search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for the ‘ Sem categoria ’ Category

Texto publicado originalmente na coluna Vivendo a Vida | C2 + Prazer & Cia | Jornal A Gazeta

O trabalho do enólogo é grande, árduo e merece muito reconhecimento. Ele começa pela procura e estudo do solo, passando pela seleção das variedades de uvas e termina na transformação da fruta em vinho. Nesse processo, é colhida na videira uma grande quantidade de uvas maduras que são prensadas para que elas liberem o suco. Após a prensagem, as leveduras reagem com o açúcar do suco e lentamente o transformam em álcool. Quanto mais maduras e doces forem às uvas, mais álcool terá seu vinho. Este processo se chama fermentação.

Atualmente, os enólogos usam vários artifícios para se diferenciar dos demais. Podem utilizar como recipiente no processo de fermentação aço inoxidável ou carvalho, por exemplo. A cada escolha, altera-se bastante o sabor do vinho. Após a fermentação, o enólogo escolhe quanto tempo o vinho irá amadurecer, e em qual recipiente. A maturação pode durar algumas semanas ou anos. Decisões difíceis, mas que fazem os vinhos terem características diferentes.

Na semana passada, estive no bar au vin Wine4friends, na Praia do Canto, para um bate-papo regado a bons goles com Vicenzo Protti, enólogo da vinícola Masi, uma das mais antigas e respeitadas da Itália. Sua fundação data no final do século XVIII. Localizada na região do Veneto, terra natal da denominação Valpolicella, a Masi é reconhecida internacionalmente por aplicar uma técnica de vinificação milenar chamada de apassimento: logo após a colheita das uvas, em vez de as frutas serem esmagadas, como em qualquer outro vinho de mesa, as mesmas são secadas em caixas plásticas ou em esteiras por até cinco meses, antes da fermentação, até que se tornem “passificadas”.

Durante o processo, as uvas perdem cerca de 35% de seu peso, o que acarreta uma perda na mesma proporção na quantidade de vinho, o que faz com que seu preço seja alto. Dessa técnica, associado ao seu amadurecimento em madeira e em garrafa, nasce o Amarone, um vinho estruturado, macio, com acidez viva e taninos doces. É quase um Porto, porém sem a adição de álcool. Um vinho grandioso que deve ser apreciado em momentos festivos ou de meditação.

Outra técnica de vinificação utilizada é chamada de Ripasso, criada pela Mais: as uvas são submetidas a uma segunda fermentação sobre as cascas e leveduras do Amarone. Esse processo aporta ao vinho, mais cor, álcool e mais complexidade de aromas, o que acontece no vinho Campofiorin, sendo uma opção mais acessível em relação ao preço cobrado pelos Amarones. Atualmente, Valpolicella Ripasso é uma denominação de origem “DOC” específica.

A empresa também produz vinhos na Argentina, pela Masi Tupungato, que emprega em seus vinhos a mesma técnica de produção. Provei quatro de seus rótulos, dois italianos e dois argentinos. Veja a seguir.

Masi Passo Blanco Pinot GrigioTorrontés 2013 – Mendoza – Argentina – R$ 88 – Wine4Friends e Vila Fruti

Nesse vinho branco incomum, a uva italiana Pinot Grigio passa pelo processo de apassimento por 15 dias para obter concentração. Muito fresco e aromático, com textura cremosa. Nota: 88/100 pontos

Masi Passo Doble Malbec Corvina 2010 – Mendoza – Argentina – R$ 99 – Vila Fruti e Wine4Friends

Feito com apenas uvas de vinhedos antigos de Corvina Veronese (a principal uva do Amarone) e Malbec. Notas de ameixa em calda e chocolate, com paladar macio e uma acidez viva. Nota: 87/100 pontos

Masi Campofiorin Rosso del Veronese 2009 – Vêneto – Itália – R$ 180 – Vila Fruti e Wine4Friends

Produzido pela técnica de dupla fermentação é delicioso, elegante, com notas de fumo e especiarias. Ótima acidez, o que o torna um vinho muito gastronômico. Nota: 90/100 pontos

Masi Brolo di Campofiorin Oro 2009 – Vêneto – Itália – R$ 240 – Wine4Friends e Vila Fruti

Inclui a casta Oseleta, uva autóctone de Verona, resgatada pela Masi. Ela compõe 10% do corte, reforçando a cor e a concentração do vinho. Um vinhaço! Nota: 93+/100 pontos

Philippine de Rothschild, uma personalidade dos vinhos de Bordeaux e proprietária de grandes vinícolas, como as de Château Mouton Rothschild, morreu ontem aos 80 anos.

A baronesa de Rothschild era presidente do Conselho de Administração e acionista majoritária da empresa familiar Baron Philippe de Rothschild, que produz e comercializa, entre outros, os Mouton Cadet, uma das referências mundiais de Bordeaux.

“Produzir vinho é relativamente simples, só os primeiros duzentos anos são difíceis.” (Baronesa Philippine de Rothschild)

A sommelière capixaba radicada em Paris, Marina Giuberti, promove na próxima terça feira, dia 26/08, às 20 horas no restaurante Soeta, um curso de degustação de champanhe de pequenos produtores.

Existem 15 mil produtores de champanhe na região de Champagne no norte da França , destes 11mil vendem suas uvas á grandes marcas de champanhe , outros 4 mil produzem um néctar de forma artesanal e tradicional . Ainda existem aqueles que buscam algo mais, querem que seus produtos proporcionem um momento de prazer único , inesquecível , que fique pra sempre na alma e na memória . Estes são poucos e a produção menor ainda . São estes produtores que serão apresentados nessa noite.

O curso será uma imersão ao mundo do champanhe: sua história, tradição, geografia, método de vinificação, armazenamento e serviço de sabragem , o método de Napoleão Bonaparte para abertura das garrafas. Análise sensorial prática, com ênfase na degustação, trabalhando a memória olfativa e o paladar.

Serão degustados 5 tipos de champanhes de produtores raros e artesanais , o “creme de la creme” da região. Champanhes degustados: DEHOURS, LASSAIGNE, EGLY-OURIET, GEORGES LAVAL E SELOSSE. Uma degustação única!

Serviço

Vagas limitadas, reservas e informações : [email protected] , 3026-4433 / 99849-5725 Participação : R$ 390,00

Provar uma taça de Vinho do Porto é sempre um momento especial. Generosos, além de oferecer muito prazer são cercados de história. Recentemente, ao final de uma magnifica degustação vertical foi oferecido aos participantes uma garrafa de Taylor´s Tawny 40 anos. Dentre as classificações de Vinho do Porto existe a de “Porto Tawny com menção de idade“, que obrigatoriamente envelhecem por períodos mais longos em cascos de carvalho durante – 10, 20, 30 e 40 anos, e melhoram quanto mais tempo estagiam por lá. Imaginem este 40 anos que degustei. Na taça mostrou uma enorme complexidade aromática, elegância e bastante equilíbrio entre acidez e dulçor. Nariz lembrando caixa de charuto, casca de laranja, florais, frutos secos e baunilha. Paladar potente, sem perder a elegância e complexidade. Um néctar dos deuses. www.qualimpor.com.br – R$ 1,000.00 – Nota: 97/100

290 amostras serão avaliadas por 120 enólogos divididos em oito grupos até o dia 28 de agosto

Foi na manhã de terça-feira, 19 de agosto, que os dois primeiros grupos de um total de 120 enólogos iniciaram a etapa de degustação de seleção da 22ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2014. Totalizando 30 enólogos, o time encerrou sua participação na quarta-feira, 20. Hoje, dia 21, dois novos grupos entram em campo até sexta-feira, 22, para encarar o desafio de avaliar às cegas as amostras.

A degustação ocorre no Laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho. O resultado, que contempla as amostras mais representativas, será apresentado para um público de aproximadamente 850 apreciadores no dia 27 de setembro, no Parque de Eventos de Bento Gonçalves.

PROGRAMAÇÃO

Dias 21 e 22 de agosto – Grupos C e D

Dias 25 e 26 de agosto – Grupos E e F

Dias 27 e 28 de agosto – Grupos G e H

Grupo C

Nome

Empresa

Anderson Schmitz

Amazon Group

Antoninho Calza

Calza Júnior Ind. e Comércio

Antonio Czarnobay

Bodegas Czarnobay

Bruna Cristófoli

Four Trees Inteligência & Valor

Daniel Dalla Valle

Domno do Brasil

Daniel De Paris

Vinícola Dom Cândido

Dario Crespi

Union  Distilery Maltwhisky

Ernando Bortolini

Vinícola Dom Miguel

Juarez Meneguzzo

Catafesta Ind. de Vinhos

Juliana Rossatto

Vinícola Don Giovanni

Laércio Spadari

Vêneto Mercantil

Maria Inês Balzan

FISUL

Paulo Tesser

Cooperativa São João

Silvério Salvatti

Agrovinícola Caminhos de Pedra

Vinicius Cercato

Dunamis Vinhos  e Vinhedos

Grupo D

Nome

Empresa

Adriano Miolo

Vinícola Miolo

André Donatti

Vinícola Campestre

Carlos Zanus

Vinícola Salton

Dácio Rubbo

ABE

Diego Pasini

Vinícola Dom Hermínio

João Carlos Taffarel

Embrapa Uva e Vinho

Luciano Scomazzon

Chandon do Brasil

Maciel Ampese

Vinícola Don Giovanni

Magnos Basso

Basso Vinhos e Espumantes

Marciel Vian

M. Vian Representações

Márcio Brandelli

Vinícola Almaúnica

Marco Salton

Estabelecimento Vinícola Valmarino

Roberto Lazzarini

Cooperativa Vinícola Aurora

Rudimar Lorenzet

Irmãos Molon

Samuel Cervi

Vinícola Galiotto

A novidade do evento é a Feira Gastronômica “Chefs na Praia” aberta ao público na orla de Ponta Verde

Nos dias 07, 08 e 09 de setembro vai acontecer o XIX Congresso da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança, que este ano será realizado em Maceió, Alagoas. O evento contará a presença de cerca de 100 congressistas e diretores da entidade, entre chefs e empresários vindos de diversos Estados como Pará, Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Paraná e Rio Grande do Sul. Para este ano, a grande novidade é a Feira Gastronômica “Chefs na Praia” que acontece no domingo (07), aberta ao público na orla de Ponta Verde das 11h às 17h. Na segunda-feira haverá a importante reunião plenária pela manhã e o coquetel de boas vindas à noite, na terça-feira o dia é voltado para confraternização dos congressistas. Essa é a segunda vez que o Congresso acontece na capital alagoana e para este ano a Associação promete um evento ainda melhor. “Estamos mobilizados para realizar um Congresso inesquecível em Maceió. Vamos receber os congressistas com toda a hospitalidade do povo alagoano e encantar a todos com nossa gastronomia e belezas naturais”, conta André Generoso, diretor presidente da ARBL.

A feira “Chefs na Praia” contará com stands de 10 restaurantes associados da Boa Lembrança e o público vai poder experimentar diferentes pratos criados pelos chefs por apenas R$ 10. Quem passar por ali também vai poder desfrutar de stands com cervejas, vinhos, bebidas não alcoólicas e sorvetes. Ainda no cronograma de atividades da feira, acontecerão aulas show de chefs da Boa Lembrança em cozinha gourmet montada em frente à praia.

Na segunda-feira, 08, vai acontecer a reunião plenária com a presença de associados e diretores da entidade. No encontro será apresentado o planejamento da Associação para o próximo ano, além da tão esperada aprovação de novos membros. O dia se encerrará com o coquetel de boas vindas do Congresso que acontecerá no restaurante Wanchako e contará com a gastronomia de todos os Associados alagoanos.

O XIX Congresso da Associação dos Restaurantes da Boa Lembrança recebe o apoio de Sebrae, Governo do Estado de Alagoas, Prefeitura de Maceió, Faculdade de Tecnologia de Alagoas, Palato, Manzwine, Casa da Indústria, Gráfica Ideia, Grupo Ultraplast, Grendene, Fika Frio, Prosin Pescados, Cevada Pura, Novo Brasil. Mais informações diretamente com a secretaria da Associação pelo número (81) 3429-0190. 

CONHEÇA MAIS A ASSOCIAÇÃO DOS RESTAURANTES DA BOA LEMBRANÇA

A Boa Lembrança nasceu em 04 de março de 1994, em Petrópolis (RJ), no intuito de promover o desenvolvimento da gastronomia brasileira. Sua proposta é representar um grupo de restaurantes que presa pela excelência e qualidade nos serviços, promovendo e divulgando a diversidade do setor através das peculiaridades regionais e do associativismo. A entidade também visa preservar e estimular o desenvolvimento das culinárias locais que compõe o cenário gastronômico do Brasil.

Atualmente a Boa Lembrança conta com cerca de 100 associados e sua sede fica no Recife, em Pernambuco. Além disso, possui membros em todas as regiões brasileiras, contando com uma rede de chefs e empresários de grande representatividade no país. Desde setembro de 2012 o chef André Generoso é o diretor presidente da Associação. Entre as atividades da ARBL podemos destacar a confecção do Prato da Boa Lembrança, Festivais Gastronômicos, intercâmbio de chefs, parcerias institucionais, produção literária e audiovisual, além de atuação nas mídias sociais e web. 

XIX CONGRESSO DA BOA LEMBRANÇA

Data: 07, 08 e 09 de novembro

Local: Maceió, Alagoas

Telefone: (81) 3429-0190

FEIRA GASTRONÔMICA “CHEFS NA PRAIA”

Data: 07/09

Local: Orla de Ponta Verde

Horário: das 11h às 17h

A convite de Petrus Elesbão, que há dez anos organiza eventos com vinhos brasileiros em Brasília, estive semana passada participando da Vinum Brasilis 2014, a maior feira exclusiva de vinhos brasileiros. A feira é tão importante que o Instituto Brasileiro do Vinho aproveita a feira para incluir no seu calendário de eventos, reforçando a participação de vinícolas brazucas. Paralelamente a feira aconteceu o 26º Congresso Nacional da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes e o Mesa ao Vivo, da revista Prazeres da Mesa. Um reconhecimento para a cidade de maior consumo per capta de vinhos do Brasil, cerca de quatro litros, contra uma média nacional de 2 litros.


Este ano, a 7ª edição do Vinum Brasilis aconteceu entre os dias 13 e 14 de agosto, na Faculdade de Gastronomia do Instituto de Educação Superior de Brasília, com a presença de 30 vinícolas nacionais das principais regiões produtoras – Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Vale do São Francisco e até de Minas Gerais. Nos dois dias de feira, mais de 2.000 pessoas passaram pelo evento, que tiveram a possibilidade de adquirir no local os vinhos que mais gostaram – “Além de darmos visibilidade ao vinho brasileiro, conseguimos ajudar as empresas a fecharem negócios”, comemora Petrus. Outra prova da relevância da Vinum Brasilis é que, a cada nova edição, aumenta a cobertura nacional do evento, com críticos, blogueiros e jornalistas de outros estados indo até a Capital Federal para acompanhar a feira. 


Antonio Coelho e Eugênio Oliveira, do blog Decantando a Vida

Entre os vinhos e espumantes, que estavam à disposição do público, muitos deles recentemente premiados em concursos internacionais, destaco o espaço do blog Decantando a Vida, de Eugênio Oliveira e Antônio Coelho (organizadores do evento), que trouxe ótimos rótulos de pequenos produtores ou de garagem. Entre eles estava o vinho Tabocas OAK 2012 (conheça aqui), elaborado no Vale do Tabocas, na região de Santa Tereza, Espirito Santo.


Dirceu Scottá (vice-presidente do Ibravin) e Petrus Elebão (idealizador e organizador da Vinum Brasilis)


Espaço Decantando a Vida sempre muito prestigiado – Antonio Coelho, Eugenio Oliveira, Alejandro Cardoso, Didu Russo, Duda Zagari, Adré Peres Jr. e José Luiz Pagliari.


Irineu (enólogo da Estrelas do Brasil) e Diego Bertolini (diretor de marketing do Ibravin)


Raquel e Andrea Lobos Martins, proprietária do restaurante Peppo Cucina (Porto Alegre –RS) e primeira dama da ABRASEL.


Bruno Agostini (Jornal O Globo), Duda Zagari (Confraria Carioca e Taylor´s), Alejandro Cardoso (Estrelas do Brasil) e Kiko Pascoal (Alafia Importadora).

Esse ano se repetiu a Seleção Brasileira de Vinhos de Brasília. O time de 11 rótulos escolhido por renomados sommeliers e formadores de opinião de Brasília elegeu dois vinhos brancos, quatro espumantes e, a maioria, sete vinhos tintos, que foram convocados a partir da degustação às cegas de 38 produtos de 23 vinícolas nacionais.


Segue a minha seleção do evento:

  1. Estrelas do Brasil Brut Champenoise Lote ll 2006 – R$ 50
  2. Maximo Boschi Espumante Brut Champenoise – R$ 40
  3. Aurora Brut Pinot Noir – R$ 40
  4. Routhier & Darricarrère Espumante Red Brut – R$ 60
  5. Adolfo Lona Orus Pas Dosá Rosé – R$ 120
  6. Era dos Ventos Peverella 2011 – R$ 160
  7. Don Giovanni Chardonnay 2012 – R$ 50
  8. Aurora Millésime Cabernet Sauvignon 2011 – R$ 70
  9. Primeira Estrada Syrah 2010 (MG) – R$ 80
  10. Salton Paradoxo Merlot 2012 – R$ 25
  11. Antonio Dias Tannat 2011 – R$ 50

Tour Gastronômico:

A convite da organização do evento participei de um tour gastronômico por Brasília, no qual indico três restaurantes.

Restaurante El Negro

Saboroso Prime Ribe

El Negro SCLN 413, bloco C, lojas 17 e 21 Brasília/DF Tel: (61) 3041-8775 – Aceitam todos os cartões

Baby Beef Rubaiyat

Sua magnífica adega

Endereço: SCES – Setor de Clubes Esportivos Sul, Trecho 1, Lote 1 – Asa Sul, Brasília – DF, 70200-001 – Phone:(61) 3443-5000

Grand Cru Importadora

Filé mignon, risoto de açafrão espanhol e chips de batata 

Endereço: SHIS QI 09/11 Bloco L Loja 06 – Lago Sul, Brasília – DF, 71625-205 – Telefone: (61) 3368-6868

Texto publicado originalmente na coluna Vivendo a Vida | C2 + Prazer & Cia | Jornal A Gazeta

Provar várias safras do mesmo vinho de forma sequencial – a chamada “vertical” – é uma verdadeira aula. Funciona assim: os provadores recebem uma pequena quantidade de cada safra, em taças marcadas – normalmente, em número de cinco vinhos – e costuma ter a presença de um “expert” ou do produtor para orientar a degustação. Nesse momento é possível analisar várias nuances, como o ano de safra e as suas condições climáticas, as técnicas de vinificação e as uvas utilizadas. É também possível avaliar as diferenças de aroma e sabor de uma safra para a outra que são também influenciados pelos anos de guarda.

O resultado de prova normalmente comprova que os vinhos são seres vivos e apresentam alterações em suas características ao longo de sua permanência em garrafa. Com o envelhecimento os tintos perdem cor, tornam-se mais macios e menos ácidos, e ganha complexidade. Para quem quer comprar vinhos para guardar, alguns indicativos de sua longevidade é o teor alcoólico, taninos, acidez e dulçor (muito álcool, muito tanino, boa acidez). Lembrando que somente 10% dos vinhos a venda no mercado tem essas qualidades.

Cabrito Assado, um prato típico do Douro foi a escolha para harmonizar.

Na semana passada participei de mais uma prova vertical no restaurante Lareira Portuguesa com as cinco ultimas safras do Roquette & Cazes, segundo vinho da união entre a família Roquette da Quinta do Crasto, no Douro em Portugal e a família Cazes do Château Lynch-Bages de Bordeaux, na França. A parceria começou em 2002 com o objetivo e produzir vinhos únicos na privilegiada região do Douro, com variedades de uvas autóctones da região, e a expertise de vinificação francesa. 

Em alguns anos, quando a qualidade das melhores barricas é absolutamente excepcional, um XISTO (R$ 700) é declarado. Este vinho tem uma produção muitíssimo limitada, a qual será oferecida apenas a alguns mercados do mundo. Seu nome é uma alusão ao solo xistoso da região.

É importante ficar atento a qualidade dos segundos vinhos, aqueles na hierarquia da vinícola são colocados abaixo dos tops de linha – melhoraram de tal modo que hoje não é exagero dizer que muitos deles são tão bons, e com certeza mais prontos do que os primeiros vinhos. Além disso, estão em uma faixa de preço mais acessível, como o Roquette & Cazes (R$ 130).

Turma de bem com a vida: João Palinha (Qualimpor – Importadora), Alexandre Henriques (Restaurante Gruta De Sto. Antônio – Niterói –RJ), Vanderlei Martins (Supermercado Carone), André Andrès (Jornal Metro), Marcelo Duque (Supermercado Perim), Leonardo Dantas (Qualimpor – ES), Silvestre Tavares (Blog Vivendo a Vida) e Boris Azevedo (Sommelier na Wine4Friends).

Nessa degustação, ficou muito clara a grande capacidade de envelhecimento desse tinto, sua densidade e, acima de tudo, a importância do clima em cada safra. Percebe-se uma fruta madura e limpa, uma textura aveludada e ótima acidez, com alguma alteração conforme o clima de cada ano.

Em todas as safras provadas, o corte deste tinto é Touriga Nacional, com maior percentual, seguida da Tinta Roriz (25%) e a Touriga Franca (15%). Quanto à madeira, sempre são 18 meses de estagio em barricas de carvalho francês (70% novas) provenientes do Château Lynch-Bages, e mais 18 meses em garrafa antes de ir para o mercado. Isso demostra claramente a intenção pela busca de mais frescor, equilíbrio e elegância, tornando-os mais prontos, mesmo jovens.

Avaliação pessoal

Roquette & Cazes 2007

Uma grande safra, mais fria e com menos rendimento, gerou um vinho com grande concentração de frutas e complexidade, mostrando um paladar com grande profundidade, taninos finíssimos, muito longo, concentrado e equilibrado. 97/100 pontos.

Roquette & Cazes 2008

Uma safra diferente, mais fria, porem com excelente amadurecimento das uvas. Na taça mostrou um nariz tímido, mas com um paladar gordo, macio e longo. Encanta pela textura, contudo não demostra potencial para evoluir. 90/100 pontos

Roquette & Cazes 2009

Foi à surpresa do painel por ser considerado um ano apenas médio. Safra muito quente, mas originando alguns vinhos absolutamente espetaculares, prontos para serem degustados como este. Não chega a ser igual a 2007, mas com muita semelhança. Rico em complexidade e elegância. 94/100 pontos.   

Roquette & Cazes 2010

Foi um dos mais apagados do painel, o que reflete uma safra difícil, com período quente e seco seguido de inverno úmido. A qualidade varia bastante. Mas não deixou de exibir a textura cremosa, comum em todas as safras degustadas. 88/100 pontos.

Roquette & Cazes 2011 (safra a venda no mercado)

Uma safra excepcional, considerada um das melhores da região, que rendeu um vinho de muita concentração. Expressivo mesmo na sua juventude, delicioso e encantador, macio, com ótima acidez, promete uma bela história pela frente. Não foi a minha melhor nota, mas encantou.  93+/100 pontos

Provamos também nesse almoço a safra 2013 do Esporão reserva branco e o porto Taylors 40 anos que farei um post exclusivo sobre eles.

Os vinhos são importados pela Qualimpor – www.qualimpor.com.br

O Blog Vivendo a Vida embarca hoje para Brasília (DF) onde vai participar de mais uma edição da Vinum Brasilis, a maior feira exclusiva de vinhos brasileiros. Estarão disponíveis cerca de 400 rótulos de aproximadamente 30 vinícolas durante os 2 dias de evento. Aguardem novidades!

NÃO HAVERÁ VENDA DE INGRESSOS NO LOCAL

Ingresso: R$ 60,00 (meia entrada) POR DIA.

Dias: 13 e 14 de Agosto (quarta e quinta-feira)

Local: Faculdade Iesb 613/614 sul (L2 Sul)

Horário: Das 17:00 às 22:00

Ingressos pelo telefone: 61- 8412 9781

Mais informações: www.vinumbrasilis.com.br e www.decantandoavida.com.br

Vitória será uma das cinco cidades brasileiras a receber o evento Grande Degustação dos Vinhos de Portugal – Road Show, no dia 5 de setembro, com a participação de 14 vinícolas das terras lusitanas.

O evento chega pela primeira vez ao Espírito Santo por meio da Vini Portugal, entidade gestora da marca Wines of Portugal, que reúne organizações profissionais ligadas ao comércio, à produção, às cooperativas e demais estruturas associativas do mercado de vinhos portugueses.

Aberta ao público, a primeira edição da Grande Degustação dos Vinhos de Portugal – Road Show Vitória será realizada no Hotel Sheraton, na Praia do Canto, das 14 às 20 horas, e contará com um seminário para profissionais do setor e a prova, na qual todos os participantes inscritos terão a oportunidade de degustar mais de 89 vinhos, oferecidos pelas 14 vinícolas, entre tintos, rosés, brancos, espumantes e do Porto.

As inscrições são obrigatórias tanto para o seminário quanto para a prova e podem ser realizadas pelo e-mail ou pelo telefone (11) 3149-9441.

Serão oferecidas 30 vagas para o seminário, cujo tema será “4 Vinícolas, 8 Vinhos, Sabores Únicos”. As inscrições estarão abertas até o dia 22 de agosto ou até as vagas serem preenchidas. A apresentação acontecerá das 14 às 15 horas. 

O diretor de Marketing da Vini Portugal, Nuno Vale, ressalta, porém, que as inscrições para a degustação são ilimitadas e destaca que a expectativa é que cerca de 150 pessoas participem desta primeira edição. 

“Será montada uma sala com mesas expositoras para que cada um dos 14 produtores possa oferecer seus vinhos para degustação, das 14 às 20 horas. O grande público fará a prova das 18 às 20 horas”, explica Nuno Vale.

Além da capital capixaba, a Grande Degustação dos Vinhos de Portugal – Road Show será realizada em São Paulo, no dia 26 de agosto; em Florianópolis, no dia 28; em Curitiba, no dia 1º de setembro; e em Ribeirão Preto, no dia 3. O evento é organizado pela Exponor Brasil.

VINÍCOLAS PARTICIPANTES

- Aliança – Vinhos de Portugal SA;

- Aveleda, SA;

- Bacalhôa Vinhos de Portugal SA;

- Casa Santos Lima – Companhia das Vinhas;

- Enoforum;

- Esporão Vendas e Marketing;

- Herdade da Comporta SA;

- Monte da Capela, Sociedade Agrícola e Comercial, Lda;

- Provam, Lda;

- Quinta do Crasto;

- Sociedade Agrícola da Romaneira, SA;

- Sociedade Agrícola e Comer dos Vinhos Messias;

- Sociedade Agrícola Encosta do Guadiana, Lda;

- Vinhos Quinta da Pedra Alta SA; 

VINHOS QUE SERÃO APRESENTADOS

1.    Messias 10 Anos: tinto

2.    Messias Tawny: tinto

3.    Quinta do Cachão: tinto

4.    Quinta do Valdoeiro: tinto

5.    2 Castas: branco

6.    4 Castas: tinto

7.    Assobio: branco

8.    Assobio: rosé

9.    Assobio: tinto

10. Esporão Reserva Branco: branco

11. Esporão Reserva Tinto: tinto

12. Bom Juíz Reserva: tinto

13. Monsaraz Red: tinto

14. Olaria Red: tinto

15. Reguengos Reserva Red: tinto

16. Herdade da Comporta: tinto

17. Herdade da Comporta: branco

18. Parus: tinto

19. Vinhas do Sado: tinto

20. Vinhas do Sado: branco

21. Bacalhôa Moscatel de Setúbal: moscatel (branco)

22. Catarina: branco

23. JP Azeitão: branco

24. JP Azeitão: tinto

25. Loridos Vintage: branco

26. Meia Pipa Private Selection: tinto

27. Monte das Ânforas: tinto

28. Quinta da Bacalhôa: tinto

29. Quinta da Bacalhôa: branco

30. Tinto da Ânfora: tinto

31. Alteza: tinto

32. Casa de Vila Verde Alvarinho: branco

33. Confidencial: tinto

34. Gran Passo Reserva Clássico: tinto

35. Portas de Lisboa: tinto

36. Portuga: tinto

37. Portuga Leve: branco

38. Quinta das Setencostas: tinto

39. Quinta de Bons-Ventos: tinto

40. Quinta do Espírito Santo: tinto

41. Portal do Fidalgo: branco

42. Varanda do Conde: branco

43. Alabastro: tinto

44. Aliança Dão: tinto

45. Aliança Dão Reserva: tinto

46. Casal Mendes Rosé: rosé

47. Casal Mendes Verde: branco

48. Espumante Danúbio Bruto: espumante branco

49. Espumante Danúbio Rosé: espumante rosé

50. Foral: tinto

51. Quinta dos Quatro Ventos: tinto

52. Vista: tinto

53. Aveleda Alvarinho: branco

54. Aveleda Reserva da Família Bairrada: branco

55. Casal Garcia Branco: branco

56. Casal Garcia Rosé: rosé

57. Casal Garcia Tinto: tinto

58. Charamba Douro: tinto

59. Quinta da Aveleda: branco

60. Herdade das Albernoas Branco: branco

61. Herdade das Albernoas Reserva: tinto

62. Herdade das Albernoas Tinto: tinto

63. Herdade Paço do Conde 2009: tinto

64. Herdade Paço do Conde Colheita Seleccionada: tinto

65. Herdade Paço do Conde Rosé: rosé

66. Herdade Paço do Conde Tinto: tinto

67. Herdade Paço do Conde Winemakers Selection: tinto

68. Vilares Reserva: tinto

69. Vilares Tinto: tinto

70. Crasto Superior: tinto

71. Crasto Superior: branco

72. Roquette & Cazes: tinto

73. Adega de Pias: tinto

74. Herdade da Capela Reserva: tinto

75. Monte da Capela: tinto

76. Terras de Pias: tinto

77. Terras de Pias Reserva: tinto

78. Quinta da Romaneira 10 Year Old Tawny: porto

79. Quinta da Romaneira Branco: branco

80. Quinta da Romaneira Doc Douro: tinto

81. Quinta da Romaneira Rosé: rosé

82. Quinta da Romaneira Syrah: tinto

83. Sino da Romaneira: tinto

84. QPA Douro Doc Branco: branco

85. QPA Douro Doc Tinto: tinto

86. QPA Douro Doc Tinto Reserva: tinto

87. QPA Porto Fine Tawny: porto

88. QPA Porto L.B.V 05: porto

89. QPA Porto Light Dry White: porto

SERVIÇO

Grande Degustação dos Vinhos de Portugal – Road Show Vitória

Data: 5 de setembro (sexta-feira)

Local: Hotel Sheraton, no Salão Tubarão

Endereço: Avenida Saturnino de Brito, 217, Praia do Canto, Vitória

Horário: Das 14 às 20 horas, com degustação para profissionais ao longo de todo o período e aberto para os consumidores das 18 às 20 horas

Entrada: Gratuita

Inscrições: Gratuitas e obrigatórias pelo e-mail  ou pelo telefone (11) 3149-9441.

Assessoria de Imprensa: RF Assessoria de Comunicação (Ingrid Pagani e Rose Frizzera) – (27) 3207-3351 / (27) 99989-2739