Potência na indústria do vinho no chamado Novo Mundo, o Chile acaba de divulgar, através da associação Wines of Chile, os dados mais recentes de suas exportações de vinhos. As informações são de agosto deste ano e indicam crescimento, em relação ao mesmo período em 2016, de 23,5% em volume e 26% em valor nos envios de vinhos ao Brasil.

O aumento das exportações em volume indica que os brasileiros estão consumindo mais vinhos chilenos; o crescimento em valor está relacionado, especialmente, à categoria de vinhos premium, que têm conquistado cada vez mais espaço em nosso mercado e impacta na elevação desse dado.

“O resultado é reflexo das estratégias da Wines of Chile, que vem focando suas ações na difusão do segmento premium, representado por rótulos mais complexos, sofisticados, com alto potencial de guarda e elaborados nos mais variados terroirs do Chile”, resume Mario Pablo Silva, presidente da associação.

Esses vinhos também representam as singularidades do país, que possui vales com vocação especial para vinhos de alta gama, como o Vale de Colchagua; passando por vinhedos tradicionais em regiões como o Vale do Maule, Vale do Maipo e Vale de Casablanca; chegando a regiões extremas como o Vale de Copiapó (ao Norte) e o Vale de Osorno (ao Sul).

De maneira geral, até o momento o aumento acumulado das exportações de vinho chileno é de 5,1% em volume e 5% em valor. Neste bom desempenho, destacam-se, além do Brasil, a China (elevação de 24,4% em volume e 29,1% em valor). Os rótulos do Chile lideram o ranking de vinhos importados no Brasil desde 2002 e fecharam 2016 detendo 47% do mercado.