search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Archive for the ‘ Sem categoria ’ Category

A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) anunciou recentemente os nomes dos finalistas que vão ao Alentejo, em Portugal, disputar a final do concurso ‘O melhor sommelier do Brasil’. Foram mais de 150 profissionais na disputa, resultando em nove finalistas. O Espirito Santo será representado por duas mulheres – Mônica da Silva de Aquino, da faculdade Novo Milênio, e Marcia Lopes da importadora Porto a Porto.

O grupo percorrerá a região vitivinícola Alentejana e visitará vinícolas, terminando num teste prático. Um júri credenciado vai eleger o melhor. O resultado será divulgado no dia 10 de fevereiro. 

Etapa de São Paulo

  • Ademir Alves Fernandes Junior – World Wine
  • Pedro Henrique Sproesser Menezes Senna – Toque de Vinho

Etapa do Rio de Janeiro

  • Pedro Barradas Daltro – Senac RJ
  • Raphael Zanon – Restaurante Satyricon
  • Wallace Gonçalves Neves – Sheraton Gran Rio Hotel e Resort

Etapa de Porto Alegre

  • Maurício Roloff – Hotel Sheraton
  • Samuel Dias de Oliveira (natural de Santa Catarina) - Restaurante Ostradamus

Etapa de Vitória

  • Mônica da Silva de Aquino – Faculdade Novo Milênio
  • Marcia Lopes – Porto a Porto Importadora

Divulgados os vencedores do prêmio “Os Melhores do Ano 2016″ pela revista WINE – A Essência do Vinho. A revista WINE é uma publicação especializada em vinho e gastronomia, lançada em maio de 2006 e que já ultrapassou as 100 edições, estando atualmente a celebrar 10 anos de existência. Com periodicidade bimestral, está disponível nas bancas, em Portugal e no Brasil, e também através de versão digital, para tablets e smartphones.


“OS MELHORES DO ANO 2016″
REVISTA WINE – A ESSÊNCIA DO VINHO

VINHO DO ANO
Dona Maria Grande Reserva 2011 (Alentejo)

PERSONALIDADE DO ANO NO VINHO
Vasco d’Avillez (presidente CVR Lisboa)

PRODUTOR DO ANO
Herdade do Portocarro (Península de Setúbal)

PRODUTOR REVELAÇÃO DO ANO
Azores Wine Company (Açores)

ENÓLOGO DO ANO
Jorge Moreira (Douro)

SOMMELIER / WINE DIRECTOR DO ANO
António Coelho (Lasarte, Barcelona, Espanha)

MIXOLOGISTA DO ANO 
João Rodrigues (Columbus Cocktail & Wine Bar)

PERSONALIDADE DO ANO DA GASTRONOMIA
Duarte Calvão (gastrónomo, diretor do Peixe em Lisboa)

CHEFE DE COZINHA DO ANO
Henrique Sá Pessoa (Alma, Lisboa)

RESTAURANTE GASTRONÓMICO DO ANO
Loco (Lisboa)

RESTAURANTE COM MELHOR SERVIÇO DE VINHOS
Rei dos Leitões (Mealhada)

PRODUTO ARTESANAL DO ANO
Salmarim (Castro Marim)

DESTINO GASTRONÓMICO DO ANO
Mealhada

ENOTURISMO DO ANO 
Esporão (Reguengos de Monsaraz)

PERSONALIDADE DO ANO NO BRASIL
Jaime José Barcelos (restaurante Ostradamus, Florianópolis)

A indústria vitivinícola chilena acaba de enviar um comunicado à imprensa no qual lamenta profundamente a tragédia que o país vive por causa dos incêndios na zona centro-sul do Chile e os danos causados ​​a vidas e vinhedos, especialmente para pequenos produtores nas regiões de O’Higgins e Maule.

Uma mesa-redonda convocada pela Wines of Chile analisou os hectares de vinhedos queimados pelos incêndios que assolam o país: foram contabilizados 94 hectares de vitis vinifera afetados (no total, são 141 mil em todo o Chile). A perda de hectares até agora está concentrada em vinícolas de pequenos produtores em áreas próximas a colinas e florestas, várias delas com vinhedos centenários. Todo o setor vitivinícola chileno está unido para apoiá-los. Estão sendo aplicadas as medidas necessárias para identificar os problemas e contribuir com a busca de soluções concretas. 

A partir de informações recolhidas com as Rotas do Vinho de diferentes vales, Associações de Produtores, MOVI, VIGNO e a colaboração de vinícolas e produtores de várias regiões do país, concluiu-se que a situação é a seguinte:

- Casablanca: ainda em alerta em relação ao incêndio em Curacaví, mas sem vinícolas afetadas;

- Maipo: 10 hectares de vinhedos foram queimados na área de Pirque, incêndios subsequentes não foram detectados;

- Cachapoal: nenhum incidente ou alerta até o momento;

- Colchagua: as áreas mais afetadas são as de Peralillo e Marchigue, onde há 7 hectares de vinhedos afetados;

- Curicó: nenhum problema ou alerta relatado

- Maule: a área da Costa do Maule é a mais afetada. Até agora, foram identificados 75 hectares queimados, incluindo antigos vinhedos de Pais e Carignan. Esta investigação segue em processo, já que a área ainda está na contingência total;

- Itata e Bío Bío: possibilidade de novos incêndios que podem afetar pequenos produtores, mas ainda não há informações oficiais.

A cultura da vinha e do vinho acompanham o homem a milênios e ainda hoje esse tão conhecido néctar dos deuses ainda é capaz de maravilhar aqueles que tem o primeiro contato.

Hoje, porém, a nossa viagem ao mundo dos vinhos não vai assim tão longe no tempo-espaço, mas talvez tenhamos que retroagir uns bons 800 anos para sentirmos um pouco da história de uma peculiar zona de produção vinícola.

“Estamos a falar” de Portugal! Outrora território pertencente ao Império Romano, a então denominada Lusitania certamente foi o local de residência de verão do deus Baco. 

Não temos outra explicação para justificar tamanha quantidade e riquíssima variedade de uvas autóctones e de regiões vinícolas em um espaço de terra tão reduzida como é Portugal. Para se ter ideia do que estamos falando sobre a cultura da vinha e do vinho em terras lusitanas, os inúmeros terroirs presentes deste lado da Península Ibérica são a razão de existir de 14 regiões vinícolas demarcadas, que detém cerca de 250 castas de uvas autóctones que produzem 31 indicações de vinhos de classificação DOC!

Mas Portugal, como país tal como o conhecemos hoje, nasce no norte. Nas terras do Minho. Lá no longínquo ano de 868 quando se formou o então o 1° Condado Portucalense. E é justamente nessas terras do norte que nasce (ou renasce) uma nova forma de ver o mundo dos vinhos, uma nova forma que vem otimizar a ideia que temos das wines trips.

A PORTUGAL VINHOS DOC localiza-se em Braga, cidade um pouco acima de Porto, e por estar inseridos geograficamente dentro da Região Demarcada dos Vinhos Verdes (que é a maior Região Demarcada Portuguesa, e uma das maiores da Europa), não poderia de ter no enoturismo um dos seus principais produtos turísticos.

Assim, idealizando e executando roteiros e passeios ligados à vinha e aos vinhos, essa empresa lusitana propõe diversas formas de se fazer um bom enoturismo.

Partindo da premissa de que para se comprar um bom vinho simplesmente basta irmos à um supermercado ou à uma delicatessen, a PORTUGAL VINHOS DOC concentrou seus esforços em um enoturismo novo, através de um estilo mais voltado ao slow travel, moldado sob uma forma a mais personalizada possível e tendo como essência o ir ao encontro dos produtores de bons vinhos das diversas regiões vinícolas de Portugal e Espanha.

Para tornar real aquilo que pensaram em termos desse enoturismo mais personalizado, com ênfase no bem-estar dos clientes, conjugado com a busca de um maior conforto na viagem, bem como uma maior flexibilidade no ir e vir ao deslocar-se para visitar vinícolas, cidades e monumentos, a empresa utiliza veículos Mercedes-Benz com motorista (o que dá muito jeito para não nos preocuparmos com blitz, bafómetros, etc, etc), que comportam comodamente até 06 adultos.

Assim, percorrendo o interior, os passeios buscam o ir ao encontro de grandes e de pequenos produtores, para conhecer as suas vinícolas; falar com o enólogo que produz o vinho; ver a inteira gama das etiquetas produzidas (da mais simples até àquela premiada internacionalmente e de baixa produção), conhecer o terroir e o microclima que fazem com que aquela casta de uva autóctone produza aquele tipo de vinho único no mundo.

Com isso, a PORTUGAL VINHOS DOC desenvolveu três modalidades básicas de roteiros e passeios:

 A) One Day Wine Trip: Passeios de um dia de duração, onde o cliente, que já se encontra hospedado de acordo com a sua livre escolha de hotel e às suas expensas na cidade “A” ou “B”, é levado por nós para conhecer e saborear os vinhos de uma região DOC “x” ou “y” (ou mesmo duas regiões DOC no mesmo dia, a depender da proximidade entre elas e a distância a ser percorrida a partir da cidade de saída do passeio – One Day Wine Trip “Frontiers”).

B) Wines in Portugal: The Amazing Stopover: Pacote turístico com 3 Dias/2 Noites, que tendo como premissa principal a execução do passeio acima, acrescenta a logística (transfer + Hotel) de alojamento para duas pernoites na cidade do Porto. Esta modalidade é para nós o modelo ideal de conjugação de descanso em grandes viagens transatlânticas de/para a Europa e desfrute da boa enologia e gastronomia de Portugal.

C) Wines Road Trips: Pacotes turísticos de maior duração, onde é possível conhecer diversas regiões vinícolas, tanto de Portugal, como de Portugal & Espanha. Com base nessas três modalidades básicas, criamos as seguintes categorias de produtos para o nosso modelo de enoturismo: Alvarinho ou Albariño?; Regiões DOC de Portugal/Regiões DOC de Portugal “Frontiers”; La Semaine des Quatre Vins; Vinhos Espumantes; O Fantástico Universo Ibérico; Portugal Fish & Wine.

Então? Porque não Portugal? Porque não “VIAJE CONOSCO”? Porque não PORTUGAL VINHOS DOC?

Para maiores informações basta clicar no Banner publicitário posto na coluna a direita da homepage do Blog que assim abrirá o link de acesso ao website desta nova empresa lusitana com as suas magníficas Portuguese Wine Trips.

A revista Wine Spectator, que avalia vinhos do mundo inteiro, publicou a lista dos 100 melhores vinhos do ano de 2016. Em 76º lugar está o rótulo italiano Carpineto Vino Nobile di Montepulciano Riserva 2011, pontuado em 93 pelos avaliadores. O vinho pode ser encontrado no Brasil por R$ 219,00 a garrafa de 1.500 ml (magnum) na loja on-line Wine.com.br. Os Wine Hunters, Vicente Jorge e Manu Brandão, com mais de 20 anos de experiência na área dos vinhos e bebidas, apostou no potencial deste rótulo para trazê-lo com exclusividade ao país antes mesmo da divulgação da lista. Este exemplar recebeu também medalha de prata na International Wine & Spirit Competition.

O nome deste vinho faz menção a uma cidade renascentista de Montepulciano, localizada na província de Siena. A produção deste vinho na antiguidade era reservada exclusivamente aos aristocratas e famílias nobres da cidade. O Carpineto Vino Nobile di Montepulciano Riserva 2011 é um vinho “Riserva”, isso significa que o vinho pode ser comercializado após 3 anos de amadurecimento, tendo no mínimo um ano de amadurecimento em madeira. Além disso, ele deve ser elaborado com um mínimo de 70% da uva Sangiovese.

“Pensamos sempre em trazer a melhor experiência do mundo do vinho para nossos clientes para que eles possam descobrir toda a riqueza e sabor destes rótulos que são produzidos tão criteriosamente. Fazemos o trabalho da curadoria minuciosa para o nosso cliente não se preocupar e poder ter momentos de felicidade sem complicações”, afirma Vicente Jorge.

Wine Spectator

Wine Spectator é uma das fontes mais influentes de informações sobre o vinho.  Tanto o site como a revista apresentam classificações de vinhos, relatórios de degustação, notícias, blogs de editores e outros conteúdos originais.

Todos os anos os editores da Wine Spectator fazem uma pesquisa de vinhos degustados nos últimos 12 meses e selecionam uma lista dos 100 melhores baseados na qualidade, valor e disponibilidade. Link para a lista de 2016: http://top100.winespectator.com/lists/.

Jorge Lucki (CBN Brasil, Valor Econômico e Revista Prazeres da Mesa), o mais respeitado especialista de vinhos no Brasil, apresentou recentemente sua seleção anual com os melhores vinhos degustados em 2016. A lista reúne categorias como, Soberano (Normalmente não disponível no mercado), O melhor degustado do mercado brasileiro” e “A melhor relação qualidade/preço existente no mercado brasileiro.

Segue abaixo o link para lista completa.

Novo mundo >
http://www.valor.com.br/cultura/4808383/os-melhores-de-2016-novo-mundo

Velho Mundo >
http://www.valor.com.br/cultura/4815820/o-melhor-de-2016-velho-mundo

Resultado do recente tour na Argentina do crítico de vinhos e editor do Blog Vivendo a Vida, Silvestre Tavares, e o empresário Leonardo Freitas da importadora Vitória Foods, em parceria com Wines of Argentina, é a volta ao mercado brasileiro da bodegas López Montchenot. Também chamada no passado de Château Montchenot, está localizada na Cruz de Piedra (Alto Valle del Río Mendoza), Maipú, Mendoza, onde teve sua primeira colheita em 1960. A região tem um microclima privilegiado, verões quentes e secos, com dias ensolarados e noites frias. Essa notável amplitude térmica favorece o desenvolvimento das uvas, atingindo uma alta qualidade.

O grande “pulo do gato”, que tornam os vinhos dessa vinícola com um estilo inconfundível e uma enorme quantidade de fãs, é o seu processo de amadurecimento x madeira. O Montchenot 10 anos (180,00), composto de um corte de Cabernet Sauvignon, Merlot e Malbec, e a linha Chateau Vieux (R$ 125,00) com Cabernet, Pinot Noir e Merlot, envelhecem em barris de carvalho francês, de 5.000 a 20.000 litros de capacidade, onde o vinho evolui por 10 anos ganhando uma notável complexidade de sabores e aromas antes de ir para o mercado. Já os Montchenot nomeados de 15 e 20 años (ainda não disponível no Brasil) envelhecem mais 5 e 10 anos em garrafa.

O tamanho do barril influencia na qualidade do vinho? Quanto maior o recipiente, menor será o contato da madeira com o vinho e, consequentemente, menor e mais lento será seu efeito no sabor da bebida, aportando bastante elegância. Grandes tonéis de dez mil litros influem bem menos no vinho que pequenas barricas bordalesas de 225 litros (o padrão mais usado hoje no mundo).

Além da linha de alta gama a importadora trouxe para o mercado a linha Vasco Viejo Tinto (uvas – Tempranillo e Malbec) e Vasco Viejo Branco (uvas – Pedro Gimenez e Torrontes), ambos devem chegar às prateleiras com preços de R$ 35,00 a R$ 50,00 e a linha Traful branco e tinto. (Mais informações sobre os vinhos http://www.vitoriafoods.com/bodegaslopez).

O empresário João Paulo Diniz é o novo padrinho do projeto de apoio esportivo da Wine.com.br, o Team Wine. A parceria foi celebrada com o CEO da empresa, Rogerio Salume, e o Coordenador de Projetos Especiais, Edu Cozendey

João Paulo Diniz é apaixonado por esportes e está engajado em projetos focados na promoção e profissionalização da prática esportiva. Neste sentido, é Conselheiro da Atletas Pelo Brasil, uma organização sem fins lucrativos que reúne, em uma iniciativa inédita no mundo, atletas e ex-atletas de diferentes gerações e modalidades pela melhoria do esporte em nosso país. “Conciliar o esporte de alto rendimento, trabalho, família, amigos e lazer com treinos e dedicação esportiva é o objetivo principal do programa Team Wine. Ficamos muito contentes com nosso novo padrinho. O João Paulo representa muito bem nossa proposta por ser alguém tão aficionado aos esportes”, afirma Rogerio.

Com a nova parceria com o Team Wine, João Paulo Diniz dará suporte ao programa que, atualmente, apoia nove atletas que competem em provas de Maratona Aquática, Mountain Bike, Triathlon, Canoa Havaina, Vela – Classe Star e Crossfit. 

“Eu acredito no poder transformador do esporte. E é por isso que estou muito feliz em apoiar um projeto tão bacana como o Team Wine. É uma proposta diferenciada, que incentiva as pessoas a praticarem esportes e manterem hábitos saudáveis. Espero contribuir com o crescimento desta iniciativa”, afirma João Paulo Diniz.

O chef Jonathan Nery elaborou criações especiais para o Natal do Aleixo Restaurante. No dia 24 de dezembro a casa abre para o horário do almoço e o menu da área da varanda terá salada de camarão e salmão com vinagrete de tangerina e castanhas (R$ 49,00) e portafoglio de mignon com ravioli de ementhal e chia (R$ 42,00). O restaurante oferece ainda uma opção de prato fraternal, um menu afetivo feito para dividir em família. A opção da data é o bacalhau com natas (R$ 138,00) para duas pessoas.

Horário de Funcionamento Aleixo Restaurante

De segunda-feira a domingo, almoço e jantar.

24 e 31 de dezembro: 12h às 15h30

25 de dezembro: não abrirá

01 de janeiro: não abrirá

O concurso “O Melhor Sommellier do Brasil”, está em sua etapa final. A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA), organização que certifica e promove os vinhos da região do Alentejo (Portugal), anuncia os nove finalistas do concurso, promovido ao longo do mês de setembro, nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre e Vitória. São eles:

São Paulo

  • Ademir Alves Fernandes Junior – World Wine
  • Pedro Henrique Sproesser Menezes Senna – Toque de Vinho

Rio de Janeiro

  • Pedro Barradas Daltro – Senac RJ
  • Raphael Zanon – Restaurante Satyricon
  • Wallace Gonçalves Neves – Sheraton Gran Rio Hotel e Resort

Porto Alegre

  • Maurício Roloff – Hotel Sheraton
  • Samuel Dias de Oliveira- Restaurante Ostradamus

Vitória

  • Mônica da Silva de Aquino – Faculdade Novo Milênio
  • Marcia Lopes – Porto a Porto Importadora

Promovidas pelos Vinhos do Alentejo, a missão do concurso é revelar talentos brasileiros na área de vinhos. A segunda fase deste concurso terá lugar na região vitivinícola Alentejana, em Portugal, e irá constar de visitas a várias vinícolas daquela região, terminando num teste prático onde um juri bem credenciado levará a cabo a dificil tarefa de escolher “O Melhor Sommelier Vinhos do Alentejo no Brasil – 2016″.

“Com um total de 150 inscrições – mais que o dobro em relação a temporadas anterior –, a edição 2016 do concurso superou as expectativas. O nível de conhecimento dos sommeliers brasileiros é muito elevado. Com isso, excepcionalmente nesta temporada, selecionamos nove especialistas para a etapa final no Alentejo, em Portugal”. Afirma Maria Amélia Vaz, diretora de Marketing dos Vinhos do Alentejo.

O grande vencedor da edição 2016 do concurso será anunciado em janeiro, na região do Alentejo, em Portugal, pela Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA). A iniciativa tem o objetivo de descobrir e despertar talentos brasileiros para a área de vinhos, chamando a atenção para a produção do Alentejo, região que, pela expansão no número de garrafas, confirma cair, cada vez mais, nas graças do apreciador brasileiro.

SOBRE A CVRA – Comissão Vitivinícola Regional Alentejana

A Comissão Vitivinícola Regional Alentejana (CVRA) foi criada em 1989 e é um organismo de direito privado e utilidade pública que certifica, controla e protege os vinhos DOC Alentejo e os vinhos Regional Alentejano.

É também responsável pela promoção dos Vinhos do Alentejo, no mercado português e em mercados-alvo internacionais. Sua atividade é financiada através da venda dos selos de garantia que integram os contrarrótulos dos Vinhos do Alentejo.

Para mais informações acesse: www.vinhosdoalentejo.pt