search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

O movimento natural chegou com tudo no mundo dos vinhos. Cada vez mais apreciadores da bebida de baco procuram rótulos menos industriais e com baixa porcentagem de aditivos químicos, que nesse mundo são divididos em três categorias: os vinhos naturais, os vinhos orgânicos e os vinhos biodinâmicos.

No caso dos orgânicos o cultivo é feito sem a utilização de agrotóxicos, substâncias sintéticas e adubos químicos. O intuito é manter o equilíbrio do ecossistema e proteger o meio ambiente, contribuindo, assim, para todos os envolvidos na cadeia – da terra ao consumidor final.

Já nos biodinâmicos começa com o cultivo orgânico das uvas, mas essa etapa é apenas o início de um trabalho minucioso e ancestral da agricultura que se baseia na observação das fases da lua, das estações do ano e da influência do sol sob as plantas.

E por fim os naturais. Embora ainda não haja uma legislação oficial, os vinhos são produzidos exclusivamente a partir do sumo da uva, sem a remoção ou adição de absolutamente nenhum elemento durante todo processo.

Na semana passada em virtude da 9ª edição da Vitória ExpoVinhos tive a oportunidade de conhecer pessoalmente o trabalho e os vinhos elaborados pelo casal Valentina Grez e Yves Pouzet, enólogos e proprietários da vinícola Tipaume, Chile. Em almoço na Cantina do Bacco, na Praia do Canto, eles explicaram como descrito acima, a filosofia biodinâmica, que resulta em vinhos mais frescos, complexos, saborosos e saudáveis. Ah, o bate-papo foi regado a uma pequena vertical de seus vinhos.

A vinícola nasceu em 1996 com 7 hectares no vale Alto Cachapoal, Chile. O enólogo Yves Pouzet, francês nascido em Beaujolais, França, com muita experiência internacional em países como India, Peru, USA e Brasil, decidiu firmar raiz no Chile e produzir vinhos orgânicos e biodinâmicos, no qual tem a certificação da Demeter.

Para iniciar os trabalhos foi servido Tipaume cremant 2009, um espumante rosé, produzido pelo método tradicional (9 anos em autólise), sem adição de açucar e uma mescla de 90% de Pinot Noir e 10% Viognier. Se mostrou bastante seco, com boa acidez e boa expressão da PN. Apenas 500 garrafas produzidas. Coisa finíssima!

Seguimos com uma memorável vertical com rótulos da vinícola Tipaume – Grez (Ânfroras de 150 litros) 2016, 2015 e 2013 – Tipaume (Barrica 400 litros) 2015, 2014, 2012 e 2008. Frescor, complexidade e elegância. Todos muito integros, mostrando sua capacidade de evolução.

Uma degustação vertical é quando varias safras do mesmo vinho são provadas de forma seqüencial. São colocados na mesa do provador 50 ml de cada safra. Os provadores analisam tecnicamente como as condições climáticas de cada ano, as técnicas de vinificação e os aspectos da viticultura podem influenciar nos aromas e nos sabores do vinho. Na prova podemos sentir as diferenças no aroma e no gosto de uma safra para a outra que são também influenciados pelos anos de guarda.

Os dois tem a mesma mescla e percentagem de uvas: Carmenére 60%, 30% Cabernet Sauvignon, 4% Merlot, 3% Lacrima Cristo, 2% Viognier e 1% Malbec, porem com métodos de vinificação diferentes.

Grez 2015 ( R$ 190,00)– vinificado em ânfora de barro, um dos mais antigos recipientes para conservar e transportar líquidos. A ânfora serve há mais de dois milénios para fazer vinho. Seu grande diferencial é a micro oxigenação natural proporcionada pela porosidade do barro. Tive a oportunidade de provar o resultado. Uma delícia, fruta limpa, fresca, mineral e toques terrosos. A minha praia no momento.

Tipaume 2015 (R$ 150,00) – a vinificação do Tipaume acontece em barris de carvalho de 400 litros (20% dos quais são novos). Nesse caso ganha uma textura mais sedosa, sedutora, com notas de café, baunilha…tudo muito sutil sem atropelar a fruta, e que fruta, sempre em destaque.

As safras disponiveis do Tpaume e do Grez são 2015 e podem ser adquiridas com Boris Azevedo da importadora Santiago Vinhos pelo telefone (27) 98178-6379 ou pelo email boris@santiagovinhos.com.br. Além disso, visitas a vinícola também podem ser agendadas pelo mesmo contato.

Na tarde desta quarta-feira (28), durante a abertura do Vitória Expovinhos 2017 na Arena Vitória, foi apresentado o resultado do Prêmio Top Five, que elege os cinco melhores vinhos em seis categorias. Os jurados, dentre eles, Silvestre Tavares, editor do Blog Vivendo a Vida, avaliaram centenas de vinhos inscritos pelos expositores em degustação às cegas, ou seja, sem saber qual é o vinho que está sendo provado.

O Top Five premia os cinco vinhos mais bem pontuados em cada uma das seis categorias: tinto e branco do velho mundo, tinto e branco do novo mundo, espumante e vinho de sobremesa. Não há, portanto, um vencedor, mas os melhores pontuados.

Com o resultado do Prêmio divulgado antes do início do evento, possibilitará que os participantes conheçam os vencedores e possam degustá-los na feira, que funciona no formato Wine Tasting. Nesse modelo, o participante inscrito recebe uma taça de cristal na recepção e pode degustar todos os vinhos apresentados pelos expositores. A previsão é que mais de 1000 rótulos de 18 países sejam apresentados pelos mais de 60 expositores.

O Vitória Expovinhos é uma realização da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Espírito Santo (Fecomércio-ES) e acontece nesta quarta e quinta (28 e 29/06), na Arena Vitória, capital capixaba. Mais informações: www.rotaeventos.com.br

Brancos do novo mundo

  1. La Playa Block Selection Chardonnay – Chile – Costa De Colchagua – Chardonnay – 2015
  2. Pizzato Gran Reserva Legno – Brasil – Vale Dos Vinhedos/Bento Gonçalves – Chardonnay – 2016
  3. Veo Grande Chardonnay Viogner – Chile – Valle de Curicó – Lontué – Chardonnay 80% – Viognier 20% – 2011
  4. Kim Crawford Sauvignon Blanc – Nova Zelandia – Marlborough – 100% Sauvignon Blanc – 2015
  5. In Situ Vineyard Selection Reserva – Chile – Aconcagua – 100% Sauvignon Blanc

Brancos do velho mundo

  1. Guru – Douro – Portugal – Gouveio, Viosinho, Rabigato e Códega – 2014
  2. Esporão Private Selection – Alentejo – Portugal – Semillon – 2014
  3. Sottal – Lisboa – Portugal – Moscatel / Arinto / Vital – 2015
  4. Utopia Reserva – Portugal – Douro – 2015
  5. Prova Regia – Portugal – Lisboa – Arinto – 2014

Espumantes

  1. Marcus James Brut – Brasil
  2. Vértice Millésime – Portugal
  3. Pizzato Brut Branco – Brasil
  4. Espumante Garibaldi Chardonnay Brut – Brasil
  5. Casa Valduga Gran Reserva Nature – Brasil

Vinho de sobremesa

  1. Porto Ceremony Tawny 20 Anos
  2. Mosketto White – Itália
  3. Quinta da Pedra Alta Porto Reserva
  4. Late Harvest Emiliana – Chile
  5. Erasmo Torrontel – Chile

Vinhos tintos do velho mundo

  1. Fonte Mouro Reserva 2014 – Portugal
  2. Peninsula de Lisboa 2014 – Portugal
  3. Compasso Grande Escolha – Portugal
  4. Confidencial Reserva – Portugal
  5. Vinho Quinta da Pedra Alta Grande Escolha D.O.C

Vinhos tinto do novo mundo

  1. Aurora Millésime 2012 – Brasil
  2. Vinho Mythic Block Malbec 2012 – Argentina
  3. Garzón Estate Tannat de Corte 2015 – Uruguay
  4. Chateau Ste. Michelle Merlot 2014 – USA
  5. Apaltagua Colection Carignan 2013 – Chile

Está chegando o Vitória ExpoVinhos 2017, o evento vínico mais esperado do Brasil. Entre os dias 28 e 29 de junho na Arena Camburi.

ATRAÇÕES: Feira em formato wine tasting com mais de 1.000 rótulos de vinhos de 20 países, cursos para profissionais do vinho, palestras e prêmio Top Five (que elege os cinco melhores vinhos em seis categorias).

NOVO LOCALArena Camburi, em Jardim Camburi

VALOR: R$ 150 um dia / R$ 250 dois de evento. Garanta sua vaga: https://credencialonline.com.br/expovinhos2017 ou

PONTOS DE VENDAS:
Supermercado Carone da Praia da Costa (Av. Champagnat, 920, Vila Velha);
Supermercado Carone de Santa Lucia (Av. Rio Branco, 77, Vitória);
Val do Rio (Av. Nossa Senhora dos Navegantes, 955, loja 15, Ed. Global Tower, Enseada do Suá, Vitória, próximo ao TJ). Horário de funcionamento: 8:30 às 11:00 / 12:15 às 18:30, de segunda à sexta

Confira a programação de cursos e palestras:

DIA 28-06

Abertura Oficial

18:00hs – Abertura Oficial

Curso – Auditorio A

08:00 às 12:00hs -  Arena Camburi Eventos

Curso de Noções Básicas do Vinho - Célio Alzer

14:00 às 17:30hs – Arena Camburi Eventos

Curso Avançado do Vinho – Célio Alzer

Palestras

18H AS 19H – AUDITORIO B

Tema: “Biodinâmico”

Palestrante: Alvaro Spinoza

19H30 AS 20H30 – AUDITORIO B

Tema: “Inovação e Diferenciação na Produção de Vinhos”

Palestrante: Duarte Leal da Costa – Ervideira

Funcionamento da Feira para Público– 18 às 23h

Dia 29-06

Curso – Auditorio A

08:00 às 12:00hs -  Arena Camburi Eventos

Curso de Noções Básicas do Vinho - Célio Alzer

14:00 às 17:30hs – Arena Camburi Eventos

Curso Avançado do Vinho – Célio Alzer

Palestras

18H AS 19H – AUDITORIO B

Tema: “Espumantes Brasileiro”

Palestrante: Daniel Siqueira – Miolo

19H30 AS 20H30 – AUDITORIO B

Tema: “Vinho do Porto Taylor’s”

Palestrante: Duda Zagari

Funcionamento da Feira para Público– 18 às 23h

Uma ótima oportunidade para quem quer abastecer a adega. A Espaço DOC, loja, importadora e distribuidora de vinhos, promove a partir das 18 horas desta quinta-feira (22) uma degustação com rótulos do velho mundo no hotel Sheraton, Praia do Canto.

Cerca de 30 rótulos de vinhos (lista abaixo) de diferentes regiões de cinco países – Itália, França, Portugal, França e Israel, estarão disponíveis para degustação, incluindo algumas novidades e novas safras.

Os participantes do evento poderão adquirir os rótulos com 25% de desconto.

Interessados devem fazer as inscrição com antecedência, pois a degustação tem número limitado de vagas.

Serviço

  • Local: Hotel Sheraton Vitoria, na Praia do Canto
  • Data: 22/06/2017 (Quinta Feira)
  • Horário das 18:00hs até ás 22:00 hs
  • Valor: R$ 110 (50 primeiros) R$ 130 (até 100 inscritos) os demais R$ 150,00. Vagas Limitadas.
  • Formas de pagamento pelo site (à vista ou nos cartões) e na loja Espaço D.O.C no Shopping Day by Day na Praia do Canto/Vitória.
  • Telefone: (27) 3024-1222

Lista de vinhos disponíveis

Itália

Abruzzo

Caldora Colle Dei Venti Montepulciano D’Abruzzo 2009 | R$ 170

Basilicata

Piano Del Cerro Aglianico del Vulture Riserva DOC 2010 | R$ 274

Friuli

Trentanni Predicatum IGT Terre di Chiara 2012 | R$ 180

Piemonte

Nebbiolo Perbacco Vietti 2015 | R$ 189

Barolo “Suoi” DOCG Gianni Gagliardo 2011 | R$ 250

Barolo Terre DOCG 2011 | R$ 270

Sicilia

Cavadiserpe IGT Mandrarossa 2011 | R$ 170

Alta Quota Montepulciano D’Abruzzo Gran Sasso 2011 | R$ 215

Toscana

Sangiovese di Toscana IGT Tenuta Montecchiesi 2013 | R$ 141

Poggio Al Tesoro Mediterra IGT 2012 | R$ 193

Preziosaterra Rosso Toscano Tenuta Montecchiesi 2011 | R$ 207

Chianti Classico Barone Ricasoli 2013 | R$ 237

Brunello Di Montalcino Val di Suga 2011 | R$ 370

Veneto

Palazzo Della Torre IGT Allegrini 2013 | R$ 176

Valpolicella Ripasso Mara Superiore Cesare 2012 | R$ 210

Jema Cesare 2009 | R$ 352

França

Graves – Bordeaux

Clos Floridène 2012 | R$ 204

Médoc – Bordeaux

Chateau Moulin de BelAir 2012 | R$ 186

Bourgogne

Marsannay Louis Latour 2014 | R$ 219

Rhône

Côtes du Rhône Réserve Rouge Famille Perrin | R$ 106

Espanha

Ribeira Del Duero

Valduero Crianza 2011 | R$ 289

Rioja

Vivanco Crianza Dinastía Vivanco 2012 | R$ 114

Beronia Reserva 2012 | R$ 174

Marques de Tomares Gran Reserva 2008 | 196

Portugal

Reguengos Garrafeira dos Sócios Doc 2012 | R$ 189

Manz Pomar do Espirito Santo Reserva 2013 | R$ 189

Israel

Galiléia

Yarden Cabernet Sauvignon 2012 | R$ 269

Antigos armazéns de envelhecimento e engarrafamento de vinho do Porto, deixados ao abandono em pleno centro histórico de Vila Nova de Gaia, vão dar lugar ao World of Wine, um projeto tão grande quanto ambicioso: só numa primeira fase, o WoW, da iniciativa do grupo The Fladgate Partnership, vai ocupar 30 mil metros quadrados (numa segunda fase serão alocados outros sete mil).

O projeto, uma espécie de parque temático de lazer com forte vocação na educação vínica, resultará num investimento entre 80 a 100 milhões de euros (parte da conta será abatida por fundos europeus) e está há três anos a ser cozinhado com o contributo de várias organizações, Câmara de Gaia incluída.

Foi a evolução do negócio do vinho do Porto que forçou o abandono dos respetivos armazéns — houve necessidade de retirar as linhas de engarrafamento que existiam no centro histórico, sendo que atualmente existe maior capacidade de armazenamento de vinho no Douro. Coube ao diretor geral do grupo Fladgate, Adrian Bridge, a iniciativa de dotar o espaço de uma nova utilização, pelo que em junho de 2020 — se tudo correr bem — o World of Wine abrirá as portas para que todo o turista adquira um vasto conhecimento sobre vinho.

Não é por acaso que o World of Wine vai ter cinco experiências culturais, como quem diz museus: um primeiro dedicado ao vinho português, de norte a sul do país, ilhas incluídas; outro com enfoque na cortiça, sua transformação e indústria, em parceria com o grupo Amorim; um único espaço para contar o percurso do Porto e do norte de Portugal e o último com a história do copo em destaque, numa exposição com mais de 360 copos, sendo que o mais antigo tem 8.000 anos.

Os museus funcionam como âncora, sendo que o parque temático dedicado à bebida que deus (Baco) fez vai oferecer ao visitante a oportunidade de comer em 12 restaurantes diferentes, do gourmetao bistrô — wine bar incluído. Haverá ainda um espaço com 600 metros quadrados para eventos e exposições temporárias e ainda uma escola de vinho, em colaboração com o Wine & Spirit Education Trust.

A ideia não é propriamente vender o vinho das marcas compreendidas pelo grupo The Flagdate Partnership — até porque as Caves Taylors estão ali perto –, mas sim continuar a criar embaixadores para o Porto e para o vinho e gastronomia que caracterizam a cidade e região. De referir que este é o mesmo grupo por detrás do já tão falado hotel The Yeatman.

O World of Wine representa não só a criação de 350 postos de trabalho, como a receção inicial estimada de 560.000 visitantes.

Fonte: Observador.PT

Foi divulgado nesta quarta-feira (7), o resultado do concurso Top Ten, da Expovinis 2017, que indica os melhores vinhos do evento em dez categorias: Espumantes nacionais, Espumantes Importados, Brancos Nacionais, Brancos Importados, Rosados, Tintos Nacionais, Tintos Novo Mundo, Tintos Velho Mundo I (Portugal e Espanha), Tintos Velho Mundo II (Itália, França e outros) e Fortificados e Doces.

Os rótulos foram eleitos por uma comissão julgadora formada por importantes profissionais do mundo do vinho. Liderado por Jorge Lucki, consultor e crítico, o júri esteve reunido durante dois dias para definir a seleção final.

O ExpoVinis é a única feira de vinhos realizada no Brasil e que integra o calendário mundial de eventos dedicados aos tintos, brancos, rosés e espumantes; reúne, anualmente, empresários eprodutores dos principais países da indústria vitivinícola. Recebeu, em sua última edição, um público formado 95% por profissionais da área. Dos mais de 8 mil visitantes em 2016, 75% eram influenciadores ou responsáveis diretos pela compra em seus estabelecimentos. É também o único evento do País a promover discussões sobre o segmento, encabeçadas por importantes nomes do mundo do vinho.

Top Ten da Expovinis 2017

Espumante Brasileiro: Peterlongo Elegance Nature
Espumante Importado: Gramona La Cuvée Reserva Brut (Espanha)
Branco Brasileiro: Sinais Sauvignon Blanc Don Guerino
Branco Importado: Clearview Chardonnay Reserve (Nova Zelândia)
Rosados: Chiaretto (Italia)
Tinto Nacional: Syrah Speciale Casa Verrone (Itobi – SP)
Tinto Novo Mundo: Km 0 Movi (Chile)
Tinto Velho Mundo: Pomar do Espírito Santo Reserva (Lisboa)
Tinto Velho Mundo (2): Château Fleur Cardinale Grand Cru Classé (Bordeaux)
Fortificados e Doces: Porto Messias 10 Anos.

Portugal ultrapassou a Argentina e ocupa agora o segundo lugar no ranking de vinhos importados no Brasil. Os dados são da Consultoria Ideal e mostram que houve uma evolução positiva – em volume e em valor – no primeiro trimestre de 2017, em relação ao mesmo período do ano passado.

Em volume, Portugal passou de 12% para 17,3% e, em valor, de 10,8% para 15,4%. A Argentina encontra-se agora na terceira posição, com 14,1% em volume e 14,1% em valor. O Chile lidera a tabela, detendo 42,6% das importações em volume e 42,9% em valor.

O Brasil é o nono mercado de exportação para os vinhos portugueses, e existe uma aposta crescente em ações de promoção no Brasil. Até ao final do ano, por exemplo, estão previstas iniciativas da ViniPortugal, do Instituto dos Vinhos do Douro e do Porto (IVDP) e dos Vinhos do Alentejo, boa parte com produção da EV-Essência do Vinho.

O Chile continua liderando o ranking, com 42,6% das importações em volume e 42,9%em valor. A soma dos três países que estão em 2º, 3º e 4º lugares (Portugal, Argentina e Itália) não ultrapassa o total dos chilenos. Mas o Chile perdeu um parte da sua presença neste primeiro trimestre no rateio total, caiu de 53% em volume para 42,6%.

Dobradinha com cream cheese, churrasquinho de boi com queijo e abacaxi, linguiças artesanais que levam desde a boa e velha carne de porco até os mais improváveis frutos do mar. Para os botequeiros de carreira, sejam os mais ousados ou aqueles tradicionais, vem aí notícia que é aprovação unânime quando o assunto é comer bem à mesa de bar: a 13ª edição do Festival Roda de Boteco chega à Grande Vitória com muitas novidades, sabores e cerveja gelada, evidenciando o que tem de melhor na cultura gastronômica da boemia capixaba.

A competição acontece entre os dias 2 de junho e 2 de julho, com petiscos de 41 bares e botecos de Vitória (11), Vila Velha (25), Serra (04) e Cariacica (01), criados especialmente para avaliação do público. Cada petisco do festival custa R$ 29,90 e vem acompanhado de uma Brahma Extra 600ml, exceto os bares BeerRoska, Casa do Cervejeiro, Spetto Gourmet e Steak & Beer  que trabalham exclusivamente com long necks e, por isso, vão oferecer duas por pedido.

Ao experimentar o tira-gosto, os amigos reunidos na mesa avaliam o prato, de acordo com os critérios mencionados, e depositam a cédula na urna. Os bares e botecos vencedores são anunciados no sábado, durante a festa Botecão, que acorre nos dias 7 e 8 de julho, no final de semana após o término do festival. Também são premiados os garçons eleitos pelo público com o melhor atendimento.

Entre os bares participantes, há aqueles que optaram por misturas exóticas para chamar atenção dos degustadores curiosos e maios ousados. Um exemplo é o Beeroska, de Vila Velha, que apostou em bolinhas de feijão fradinho com dobradinha, recheada com linguiça, bacon e cream cheese.

O festival também traz petiscos baseados em ingredientes típicos de outros estados, como abará, vatapá e caruru, no bar Oxente, em Vitória, e o pequi, fruto do cerrado muito utilizado na culinária sertaneja, que vem representado na farofa do petisco criado pelo Restaurante Prazeres da Roça, em Vila Velha. Peixes e frutos do mar também protagonizam petiscos de nove estabelecimentos e provam que, com amor e criatividade, há muitas formas não convencionais de agradar um botequeiro.

Além das opções que propõe ao público uma nova experiência com a gastronomia de bar, há também aqueles ingredientes tradicionais que são certeza de satisfação: a carne de porco está presente com diversos cortes e versões em 18 dos 41 estabelecimentos, seguido pela carne de boi, em 17 deles, e do bom e velho queijo, seja muçarela, cabacinha ou provolone, que harmoniza 11 das criações dos donos de bares para esta edição do festival.

A competição e o Botecão

Os botequeiros que aproveitam o festival como um bom motivo encontrar amigos avaliam os petiscos sob os critérios: temperatura da bebida; atendimento; higiene do local e sabor do tira-gosto, sendo que a qualidade da comida vale 50% da nota. O atendimento vem em segundo lugar, com 30%. A higiene do local e a temperatura da bebida são responsáveis por 10%, cada uma, no resultado da avaliação. Todos os botequeiros que comerem o petisco recebem as cédulas de votação. Após dar as notas, depositam diretamente na urna, que fica no estabelecimento.

Além do título de melhor bar ou boteco (categorias que se diferenciam de acordo com o porte do estabelecimento), o garçom que for reconhecido pelo público com o melhor atendimento recebe o prêmio de R$ 1 mil. O segundo lugar fica com R$ 750,00, e o terceiro ganha R$ 500,00.

Os premiados vêm a público no segundo dia da festa Botecão, que acontece nos dias 7 e 8 de julho. São dois dias de evento no Pavilhão de Carapina, em Serra, com a apresentação de grandes nomes. No sábado apresentam-se a Banda Dublin, o cantor Saulo Simonassi, o grupo Sambadm, Macucos, Yumi e Marcelo Ribeiro e a roda de samba da Regional da Nair. Já no sábado, a festa fica por conta das bandas Babulina, Derengos, Kalifa, Samba Terno, Reis da Noite – RDN e Raça Negra. Nos dois dias de Botecão há barraquinhas de todos os bares e botecos participantes do festival, oferecendo ao público presente os petiscos em tamanho e preços reduzidos.

O Roda de Boteco é realizado pela Ecos Eventos com o patrocínio do Frigorífico Saudali. A Brahma Extra é a cerveja oficial e o evento é apoiado pelo Sindbares/Abrasel, pelo Supermercado EPA, pela TV Gazeta e pelo Sebrae.

Serviço:

Roda de Boteco 2017

Data: De 2 de junho a 2 de julho
Onde: Em 41 bares e botecos da Grande Vitória – Vitória (11), Vila Velha (25), Serra (04) e Cariacica (01)
Valor: R$ 29,90, cada petisco com a primeira Brahma Extra grátis (exceto os bares BeerRoska, Casa do Cervejeiro, Spetto Gourmet e Steak & Beer  que trabalham exclusivamente com long necks e, por isso, vão oferecer duas por pedido)

Botecão 2017

Data: 7 e 8 de julho (sexta e sábado)
Atrações musicais:

Sexta-feira (07/07): Dublin (Cover U2); Saulo Simonassi (Pop Rock); SambaADM (samba e pagode); Macucos (Reggae, Pop, Rock, Rockcongo); Yumi+Marcelo Ribeiro (Rock e Pop Rock) e roda de samba da turma do Regional da Nair.

Sábado (08/07): Babulina, Derengos, Kalifa, Samba Terno, Reis Da Noite – RDN, Raça Negra e a premiação dos vencedores do festival.

Bares e botecos: barraquinhas com representantes dos 41 estabelecimentos oferecendo os petiscos do festival em tamanho e preço reduzidos.
Local: Pavilhão de Carapina
Abertura dos portões: 17h (sexta) e 14h (sábado)
Ingressos: pré-venda no site da Blueticket nos dias 30 e 31 de junho, com os ingressos a preço promocional de R$ 30,00 + taxa cada dia e R$ 55,00 + taxa o passaporte para os dois dias de botecagem.

Compra disponível também em 31 dos 41 estabelecimentos participantes a partir do dia 02/06: Bar do Getúlio; Bar do Zé; Bar dos Meninos; Barzito; Boteco do João; Capella; Casa do Cervejeiro; Castanheira Bar; Churrascão do Mineiro; Churrasquinho do Gugu; De Passagem Beach; De Passagem Botequim; Gostinho Mineiro; JP Petiscaria e Restaurante; Kabéco’s Bar e Restaurante; Marangas Bar; Mercearia Botequim; Mistura Fina Bar & Botequim; Oreste’s Bar e Restaurante; Petiscaria do Jojo’s; Quintal Steak Bar; Quiosque Vitalino; Recanto do Feijão; Regina Maris; Restaurante Moqueca; Restaurante Prazeres da Roça; Rio Botequim; Sheik’s Bar; Spetto Gourmet; Steak & Beer e Tropical Choperia.

A revista inglesa Decanter, referência internacional no segmento, realiza desde 2014 seu concurso de vinhos, o Decanter World Wine Awards (DWWA). Na edição de 2017, o desempenho dos vinhos brasileiros também foi muito positivo, com uma medalha de ouro para o Vista do Chá 2014, um 100% shiraz da vinícola paulista Guaspari, cinco medalhas de prata – Casa Valduga Leopoldina Chardonnay 2015, Ponto Nero Moscatel, Guaspari Vale da Pedra 2015, Guaspari Vista da Serra Syrah 2014 e Guaspari Vista do Bosque Viognier 2015, além de quinze medalhas de bronze, com o Maria Maria Sauvignon Blanc Bel 2015 de Minas Gerais aparecendo. Veja a lista completa aqui.

A 14ª edição do prêmio foi realizada em Londres, e contou com avaliação de mais de 17 mil vinhos, julgado por 219 experts, contando com 65 mestres de vinhos e 20 mestres sommeliers. As inscrições desse ano subiram 8% em relação ao ano passado e para um vinho ser premiado com medalha de ouro, é necessário atingir 95 pontos ou mais. Já para ganhar a prata o vinho deve ter de 90 a 93 pontos e para o bronze de 86 a 89.

Conheça mais sobre os rótulos premiados:

Vista do Chá 2014 – Syrah Medalha de Ouro – 95 pontos

Com um vinhedo limitado de apenas aproximadamente 4 hectares, a produção do Vista do Chá não ultrapassa 4 mil garrafas ano. Plantados há 1140 m de altitude, as plantas se adaptaram bem ao solo e as condições meteorológicas, o que resultou em vinho de cor rubi e aromas elegantes, que lembram frutas negras e que na boca se torna encorpado e equilibrado. As uvas para esse vinho foram colhidas manualmente e maceradas a frio por sete dias e a fermentação é feita em cuba de inox, seguido pela fermentação malolática em barrica. O vinho estagiou por 20 meses em barricas de carvalho francês para então ser engarrafado.

Vista da Serra 2014 – Syrah Medalha de Prata – 91 pontos

As videiras mais altas da Guaspari são ocupadas pelo terroir Vista da Serra. Plantados a partir de 1220 m de altitude, as plantas ficam de frente para a Serra da Mantiqueira. As uvas são selecionadas ainda nos vinhedos. São sete dias de maceração a frio, seguidos de sete dias de fermentação feita em cuba de inox, com délestage diária, além das remontagens. O vinho estagiou por 20 meses em barricas de carvalho francês o que originou um vinho de cor rubi intensa com reflexos violáceos, com aromas finos e delicados. Em boca, é um vinho de encorpado e bastante equilibrado, de interessante complexidade. Final de boca longo e agradável.

Vale da Pedra 2015 – Syrah Medalha de Prata – 93 pontos

O nome desse vinho, não veio ao acaso. O Vale da Pedra 2015 é uma referência aos granitos que afloram do solo onde as videiras foram plantadas. Para um vinho com aromas de frutas vermelhas com taninos macios e redondos, a Guaspari colhe manualmente as uvas das videiras mais jovens e de terroir diferentes pela manhã. Elas são desengaçadas e fermentadas em tanques de inox a temperaturas controladas. Depois desse processo, é transferido para barricas de carvalho francês onde estagiam de 6 a 8 meses. Já na garrafa, descansa cerca de 4 meses.

Vista do Bosque 2015 – Viognier Medalha de Prata – 90 pontos

Produzido 100% viognier, as uvas do Vista do Bosque 2015 foram colhidas em um período de baixa precipitação, que procurou uma boa combinação entre açúcar e acidez, resultando em um vinho frutado e aromático com complexos e intensos que salientam damasco, nozes e toques florais. Depois da colheita cachos passam por prensagem direta, e a fermentação alcoólica acontece em tanque de inox a baixas temperaturas. Após esse processo o vinho estagia em barricas especiais de carvalho francês de 300l e 600l ao longo de 10 meses.

No formato wine tasting, o Vitória Expovinhos este ano terá um espaço ainda mais amplo.

Entre os dias 28 e 29 de junho de 2017, Vitória (ES) sediará a 9ª edição do Salão Internacional de Vinho – Vitória ExpoVinhos. Consolidado como um dos mais importantes do Brasil, o evento trará mudanças estratégicas este ano. Nas principais novidades está a mudança de espaço: Em 2017, o Vitória ExpoVinhos, acontecerá na Arena Camburi, na Rodovia Norte Sul, em Jardim Camburi. Saindo de um espaço de 1.600 m² para 3.600m². Muito mais amplo, proporcionando um maior conforto aos participantes e com maior número de vagas de estacionamento.

O evento, realizado pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Espírito Santo – Fecomércio-ES, reúne em um só espaço produtos de altíssima qualidade, para o conhecimento do consumidor final, com exposição, degustação de produtos, capacitação, lançamentos de produtos de todo mercado brasileiro e internacional, com mais de 1200 rótulos.

São tintos, brancos, rosés e espumantes protagonizando dois dias de programação para profissionais e apreciadores da bebida: além do formato “wine tasting”, o Vitória ExpoVinhos promove palestras e cursos, conduzidos por profissionais que são referência no mercado.

Durante o evento, também acontece o já consagrado TOP FIVE, onde são premiados os cinco melhores vinhos em seis categorias: Brancos do Novo e do Velho Mundo, Tintos do Novo e Velho Mundo, Espumante e Sobremesa. Os rótulos vitoriosos serão identificados durante a feira com um selo exclusivo do prêmio.

As inovações não param por aí, este ano o Vitória ExpoVinhos abre as portas para mais dois nichos especialmente atraentes. O de cervejas especiais – também conhecida como artesanal ou premium -, e de cachaças. Para tanto, terá estandes específicos para elas. O evento destaca que a enologia e a gastronomia são segmentos que andam juntos, por isso também abriu mais espaços para produtores exporem nesta área.

“Acreditamos que essas implementações contribuirão para que o Vitória ExpoVinhos se consolide, cada vez mais, como um dos principais eventos brasileiros do segmento e cumpra o seu compromisso com o mercado: divulgando o vinho, aproximando pessoas e potencializando a realização de negócios”, destaca José Lino Sepulcri, presidente da Fecomércio-ES.

A 9ª edição do Salão Internacional de Vinho – Vitória ExpoVinhos, organizado pela Rota Eventos, irá proporcionar aos empresários e empreendedores com foco neste mercado e também aos apreciadores do vinho de qualidade, oportunidades de novos conhecimentos e da realização de grandes negócios.

Serviço:

9ª edição do Salão Internacional de Vinho – Vitória ExpoVinhos

Data: 28 e 29 de junho de 2017

Local: Arena Camburi, na Rodovia Norte Sul, em Jardim Camburi

Hora: 18h às 23h

Realização: Fecomércio-ES

Organizadora: Rota Eventos

Inscrição: http://www.rotaeventos.com.br