Galera, na noite de quarta-feira, a convite do meu amigo Gilson Pimentel Muniz, fui conferir no restaurante Bendito Bistro (ao lado do day by day – Praia do Canto) alguns lançamentos do portfólio da Global Wines/Vinibrasil. Os vinhos foram apresentados por João Santos – Enólogo e Diretor Comercial da Vinibrasil.

A Global Wines é o maior produtor do Dão (centro norte) e um dos maiores do país, com quintas e adegas em várias regiões.

De tanto vender para o Brasil montaram um projeto no Sertão pernambucano, Vale do São Francisco, Vinibrasil. A região tem um diferencial que é produzir duas safras por ano, com resultados muito legais, principalmente nos seus espumantes.

Iniciamos os trabalhos com 3 espumantes da ViniBrasil, primeiro o Rio Sol Brut Blanc Grand Prestige e o Brut Rosé – R$ 35, todos dois elaborados pelo método Charmat, com a uva Syrah e 8 grs de açúcar por litro. Bastante aromáticos, frutados, e com o frescor que nosso clima pede. Perfeita combinação com um Ceviche. O terceiro espumante, o Premium, produção de somente 1.400 garrafas, é feito com as castas portuguesas Touriga Nacional, Arinto e Fernão Pires. Charmat longo e com o vinho base em madeira. Bastante estruturado pede comida e certa moderação.

Seguindo com os rótulos portugueses/Global Wines, inciamos com o Quinta de Cabriz Grilos Dão Branco 2015, delicioso corte de Encruzado e Cercial, mostrou notas florais e de frutas tropicais, perfeito para o dia a dia. Pode ser bebido sozinho mas acompanha muito bem uma infinidade de pratos mais leves e delicados.

O primeiro tinto foi o Quinta do Encontro, um tinto que mudou seu DNA, passando de Baga e Merlot, para um 100% Touriga Nacional, uva emblemática de Portugal.  Macio e cheio de fruta, que fica ainda mais gostoso se servido levemente refrescado. R$ 39,90

A expectativa estava alta com o Quinta de Cabriz Colheita Selecionada (Touriga Nacional, Touriga Franca e Alfrocheiro) R$ 55, incluído entre os 100 melhores vinhos de 2016 da respeitada publicação americana “Wine Spectator”. Na taça com alguns minutos respirando mostrou aromas agradáveis de frutas e um toque terroso, típico da região. Paladar fresco, boa acidez e final curto mas saboroso. Vale a compra, principalmente pelo preço e para quem quiser conhecer a tipicidade desta região.

Fechamos a noite com o que “Second Me” foi o melhor tinto da noite. Se trata do Quinta de Cabriz Reserva, nariz franco, com frutas negras, notas terrosas e aquele coquinho agradável do carvalho. Na boca é estruturado, com boa acidez e persistência. Por ser mais estruturado, vai bem com pratos mais intensos.