search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for the ‘ Alentejo ’ Category

A renomada vinícola Reynolds, da região do Alentejo, elaborou, em parceria, com a loja de vinhos e importadora Espaço D.O.C, uma linha de vinhos brancos e tintos nomeada Figueira de Cima, com exclusividade para o Brasil. Provei o Colheita, rótulo de entrada, Figueira de Cima Colheita, um corte de 40% Alicante Bouschet, 40% tricadeira e 20% Syrah. Suculento, frutado, redondo, com boa acidez e relação qualidade-preço. ST (88) Quanto: R$ 68. Tel: 3024-1222

O Pera Manca é o melhor vinho da adega Herdade da Cartuxa (Fundação Eugénio de Almeida) e um dos mais aclamados e caros de Portugal (Évora/Alentejo). A propriedade foi um antigo mosteiro cartusiano fundado em 1857, se tornando particular em 1834. Ocupada por fazendeiros após a Revolução dos Cravos, em 1974, foi devolvida posteriormente bastante danificada. Seus vinhedos tiveram que ser todos replantados.

Elaborado somente nos melhores anos, esse 1995, uma das melhores safras elaboradas até hoje, bled de Tricadeira, Aragonêz e Tinta Roriz, cortesia do amigo Aldir Almeida, amadureceu por cerca de três anos em grandes toneis de três mil litros de carvalho português. Esse período em madeira, ao contrário do que se possa pensar, atribuiu muita elegância e longevidade ao vinho. Na taça mostrou um visual levemente atijolado, aromas intensos, com notas balsâmicas e de especiarias, frutas secas, chá e fumo. Paladar confirma as notas do nariz, taninos aveludados, e uma persistência muito longa. Com certeza vai evoluir e alcançar seu apogeu nos próximos 10 anos. ST (93+).

Produzido apenas nos melhores anos, o vinho Regional Alentejano, Esporão Private Selection tinto 2008 envelheceu durante 12 meses em barricas de carvalho francês, seguido por mais um estagio de 18 meses em garrafa antes de ir ao mercado. A personalidade da safra 2008 é o resultado da frescura da Primavera, condições extremas do verão e da seleção das castas DOC Alicante Bouschet, Aragonês e Syrah. Muito do crédito pelo sucesso desse vinho é devido ao enólogo australiano David Baverstock.

Avaliação Pessoal: ST (93) – Portugal – Alentejo – Alicante Bouschet, Aragonês e Syrah – 14,5% – Medalha de Ouro concurso mundial de bruxelas 2012 Prémio de Excelência- Revista de Vinhos 2011

Visual granada intenso, límpido e brilhante. Aromas iniciais lembram ameixa em calda, ligeiro tostado, floral e um fundo mineral maravilhoso. O paladar é gordo, elegante, boa acidez e taninos estruturados, apresentando ótimo equilíbrio. Longa persistência aromática, com boa concentração de frutas. Seus taninos finos e vivos mostram sua idade precoce, fazendo acreditar em um ótimo potencial de guarda. Um vinho que pede uma taça atrás da outra, não cansa. A harmonização ideal são pratos a base de caça ou queijos de pasta mole.

Curta a pagina do Blog Vivendo a Vida no Facebook

Gloria Reynolds
art e tradição
Vinho regional Alentejano – Portugal
Vinhos, um negócio familiar, 180 anos de Portugal

Reynolds que é um nome está ligado à história da produção de vinho em Portugal. Na origem esteve uma família presente no Douro e é hoje em Estremoz que dá cartas neste universo, TENDO pautado sempre uma actuação pelo arrojo e pela inovação na produção de rolhas de cortiça, e maquinaria para uma produção de utensílios nos vinhos e, mais recentemente, Nas castas novas que trouxeram para o Alentejo. Lançado em 2005, ‘Gloria Reynolds 2002′ é o primeiro passo para o sucesso, o vinho foi criado com a colaboração de um dos mais reputados enólogos portugueses, Paulo Laureano, que desde 1998 está com uma Casa Gloria Reynolds, prestando homenagem à mãe de Juliàn Cuéllar Reynolds, fundador da empresa, precisamente Gloria Reynolds, ao procurar seguir uma tradição familiar na produção de vinhos.
Gloria Reynolds faz parte daquela leva de Produtores de vinho do Alentejo que fez uma substituição gradual de algumas castas tradicionais por outras, sobretudo pela Alicante Bouschet, uma casta que outrora apenas existia nenhum e Mouchão na Quinta do Carmo, justamente propriedades que pertenciam à família Reynolds .
Vinhos, um negócio familiar, 180 anos de Portugal
Segue seus diferentes rótulos de alta gama vinificados por GLORIA REYNOLDS.

Gloria Reynolds 2004 Tinto – Alentejo R$ 490,00gf Um vinho altamente personalizado e distinto, motivo de prazer e valorização para consumidores exigentes. Estrutura, que lhe permite uma exelente evolução em garrafa. Poda verde de 50% da produção. Provenientes das castas,Alicante Buschet e Trincadeira, são vindimadas manualmente e fermentadas em balseiros de carvalho francês e 24 meses em barricas de carvalho francês Seguin Moreau.Produção, 3.000 Garrafas/ano.

Gloria Reynolds 2006 Branco – Alentejo R$ 190,00gfAs Uvas da casta Antão Vaz, foram vindimadas de manhã cedo e, após desengace total e esmagamento suave ,foram prensadas em prensa pneumática, tendo o mosto resultante sido clarificado estáticamente duarante 48 horas, à baixa temperatura. Fermentado durante 30 dias em barricas novas de carvalho francês a uma temperatura de 15ºC, seguida de aproximadamente 8 meses de estágio, com bâtonnage semanal. posteriormente foi mantido durante um mês a 6ºC em aço inox, engarrafado em seguida.

Figueira de Cima 2003 Tinto – Alentejo R$ 243,00gfEspecial SóciosAs uvas das castas Alicante Buschet, Aragonês e Trincadeira foram colhidas manualmente entra a última semana de Agosto e a terceira semana de Setembro de 2003. A fermanteção ocorreu em balseiros de carvalho francês , durante 14 dias, a uma temperatura de 27/28ºC,em seguida passou por um estágio em barricas de carvalho francês 1/3 novas,1/3 1 ano de uso 1/ 2 anos de uso. Após 18 meses de estágio foi engarrafado e estagiado nas caves da adega até atingir um excelente equilibrio .Produção, 3.000 Garrafas/ano.

Julian Reynolds Reserva 2004 Tinto – Alentejo R$ 162,00gfAs uvas das castas Alicante Buschet, Aragonês e Trincadeira foram colhidas manualmente para pequenas caixas na vinhas de Herdade da Figueira de Cima, que rodeiam a adega. Após desegace total as uvas fermentam em balseiros de carvalho francês Seguin Moreau,com temperatura controlada uma parte do lote depois em barricas de carvalho francês mesma tanoaria durante 12 meses . O engarrafamento foi antecedido por filtração por terras de porosidade média e as garrafas estagiam pelo menos mais seis meses antes de serem comercializadas.Faça sua compra por telefone ou e-mail, entregamos em sua residência e despachamos para todo o Brasil, frete sob consulta.Produção, 5.400 Garrafas/ano.

Carlos Reynolds 2006 Tinto – Alentejo R$ 89,00
Carlos Reynolds, neto de Gloria Reynolds,filho de Julian, é a sétima geraçãodos Reynolds de Portugal a produzir vinhos de qualidade no Alentejo. É um vinho que é lançado mais jovem do que é habitual na casa e representa a entrada de gama do produtor. É vinificado sob a supervisão do experiente e prestigiado enólogo Paulo Laureano, a partir das castas Touriga Nacional e Alfrocheiro. Fermentou em balseiros de madeira de carvalho francês oriundos da melhor tanoaria francesa, Seguin Moreau e estagiou nos mesmos balseiros durante ano e meio.