search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

O maior clube de vinhos da América Latina, o ClubeW mantido pela Wine.com.br, chega a marca de 70 mil sócios. Em quase cinco anos de existência, os sócios do clube já receberam aproximadamente 3 milhões de garrafas de vinhos. Para celebrar, os Winehunters da empresa selecionaram vinhos italianos para o ClubeW One; sul-africanos para o ClubeW Classic; e chilenos para o ClubeW Premium.

Os winehunters são especialistas em vinhos que viajam o mundo todo em busca de rótulos, para o ClubeW e para a loja virtual, que surpreendam, agradem e encantem. “Viajamos muito para encontrar os melhores vinhos, nossa missão é descomplicar o mundo dos vinhos, e apresentar para nossos clientes o seu melhor lado: o prazer de degusta-los”, afirma Vicente Jorge, Winehunter da Wine.com.br.  

Segundo Rogerio Salume, presidente da Wine.com.br, alcançar a marca de 70 mil sócios no ClubeW mostra que a empresa está conseguindo fazer o que se propõem: entregar momentos felizes. “O que enviamos aos sócios é mais do que vinho. Dentro de cada Winebox, que chega ao endereço de nossos clientes, o que entregamos é felicidade”, diz Rogerio.

São três as categorias do ClubeW: o ClubeW One tem como características vinhos versáteis e fáceis de beber, para quem está começando a apreciar, R$ 25 reais por garrafa; o ClubeW Classic são vinhos selecionados para representar as mais clássicas regiões produtoras, de tradição e qualidade, de R$ 45 a R$ 55 por garrafa; já o ClubeW Premium consiste em seleções sofisticadas, para os apaixonados por vinhos que querem conhecer exemplares de produção limitada e de vinhedos nobres, de R$ 90 a R$ 110 por garrafa.

Em comemoração ao aniversário de 40 anos e também 25 anos de carreira da supermodelo britânica Kate Moss, a artista Jane McAdam Freud em colaboração com o restaurante 34, de Londres, decidiu criar uma taça especial para Champagne moldada no seio esquerdo da beldade, que será lançada no restaurante no dia 8 de outubro, com a presença de Moss e amigos, e preenchida com Champagne Dom Pérignon.

Via @revistaadega

O leilão anual Nederburg Auction homenageia a criatividade e talento dos melhores enólogos da África do Sul nos dias 12 e 13 de setembro, quando 112 vinhos , totalizando pouco mais de 12.000 litros estarão disponíveis para venda a compradores locais e internacionais.

A África do Sul é conhecida pela beleza natural, diversidade, a luta contra a segregação racial e seus vinhos. O país faz parte do chamado Novo Mundo – que reúne produtores fora do eixo Europeu e que se destacam na viticultura. Oitavo maior produtor do mundo – a produção de vinhos no país começou em 1959 -, os rótulos sul-africanos começaram a ser exportados a partir de 1994, com o fim do Apartheid.

Com uma rara combinação do estilo contemporâneo com a tradição do Velho Mundo os vinhos africanos conquistaram o paladar de todos. A cidade de Paarl, em Westerm Cape, é a porta de entrada para as vinícolas da região e é onde acontece o leilão Nederburg Auction.

 O evento é o mais antigo do Novo Mundo e está entre os principais do planeta, ao lado dos leilões de Hospice de Beaune na França e na Kloster Eberbach na Alemanha. Realizado anualmente, chega à sua 40º edição e acontecerá nos dias 12 e 13 de setembro.

Criado em 1791, a Nederburg está entre as mais conceituadas vinícolas do país. O primeiro leilão aconteceu em 1975, em conjunto com quatro outras casas. Desde então, o número de participantes é cada vez maior. Seu objetivo é promover o vinho local, divulgar os avanços do país na área e, ao lado disso, criar um canal para venda de safras antigas e recentes.

Ao todo, 112 vinhos participarão do evento dispondo vinhos para provas e oferecendo um amplo painel da vinicultura sul-africana. Os compradores e especialistas além das degustações também participarão de eventos que valorizam a cultura local.

Os rótulos Port, Edelkeur – o primeiro a participar do leilão em 1975, e Eminence – exclusivo para os compradores do Auction, são alguns dos rótulos da Nederburg que estão na prévia de produtos a serem leiloados.

Sobre a Distell

A Distell, empresa Sul-Africana de bebidas alcoólicas, foi criada no ano 2000 e é resultado da fusão entre duas tradicionais empresas, a Stellenbosch Farmers’ Winery (SFW – fundada em 1925) e a Distillers Corporation (fundada em 1945).

Hoje detém mais de 100 marcas distribuídas entre as categorias vinho, licor, conhaque, brandy, uísque, entre outras, e é a líder em produção e vendas de vinhos, cidras e bebidas prontas (RTD – ready to drink). Seu tradicional licor Amarula está presente no Brasil desde 1994. A empresa instalou um escritório próprio no Brasil desde sua origem como Distell, no ano 2000. Os vinhosNederburg estão presentes no Brasil desde 2007.

Evento reúne profissionais para discutir propostas para novas oportunidades ao setor

Como vender melhor vinhos e espumantes no Brasil? Essa é uma das inúmeras questões que serão trabalhadas por profissionais durante o Venda Vinho, um evento que apontará os desafios atuais desse mercado, entre hoje dia 01 e 02 de setembro, em São Paulo. A expectativa é que 350 participem.

Para os organizadores, além de desafios, dessa ação inédita eles esperam também que as informações compartilhadas possam servir de ferramentas úteis ao dia a dia de gerentes de lojas, dos restaurantes e sommeliers. Na ocasião, os profissionais poderão se aprofundar em cases de vendas; atendimento diferenciado ao público; valoração e preços que atraem mais os consumidores e que podem tornar a escolha do vinho ou espumante algo simples e prazeroso, no mercado nacional.

Segundo Didu Russo, “existem 30 milhões de brasileiros com capacidade para comprar uma garrafa de vinho por semana custando 25 reais. Isto faria com que a venda de vinhos finos chegasse a um bilhão de garrafas por ano. Número muito superior que as atuais 140 milhões de garrafas que são comercializadas todos os anos no Brasil.”

“O país tem forte potencial de crescimento, uma vez que apresenta consumo per capita de 2L/ano, ainda muito atrás de outros na América do Sul, por exemplo. Por isso, apresentar ideias e trocar experiências para novas possibilidades aos nossos vinhos e espumantes será algo bastante produtivo, trará benefícios para todos que atuam no setor” reforça Luciana Salton, diretora executiva da centenária Vinícola Salton, que fará sua palestra hoje.

A Conferência Venda Vinho terá também diversas degustações e todos os presentes receberão certificados de participação. O evento ocorrerá no Winehouse Baby Beef, na capital paulista e inscrições ou mais informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 4192-2120 ou pelo e-mail guia@jornaldovinhoecia.com.br.

O maior momento do vinho brasileiro ocorre no dia 27 de setembro

A 22ª  edição da Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2014 tem seu ápice no dia 27 de setembro, quando apreciadores do vinho de todo o Brasil e exterior assistem ao maior momento do vinho brasileiro. Quem quiser fazer parte deste acontecimento que celebra a evolução da qualidade dos vinhos nacionais deve ser rápido: as inscrições abrem no dia 3 de setembro, às 8h30min, perdurando até que as 850 vagas sejam preenchidas.  Interessados devem se inscrever pelo sitewww.enologia.org.br.

A representatividade das amostras selecionadas durante a etapa de degustação será conhecida em primeira mão por aqueles que participarem do evento.  Estes terão a oportunidade de degustar 16 amostras selecionadas entre as mais representativas em uma gama de 290 amostras inscritas por 58 vinícolas.

Além de uma experiência inigualável em sabores, aromas e emoções, a  22ª Avaliação Nacional de Vinhos é também um lugar para aprimorar conhecimentos de quem é amante da bebida. Cada uma das amostras é servida, degustada e comentada. Observações quanto aos aspectos sensoriais de cada vinho – visual, olfativo e gustativo – serão apresentadas por um dos comentaristas da mesa de convidados. O público, por sua vez, poderá tomar nota nessa verdadeira aula e fazer comparações com suas impressões, o que caracteriza o espírito educativo do evento.

Após as degustações, o grande momento: a divulgação dos vinhos classificados entre os 30% mais representativos da Safra 2014, e das 16 amostras selecionadas neste seleto grupo, refletindo a minuciosa análise feita por 120 enólogos brasileiros durante o período de 19 a 28 de agosto, no Laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho, instituição parceira da ABE e que presta todo apoio técnico ao evento. A 22ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2014 ocorre no Parque de Eventos de Bento Gonçalves.

Sorvete de Champagne

Chamado de Pops, o sorvete de champagne é feito pela Edina and Patsy of Absolutely Fabulous custa £ 5 (cerca de R$ 19) e é composto por 37% de Champagne. 

Conforme relatado pelo jornal Daily Mail, cada unidade tem 100 kcal. O sorvete está sendo divulgado em festivais ao redor do Reino Unido como o Henley Royal Reggata até o Veuve Clicquot Gold Cup, em Cowdray Park.

Para os fãs da bebida, caixas com 24 unidades podem ser adquiridas por £100. E, se o escritório ou casa do comprador se localizar no centro de Londres, a empresa ainda garante a entrega para maior comodidade de seus consumidores.

Fonte: Revista adega

Atento as informações no twitter me interessei pelo infográfico postado por um wine blogger internacional. A imagem (foto acima) faz parte de um estudo da Vinexpo sobre a tendência para o consumo de vinho em 2017. Entrei site da Vinexpo e verifiquei que é um estudo amplo, que abrange além do consumo, mostra a tendência para os próximos três anos da produção e distribuição mundial de vinhos. Porém para ter acesso a essas informações é preciso desembolsar 1.000 euros, link > (aqui). Mas já deu para verificar pela imagem que vazou no twitter que o Brasil deve ser um dos 10 maiores consumidores de vinho tinto do mundo em 2017. Esse é o motivo do grande interesse de produtores mundiais pelo Brasil ultimamente.

Mais uma vez a Confraria se reuniu no Bistrô “Sonho da Pulga” para jogar conversa fora, apreciar bons vinhos e uma gastronomia de primeira assinada pelos confrades, Aldir Manoel e Flavio Maraninchi.

Provamos seis tintos chilenos de primeira gama, todos da safra 2003 – chamada degustação horizontal – que nesse caso teve objetivo de avaliar o comportamento dos vinhos x uvas (maioria Cabernet Sauvignon) em regiões (maioria Maipo) de uma determinada safra (2003) e país (Chile). A safra 2003 no Chile foi muito boa para os tintos, com condições climáticas favoráveis.


A degustação foi boa, às cegas, como em todos os encontros, mas não chegou empolgar no geral. Num nível desses, com rótulos custando 400 reais em média, não se espera apenas bons vinhos, mas sim excepcionais.

Como era de se esperar, os vinhos estavam na meia idade, muito parecidos, concentrados, com a maioria apresentando muita madeira e uma fruta primária. Os vinhos que me chamaram atenção foram o Carmen Gold Reserve 2003 e o Viña Quebrada de Macul Domus Aurea. Vinhos parelhos, mais evoluídos, equilibrados, com taninos finos, cremosidade e certa complexidade. Nitidamente em fase de integração, porém fica a duvida sobre a longevidade de ambos. Segue as minhas notas:

Von Siebenthal Montelig 2003 – Vale do Aconcagua – 65% Cabernet Sauvignon, 25% Petit Verdot e 10% Carmenére – Nota: ST (88)

Concha y Toro Don Melchor 2003 – Vale de Maipo – 95% Cabenert Sauvignon e 5% Cabernet Franc – Nota: ST (90)

Viña San Pedro Cabo de Hornos 2003 – Vale de Maipo – 100% Cabernet Sauvignon – Nota: ST (90)

Casa Lapostolle Clos Apalta 2003 – Apalta, Colchagua e Rapel – 70% Carmenére-merlot e 30% Cabernet Sauvignon – Nota: ST (90)

Carmen Gold Reserve 2003 – Vale de Maipo – 100% Cabernet Sauvigon – Nota: ST (91+)

Viña Quebrada de Macul
Domus Aurea – Vale de Maipo – 86% Cabernet Sauvignon, 10% Merlot e 4% Cabernet Franc – Nota: ST (92)

A Cave Geisse, uma das mais respeitadas vinícolas do Brasil, acaba de ser indicada Wine Star Awards 2014 (destaque do ano no mundo) pela revista norte-americana Wine Enthusiast. No dia 31 de dezembro serão anunciados os vencedores e receberão os troféus em Nova York, em 26 de janeiro de 2015. Veja todos os indicados e mais detalhes > aqui. Recentemente estive visitando a vinícola. Relembre aqui.

O vinho da semana – bom e barato – é o Esporão Reserva Branco 2013, produzido pela Herdade do Esporão no Alentejo a partir das castas Antão Vaz, Arinto, Roupeiro e Semillon. Estagiou em cubas de inox e em barricas novas de carvalho francês e americano durante 6 meses. A colheita de 2013 caracterizou-se pela primavera chuvosa seguida de um verão seco com temperaturas diurnas elevadas compensadas por noites frescas, possibilitando a maturação ideal e consistentes das uvas.

Na taça apresentou um visual amarelo palha, nariz com notas de frutas, abacaxi, tangerina, pêssego e um leve toque mineral. O paladar é de médio corpo, no qual as notas frutadas predominam. A madeira entrou como coadjuvante, na dose certa, sem ofuscar a fruta. Saboroso, com ótima acidez, pede um gole após o outro. 14% de álcool | Nota: 90/100 | R$ 60,00 – Enólogos: David Baverstock e Sandra Alves.