrafa é de 1 litro. É preciso ficar atento com a temperatura. ST (86)

Weingut Heinz Pfaffmann Grauburgunder (Pinot Gris) seco – Pfalz – 13% – R$ 99,00 – www.vinhoseservicos.com.br

  • Leve, fresco, com notas de pêssego e melão. Foi o mais seco do painel. ST (88)

Kloster Heilsbruck Riesling Spätlese seco 2009 – Pfalz – 13,5% – 119,00 – www.vinhoseservicos.com.br

  • Um RIESLING colheita tardia com notas de frutas cítricas, de lima e flores, e ausência do característico querosene. Paladar leve e seco, com boa acidez e textura cremosa. ST (88)

Kloster Heilsbruck Barrique des Klosters 2008 (Cabernet Sauvignon e Cabernet Fanc) – Pfalz – 14,5% – R$ 139,00 – www.vinhoseservicos.com.br

  • Tinto surpreendente e raro – 300 garrafas disponíveis – elaborado com as uvas Cabernet Sauvignon e Franc, com caraterísticas modernas no nariz, onde predominam as notas de caramelo, café e tosta. No paladar mostra a elegância do velho mundo. Um veludo.ST (91)

Weingut Groh Huxelrebe Auslese 2012 (sobremesa) – Rheinhessen – 9% – R$ 119,00 – www.vinhoseservicos.com.br

  • Aromas de tangerina, damasco, mel e minerais, Paladar com bom equilíbrio entre acidez e doçura, cremoso, com final persistente. ST (90)

Delicioso Anselmann Ortega Trockenbeerenauslese (TBA) 2005, um de sobremesa do Alemão, parente dos Sauternes e Tokajs, elaborado com uvas infectadas Pela Botritis (podridão nobre). Na taça se mostrou aromático e untuoso, casca de laranja e mel. Acidez viva e muito intensa, que consegue dar equilíbrio num vinho único. Tudo Combinado com Sobremesas como gentilmente oferecidas pela Chef do Vitória Bistrô, Silvia Lins. Combinou bem com um bolo de laranja. Nota: 94/100 – R$ 230,00 na Ville du Vin.

Há 22 anos à frente da vinícola de sua família, o vinicultor Ernst Loosen, já conquistou os prêmios mais importantes do mundo do vinho: Melhor Produtor Alemão (Revista Wine & Spirits, 2007); Um dos Melhores Produtores do Mundo dos Últimos 25 Anos(Revista Wine & Spirits, 2007); Homem do Ano (revista Decanter, 2005); Um dos 50 Enólogos Mais Influentes do Mundo (Revista Wine & Spirits, 2004); Produtor do Ano (Gault Millau, 2001); “Inseriu o vinho alemão no cenário mundial e no século XXI” (Jancis Robinson, Decanter 04/2005).

A vinícola Dr. Loosen pertence à família de Ernst há mais de 200 anos. Quando ele a assumiu, em 1988, concluiu que com vinhedos de idade média em torno de 60 anos, plantados em “pé franco” (sem enxertia sobre raiz americana, pois o Mosel é uma das poucas regiões da Europa onde vinhas em pé franco são permitidas, já que a phylloxera não sobrevive em seus solos bem drenados) e localizados em alguns dos melhores terroirs da Alemanha, detinha todas as matérias-primas necessárias para produzir vinhos profundos, complexos e de classe mundial.

Para atingir esse objetivo, Ernst reduziu dramaticamente a produção de seus vinhedos e substituiu todos os fertilizantes químicos por orgânicos. Também adotou novas práticas de vinificação mais sutis e com mínima intervenção tecnológica, para que seus vinhos expressem fiel e plenamente suas origens, seuterroir. Estes são os princípios adotados em suas duas vinícolas: Dr. Loosen, no Mosel e J.L. Wolf no Pfalz.

Avaliação Pessoal: ST (86) – Alemanha – Mosel – 100% Riesling – 7,5% – R$ 118,00 – Expand

Visual amarelo claro esverdeado, límpido e brilhante. No nariz apresenta de frutas brancas (abacaxi em calda), mineral, com toques florais, e de mel. Açúcar residual perceptível, corpo leve, boa acidez (frescor), e macio. Retrogosto de frutas brancas maduras, floral e mel. Persistência média. Um suquinho refrescante!

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

Você sabia que na Alemanha (como na Áustria) o vinho espumante é chamado de Sekt? Por lá cerca de 800 vinícolas elaboram aproximadamente 500 milhões de garrafas de Sekt por ano. Só pode ser rotulado como Deutscher Sekt se suas uvas forem 100% cultivadas na Alemanha, no qual pode se encontrar poucos vinhos de qualidade. Quase a totalidade dos Sekt, de produção industrial é vendida muito barato com um nome de marca. Somente o Sekt de propriedade (Winzersekt), elaborado em pequena produção, por pequenas propriedades, é vendido por um preço elevado. Há um número crescente de Sket finos sendo elaborados com Pinot no Sul da Alemanha.

O vinho degustado foi o Zähringer SektEdelgräfler Brut 2010, foi enviado pelo clube de vinhos winelands, um Blanc de Blancs (somente uvas brancas) elaborado com as uvas Pinot Blanc, Chasselas e Johanniter, pelo método Champenoise, onde a segunda fermentação ocorre em garrafa, neste caso, permaneceu por 9 meses amadurecendo junto das leveduras “Sur Lie”.

Avaliação pessoal: Alemanha – Baden – 12% – Produtor (Weingut Zäringer) – Pinot Blanc, Chasselas e Johanniter – Importador: Clube de Vinhos Winelands – ST (87)

Visual amarelo palha de média intensidade, perlage de tamanho médio e persistente. Boa intensidade aromática, abacaxi e cítrico, além de toques florais, um defumado intrigante, evoluindo para um mineral no final. O paladar apresenta uma acidez moderada, com corpo médio e um leve dulçor. Persistência média, sem amargor final.

Harmonização: pode ser degustado sozinho como aperitivo ou acompanhando alguns canapés, mas torna-se perfeito com frutos do mar como as ostras e mariscos além da comida japonesa. É um espumante próprio para ser apreciado com temperatura entre 6ºC e 8ºC.

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook