Amigos, o enólogo francês Michel Friou, responsável por elaborar um dos mais desejados vinhos do mundo, o chileno Almaviva, esteve em Vitória esta semana para apresentar a 20ª safra da vinícola – 2015, vinho do ano, considerado perfeito – 100 pontos – pelo crítico de vinhos americano James Suckling – que durante muitos anos trabalhou para a revista Wine Spectator.

James Suckling descreve Almaviva 2015 como “um vinho que simboliza a grandeza com sua intensidade, estrutura e equilíbrio, enfatizando a distância dos vinhos amadurecidos ao neoclassicismo com energia e nesse”.

Michel Friou também esteve na rádio Band News 90.1 FM ES, no programa “Amigos de Taça” que faço com o amigo Antônio Carlos Leite – em breve o link da entrevista estará disponivel no blog.

Na foto – Silvestre Tavares,  Michel Friou e Antônio Carlos Leite

Para quem ainda não sabe, a vinícola foi criada em 1997 através de uma “joint venture” entre o Château Mouton Rothschild na França e a Chilena Concha y Toro, sob o conceito de Chateau Francês. O vinhedo ocupa um terroir exclusivo, possui uma única adega e uma equipe técnica que se dedica unicamente a produzir este grande vinho. Estas características o transformam em um vinho de grande sofisticação, no qual se vende para o mundo todo, exceto os Estados Unidos, através de distribuidores especiais, os conhecidos “Negociantes de Bordeaux” e através de cadeias de distribuição.

No almoço (restautante Aleixo) para doze privilegiados, promovido por João Bosco, presidente da Vila Porto International Business, importadora exclusiva da Concha Y Toro para o Brasil, tive a oportunidade de provar três safras 1999, 2007 e a badalada 2015.

Almaviva 1999 | Álcool 13,5% | Puente Alto | Maipo | 78% Cabernet Sauvignon, 19% Carménère e 3% Cabernet Franc | 16 meses em barricas novas de carvalho francês.

Nariz aberto, franco, com notas de mentol, terra molhada, tabaco, couro e muitas especiarias. Paladar macio, muito equilibrado – no seu auge, mas acredito que vai nesse nível por alguns anos. Talvez o melhor Almaviva que provei. Para beber ajoelhado!

Almaviva 2007 | Álcool: 14,5% | Puente Alto | Maipo – variedades: Cabernet Sauvignon 64%, Carménerè 28% e Cabernet Franc 7% e Merlot 1% | 18 meses em barricas novas de carvalho francês.

Nariz aberto, com frutas negras e vermelhas, muito maduras, madeira evidente, tostados e especiarias. Paladar fino, aveludado, com grande concentração. O mais potente dos três.

Almaviva 2015 | Álcool: 14,5% | Puente Alto | Maipo – variedades: Cabernet Sauvignon 69%, Carmenere 24%, Cabernet Franc 5%, Petit Verdot 2% | 18 meses em barricas novas de carvalho francês.

Nariz potente, aberto com 30 minutos na taça, mostrando uma fruta madura deliciosa, madeira bem trabalhada, se integrando, claro. Paladar denso e aveludado, com taninos doces e finos. Desde jovem mostra sua classe, com concentração X equilíbrio. Já é um grande vinho.

*O vinho custa em torno de 1 mil reais no mercado nacional

Comments

comments