search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for the ‘ sommelier ’ Category

2º Concurso Pan-Americano de Sommeliers envolveu 19 profissionais de 10 países em Bento Gonçalves (RS)

O brasileiro Tiago Locatelli é o 2º melhor sommelier das Américas. A campeã do 2º Concurso Pan-Americano de Sommeliers, cuja final foi disputada nesta quarta-feira (24) no Hotel e Spa do Vinho Caudalie, no Vale dos Vinhedos, em Bento Gonçalves (RS), foi a canadense Véronique Rivest, que era a atual vice-campeã. Está mantida assim a hegemonia do Canadá na competição, vencida por Élyse Lambert na última edição em 2009, em Buenos Aires, que teve o do brasileiro Guilherme Correa na terceira posição. “Subimos um degrau”, comemora Danio Braga, presidente da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS) e da Alianza Pan-Americana de Sommeliers (Apas). O outro brasileiro na disputa, Diego Arrebola, ficou em 11º lugar entre 19 sommeliers de 10 países (Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Colômbia, Estados Unidos, México, Peru, Uruguai e Venezuela).

Depois de uma exaustiva fase classificatória, realizada na terça-feira (23), envolvendo um dia inteiro de provas teóricas e práticas, a finalíssima aberta ao público foi realizada ontem no Centro de Eventos do Hotel e Spa do Vinho Caudalie. Os três sommeliers finalistas – a canadense Véronique Rivest, o brasileiro Tiago Locatelli e o norte-americano Ian Cauble – cumpriram seis provas, sempre se expressando na língua não materna.

Na primeira, uma degustação às cegas de três vinhos (um branco e dois tintos), onde o candidato tinha 12 minutos para falar de suas características, sugerir as uvas que entram em sua composição e de qual região e país procedem. Os comentários ainda tinham de abordar a temperatura de serviço ideal e pratos adequados para harmonizar com eles. Depois, em três minutos os candidatos deveriam adivinhar o que eram cinco líquidos oferecidos nas taças. A terceira prova era um serviço de champagne, que deveria ser cumprida em seis minutos. A quarta, serviço de um vinho tinto em decanter, em seis minutos. Em seguida, os finalistas tiveram de harmonizar um cardápio internacional em quatro minutos. E, por último, a correção oral, em três minutos, de uma carta de vinhos com 10 rótulos.

O 2º Concurso Pan-Americano de Sommeliers, uma espécie de Copa América do Serviço de Vinho, foi promovido pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS), Associação Internacional de Sommeliers (ASI) e Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin). A vencedora está classificada para o Concurso Mundial de Sommeliers, que ocorrerá em 2013 no Japão. “Foi um orgulho realizar este concurso no berço da vitivinicultura brasileira em um local elegante e refinado como merece a profissão de sommelier”, comenta Danio Braga. Ele promete criar a ABS-RS no início do ano que vem. “Precisamos formar mais sommeliers aqui no Rio Grande do Sul”, diz ele.

O melhor sommelier do mundo, Gerard Basset, foi um dos jurados do concurso, ao lado de Shinya Tasaki, campeão mundial em 1995 e atual presidente da ASI, e Michèle Chantôme, responsável pela comunicação da ASI. Um jantar de gala encerrou a programação do concurso.

Paralelamente ao concurso, a ABS e o Ibravin promoveram, de segunda (22) a quarta (24), uma série de visitas técnicas pelas vinícolas da Serra Gaúcha. “Foi uma boa oportunidade para os sommeliers das Américas conhecerem mais a produção vitivinícola brasileira”, afirma o gerente de Marketing do Ibravin, Diego Bertolini. A agenda contemplou visitas na Aurora, Casa Valduga, Chandon, Dal Pizzol, Miolo e Salton, além de um mini Circuito Brasileiro de Degustação com a participação de 13 empresas (Casa Valduga, Courmayeur, Don Giovanni, Domno do Brasil, Don Laurindo, Dunamis, Geisse, Laurentia, Larentis, Lidio Carraro, Pizzato, Peterlongo e Valmarino).

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

A importadora Capixaba
Da Confraria promoveu em sua sede, ontem, 30 de Julho (segunda-feira), uma degustação com 12 vinhos. O evento foi voltado para o lançamento oficial da linha de vinhos chilenos
François Lurton Hacienda Araucano, tudo comandado pelo sommleier Cleber Alves, que descreve um pouco sobre a importadora e a vinícola no vídeo acima.

A vinícola acabou de receber o certificado de “vinhos biodinâmicos”, que nada mais é que a valorização do solo e da planta em seu habitat natural, através do uso de preparações e compostos de origem vegetal, animal e mineral (parte biológica), em épocas precisas, levando em conta as influências astrais e os ciclos da natureza (parte dinâmica).

A família Lurton tem vinho nas veias: dois patriarcas, irmãos, geraram uma descendência de cerca de 15 viticultores, enólogos, négociants, enfim: uma geração inteira dedicada ao vinho. Jacques e François, filhos de André Lurton, uma lenda em Bordeaux. Sempre tiveram idéias revolucionárias para os padrões conservadores franceses,fazem experimentos com uvas pouco tradicionais em regiões novas, defendem o uso do Screwcap, lançam mão de design arrojado misturado à cultura regional para promover seus vinhos. Iniciaram suas carreiras como consultores, trabalhando ao redor do mundo como flying winemakers. Sua experiência internacional rendeu-lhes contatos e uma interessante noção sobre a geografia vinícola de diversos países, onde começaram gradualmente a realizar sua produção própria. Decidiram então produzir vinhos de qualidade, mas com preços acessíveis, recorrendo a regiões secundárias em ascensão em países como o Chile, a Argentina e a Espanha, além de estabelecer parcerias com produtores no Uruguai, Austrália e Portugal.

Credito da foto acima: Arismario OLiveira

A turma escalada para avaliar os vinhos: Em pé; Sidney Santiago, André Andrès, Leonardo Conick (proprietário), eu, Tom (restaurante Timoneiro) e seu amigo. Sentados; Fred, Julio Lemos (Papaghut), Elvecio Faé (diretor ExpoVinhos Vitória), a Premier Sommelier Sonia Aiello, Cleber Alves e Rafael Dias (Espaço D.O.C).

Os vinhos na taça surpreenderam, em sua maioria apresentaram uma ótima relação custo beneficio com preços que vão de 29,00 a 329,00. O destaque em minha opinião ficou com os vinhos mais baratos, já que os mais caros tinham a obrigação de ser bom. Dos 12 vinhos 4 classifico como “Bom e Barato”.

Vinho Branco Kawin Sauvignon Blanc 2011 – Chile – 100% Sauvignon Blanc – Vale Central (Vale Casablanca, Curicó e Lolol) – 12,5% – R$ 29,00
ST (88)
– “Bom e Barato

A melhor relação custo x beneficio da noite, este SB, mostrou na taça aromas típicos de frutas tropicais e um leve herbáceo. O paladar é leve, frutado, acidez equilibrada e refrescante. Um vinho fácil de beber e entender a sua proposta. Ótima compra.

Vinho Branco – Araucano Sauvignon Blanc 2011 – Chile – 100% Sauvignon Blanc – Vale do Lolol – Vale do Colchágua - 12,5% – R$ 69,00ST (86)

Esse outro SB que 5% é fermentado em barrica, mostrou mais acanhado no nariz, menos exuberante que o primeiro. O paladar é cremoso, menos frutado, com mais características minerais, bom equilíbrio, boa acidez, com final agradável.

Vinho Branco GRAN ARAUCANO CHARDONNAY 2007 – Chile – 100% Chardonnay – Vale do Colchágua – 14% – R$ 129,00ST (88)

O Chardonnay mostrou aquele “encanto de degustação”, visual amarelo ouro, límpido, brilhante, aromas bastante intenso, lembrando manteiga de pipoca, mel, damasco, baunilha. O paladar e gordo, frutado, boa acidez, porém pecou no equilíbrio, a madeira poderia ter menor destaque, escondeu um pouco a fruta. Uma questão de gosto pessoal.

Vinho Tinto Kawin Cabernet Sauvignon 2010 – Chile – 100% Cabernet Sauvignon – Vale Central – 13% – R$ 29,00ST (86)

Vinho que atende sua proposta, leve, frutado, sem maior pretensão, excelente opção para festa.

Vinho Tinto ARAUCANO RESERVA CABERNET SAUVIGNON 2009 – Chile – 100% Cabernet Sauvignon – Vale do Colchágua – 14% – R$ 49,00
ST (88)
– “Bom e Barato

O CS reserva já mostra uma maior complexidade, aromas de pimenta do reino moída na hora, frutas negras e vermelhas. Paladar mostrou taninos firmes, bom corpo, frutado e uma acidez adequada. Ótima opção para um churrasco.

Vinho Tinto ARAUCANO RESERVA CARMENÉRE 2010 – Chile – 100% Carmenére – Valle de Colchagua – 13,5% – R$ 49,00
ST (87)
– “Bom e Barato

O Carmenére também me agradou, notas típicas de pimentão, especiarias e frutas vermelhas. O paladar é frutado, bom corpo, boa acidez e uma boa persistência.

Vinho Tinto ARAUCANO RESERVA PINOT NOIR 2010 – Chile – 100% Pinot Noir – Vale Central – 13,5% – R$ 69,00ST (88)

Muito morango maduro, groselha e cereja. Paladar fresco, corpo leve, fácil de beber e de agradar.

Vinho Tinto HUMO BLANCO 2008
- Chile – 95% Pinot Noir e 5% Syrah – Vale do Lolol – 15,5% – R$ 109,00ST (90)

Mais contido no nariz, porem com uma boca deliciosa, cremoso, frutado, madeira muito bem colocada, equilibrado e um final longo.

Vinho Tinto ARAUCANO RESERVA SYRAH 2011 – Chile – 100% Syrah – Valle de Colchagua – 14,5% – R$ 65,00
- ST (88) – “Bom e Barato

Vinho bastante agradável, muito redondo, pronto, fruta docinha, um verdadeiro “vinho feminino”.

Vinho Tinto CLOS DE LOLOL 2009 – Chile – 38% Carmenere, 28% Cabernet – Sauvignon, 20% Syrah, 14% Cabernet Franc – Vale do Lolol – 18 meses em barricas de segundo uso – 14,5% – R$ 109,00ST (90+)

Esse corte apresentou notas de anis, floral e frutas vermelhas. O paladar tem bom corpo, taninos finos, boa acidez e boa persistência final.

Vinho Tinto GRAN ARAUCANO CABERNET SAUVIGNON 2009 – Chile – 100% Cabernet Sauvignon – Vale do Colchágua - 18 meses em barricas (70% novas, 30% de segundo uso) – 14,5% – R$ 149,00ST (90+)

A primeira nota no nariz foi a ade azeitona preta, que se dissipou abrindo muita fruta, ameixa, goiaba e um fundo de baunilha. O paladar é denso, boa acidez, gerando um frescor agradável, frutado, leve mineral, com um final agradável.

Vinho Tinto ALKA CARMENERE 2009 – Chile – 100% Caemenére – Vale do Colchágua – 18 meses em barricas de carvalho – 15% – R$ 329,00ST (92+)

Com toda a obrigação de ser bom, Alka, o TOP da vinícola, apresentou notas exuberantes no nariz, café torrado, caixa de charuto, madeira nobre, fruta vermelha e baunilha. O paladar confirma a qualidade e as notas do nariz, muito cremoso, frutado, equilibrado, precisando de uns anos em garrafa para apresentar maior complexidade. Belo vinho!

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

Em minha recente visita ao Rio de Janeiro em virtude do Encontro da importadora Mistral, não podia deixar de visitar mais uma vez a churrascaria Porcão Rio´s, que continua muito boa. Por lá, aproveitei para gravar um pequeno vídeo com o Sommelier Paulo Moraes, que falou um pouco sobre a variedade da carta, suas opções de preço, e também do serviço do vinho, o valor da rolha.

Uma novidade é lançamento de um vinho exclusivo, o Andrezza Garrafeira Porção 2005, R$ 160,00. Edição limitada, produzido pela empresa Lua Cheia, em Vinhas Velhas. Criada pelos enólogos João Silva e Souza, Francisco Batista e pelo empresário Manuel Dias. A harmonização indicada é com o fran rack, que nada mais é a asinha da paleta do cordeiro e com bife de chorizo ou bife de ancho.

Eliezer Orso é o sommelier executivo da rede Porcão.

Avenida Infante Dom Henrique, s/nº Aterro do Flamengo

TELEFONE: (21) 3461-9020

Cartões: visa, mastercard, american express, dinners, redeshop, visa eléctron

Estacionamento: gratuito, com manobrista

Horário: Segunda a sábado, 12h à 0h; domingo, 12h às 23h – Preço: 96,00

Site: http://www.porcao.com.br

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook