search engine optimizationsubmit websiteemail extractor

Sempre falo que estar no lugar certo, na hora certa, faz toda diferença, rs. Por esses dias tive uma grande oportunidade de provar um dos melhores champagnes do mundo, Krug Clos du Mesnil brut Blanc de Blancs, cortesia do Marcão, proprietário da Cantina do Bacco. Um champagne diferente de todos que provei, com excepcional frescor, equilibrado, cremoso, cheio de vigor, com muita mineralidade e destacada nota de baunilha. Daqueles que enchem a boca sem perder a elegância.

O grand cru Le Mesnil-su-Oger é uma aldeia capaz de produzir vinho que podem ser únicos em todo seu esplendor mineral. Abrigado em seu coração está o vinhedo cercado Clos du Mesnil, um dos únicos nove clos oficialmente reconhecidos na Champagne, cuja orientação ao leste, suave declive e muros altos ajudam a garantir um grau extra de amadurecimento. Em apena 1,8 herctare, o vinhedo mais famoso de champagne tem o mesmo tamanho do vinhedo mais famoso do mundo – Romanée-Conti. Em ambos os casos, a combinação de excepcional qualidade e extrema raridade resulta em preços muito altos (R$ 7,500.00 na Cantina do Bacco); até pouco tempo atrás o Clos du Mensil foi o mais caro champagne posto no mercado, cerca de 1,000.00 dólares ou mais a garrafa.

O Clos existe desde 1968, mas a Krug adquiriu seu vinhedo somente em 1971, quando ela foi replantada. O primeiro Krug Clos du Mesnil foi em 1979, lançado em 1988 e classificado pelo especialista em champagne Tom Stevenson como um dos tres melhores champagnes dos útimos 30 anos.

Como todos os vinhos da Krug, ele é fermentado em pequenos barris de carvalho envelhecido de Argonne e não é submetido à fermentação malolática, fatores que contribuem para sua complexidade, identidade e longevidade. Fonte: Livro 1001 vinhos.

Na noite desta segunda-feira participei de uma degustação com vinhos alemães – biodinâmicos e orgânicos, promovido pela “Vinhos & Serviços” (www.vinhoseservicos.com.br), do competente sommelier Túlio Mendes, em parceria com importadora Weinkeller (única especializada em vinhos alemães do Brasil), no Rei do Vinho, anexo a Cantina do Bacco. Para apresentar os vinhos esteve em vitória à proprietária da importadora, Vivien Kelber, e Gabriel Zipman, da assessoria Casa de MKT.


Sommelier Túlio Mendes

Os convidados foram recebidos com um belo espumante brasileiro.

Aracuri Collector Blanc de Noir 2013 – Brasil – R$ 59 – www.vinhoseservicos.com.br

  • Espumante elaborado pelo método champenoise, 100% Pinot Noir da região de Campos de Cima da Serra (RS), 960 metros de altitude. Frutado, cremoso, equilibrado, acidez gastronômica e final de boa persistência. ST (90)


Vivien Kelber e Gabriel Zipman

No evento foram apresentados cinco rótulos, sendo um rosé, três brancos frescos e aromáticos, e um tinto surpreendente. Mas o que você precisa saber antes de comprar um vinho da Alemanha? Recentemente falei um pouco sobre esse tema aqui > http://www.vivendoavida.net/?p=33825.

Vinhos degustados:

Weingut Heinz Pfaffmann Portugieser rosé 2013 (Orgânico) – Pfalz – 11% – 1.000 ml – R$ 79,00 – www.vinhoseservicos.com.br

  • Um vinho rosé agradável, com aromas frutados de morangos, framboesas e tuti fruti. No paladar é vivo, fresco e frutado. A garrafa é de 1 litro. É preciso ficar atento com a temperatura. ST (86)

Weingut Heinz Pfaffmann Grauburgunder (Pinot Gris) seco – Pfalz – 13% – R$ 99,00 – www.vinhoseservicos.com.br

  • Leve, fresco, com notas de pêssego e melão. Foi o mais seco do painel. ST (88)

Kloster Heilsbruck Riesling Spätlese seco 2009 – Pfalz – 13,5% – 119,00 – www.vinhoseservicos.com.br

  • Um RIESLING colheita tardia com notas de frutas cítricas, de lima e flores, e ausência do característico querosene. Paladar leve e seco, com boa acidez e textura cremosa. ST (88)

Kloster Heilsbruck Barrique des Klosters 2008 (Cabernet Sauvignon e Cabernet Fanc) – Pfalz – 14,5% – R$ 139,00 – www.vinhoseservicos.com.br

  • Tinto surpreendente e raro – 300 garrafas disponíveis – elaborado com as uvas Cabernet Sauvignon e Franc, com caraterísticas modernas no nariz, onde predominam as notas de caramelo, café e tosta. No paladar mostra a elegância do velho mundo. Um veludo.ST (91)

Weingut Groh Huxelrebe Auslese 2012 (sobremesa) – Rheinhessen – 9% – R$ 119,00 – www.vinhoseservicos.com.br

  • Aromas de tangerina, damasco, mel e minerais, Paladar com bom equilíbrio entre acidez e doçura, cremoso, com final persistente. ST (90)

No próximo dia 12 de novembro, o Hotel Casacurta, localizado em Garibaldi (RS), recebe François Hautekeur, wine communicator, que conduzirá jantar harmonizado com o menu da chef Ieda Maria Saccheli. O cardápio de quatro tempos foi criado especialmente pela chef para a data e um dos maiores destaques da noite será o champagne Veuve Clicquot Vintage 2004, que juntamente com os champagnes Brut, Rosé e Demi-sec da maison francesa farão deste evento uma experiência única!

O jantar começa às 20h30 e custa R$ 240,00 por pessoa. Recomenda-se a reserva pelo email: reservas@hotecasacurta.com.br ou pelo telefone (54) 3462.2166

O Menu:

Tartar de atum – Harmonização: Veuve Clicquot Yellow Label

Brochette de camarão grelhado no Harumaki com molho tarê – Harmonização: Veuve Clicquot Rosé

Filé em crosta de castanha do Pará com purê de favas verde e aligot trufado – Harmonização: Veuve Clicquot Vintage 2004

Tuille de frutas assadas – Harmonização: Veuve Clicquot Demi Sec

Sobre o Hotel Casacurta

A gastronomia do Hotel Casacurta é sinônimo de tradição e contemporaneidade, mistura a sofisticação da culinária francesa com a tradição da cozinha italiana, sem deixar de lado o melhor estilo da serra gaúcha, harmonizando todos esses ingredientes em uma experiência gastronômica inesquecível. Os nossos pratos são elaborados com produtos frescos, para deixar seus sabores muito mais especiais.

Chef Ieda Maria Saccheli: Formada pelo Senac Águas de São Pedro, com Master Chef no ICIF Piemonte. Com passagens por restaurantes do norte ao sul da Itália, Miami, São Paulo, Curitiba e Natal.

Sobre Veuve Clicquot

Fundada em 1772, a Maison Veuve Clicquot Ponsardin adquiriu, ao longo de sua história, um espírito audacioso e cultivou uma busca incansável pela inovação, sem deixar de lado a fidelidade à tradição do seu champagne. Veuve Clicquot tem um estilo eterno, é um champagne para ser apreciado em todos os momentos, um vinho verdadeiramente célebre e inesquecível. O seu clássico Yellow Label continua, ainda hoje, um dos mais apreciados champagnes do mundo. Paixão e busca pela excelência são os grandes segredos do sucesso da marca que segue, até os dias atuais, o lema de Madame Clicquot: “apenas uma qualidade, a melhor”.

Com já aconteceu aqui no Espirito Santo e em vários outros estados brasileiros o Rio de Janeiro foi incluído no regime da Substituição Tributária do ICMS, Decreto nº 44.950/2014, nas operações com bebidas “quentes” (vinhos, cavas, champagnes, espumantes, filtrados doces, proseccos, sangria e sidras), que entra em vigor a partir de 1º de novembro próximo.

Resumo da ópera, o vinho vai aumentar em torno de 50% na cidade maravilhosa, e também dificultar a vida de muitas empresas no Brasil que usavam o estado para viajar nota fiscal. As empresas inclusas no Simples Federal serão as mais prejudicas, já que esse imposto não entra na alíquota única. Por outro lado a sonegação vai diminuir muito e o mercado vai ficar mais equilibrado, sem privilégios.

Não vai ser um final de ano feliz nem para os lojistas. Já que serão duplamente penalizados. Primeiro pela queda de vendas e segundo pelo pagamento do imposto sobre o estoque atual conforme o Art. 7º do decreto. Leia abaixo.

Decreto Nº 44950 DE 12/09/2014 – Rio de Janeiro

Publicado no DOE em 15 set 2014

Altera o Livro II do Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto nº 27.427/2000 (RICMS/2000) e dá outras providências.

O Governador do Estado do Rio de Janeiro, no uso de suas atribuições constitucionais e legais, tendo em vista o disposto nos Protocolos ICMS 209/2012, de 18 de dezembro de 2012; 150/2013, 151/2013, 152/2013 e 153/2013, de 6 de dezembro de 2013; 29/2014, 30/2014, 31/2014, 32/2014 e 35/2014, de 17 de julho de 2014; no inciso IV da cláusula décima quinta do Convênio ICMS 81/1993 , de 10 de setembro de 1993, e o que consta do Processo nº E-04/058/70/2014,

Decreta:

Art. 1º Ficam acrescentados os seguintes dispositivos no Anexo I do Livro II do Regulamento do ICMS (RICMS/2000) aprovado pelo Decreto nº 27.427/2000, de 17 de novembro de 2000:

8. BEBIDAS ALCOÓLICAS, EXCETO CERVEJA E CHOPE

Fundamento normativo: Protocolo ICMS 29/2014

Âmbito de aplicação: Operações internas, interestaduais originadas nas unidades federadas signatárias do Protocolo supracitado e aquisições de mercadorias procedentes das demais unidades federadas por contribuintes localizados no Estado do Rio de Janeiro.

A base de cálculo do imposto para fins de substituição tributária nas operações com bebidas alcoólicas, exceto cerveja e chope, é o preço a consumidor final usualmente praticado no mercado do Estado do Rio de Janeiro (PMPF) divulgado por meio de Resolução do Secretário de Estado de Fazenda, nos termos do § 10 do artigo 24 da Lei 2.657/1996 e dos Protocolos firmados no âmbito do CONFAZ, em que o Estado do Rio de Janeiro seja signatário.

Na hipótese de não haver PMPF ou preço sugerido aplicáveis, o sujeito passivo por substituição deverá adotar as seguintes margens de valor agregado:

Subitem

NCM/SH

Descrição

MVA Original

MVA Ajustada

Alíquota interestadual de 12%

Alíquota interestadual de 4%

38.1

2204.10

Vinhos espumantes e vinhos espumosos nacionais classificados na posição 2204.10 da NBM/SH

50,61%

79,10%

95,39%

38.2

 

Vinhos, filtrados doces, sangria e sidras nacionais não relacionados no subitem 38.1

72,25%

104,84%

123,46%

38.3

 

Vinhos, cavas, champagnes, espumantes, filtrados doces, proseccos, sangria e sidras importados

62,26%

92,96%

110,50%

38.4

 

Outras bebidas alcoólicas, exceto cerveja e chope, não relacionadas em outros subitens deste Anexo

61,05%

91,52%

108,93%

*32.1, *32.6 (relativamente às operações procedentes dos Estados signatários do Protocolo ICMS195/2009 , observem-se as descrições e NCMs contidas no anexo único do referido ato).

Art. 3º  Fica revogado o item 15 do Anexo I do Livro II do Regulamento do ICMS (RICMS/2000) aprovado pelo Decreto nº 27.427/2000 , de 17 de novembro de 2000.

Art. 4º  Passam a produzir efeitos, em relação às operações destinadas ao Estado do Rio de Janeiro, as disposições previstas nos seguintes Protocolos:

I – Protocolo ICMS 209/2012 , de 18 de dezembro de 2012;

II – Protocolos ICMS 150/2013, 151/2013, 152/2013 e 153/2013, de 6 de dezembro de 2013;

III – Protocolos ICMS 29/2014, 30/2014, 31/2014, 32/2014 e 35/2014, de 17 de julho de 2014.

Art. 5º  Não mais se aplicam ao Estado do Rio de Janeiro as disposições contidas no Protocolo ICMS32/1992 , de 30 de julho de 1992.

Art. 6º  Os contribuintes deverão observar a disciplina de que trata o artigo 36 do Livro II do RICMS/2000 relativamente às mercadorias ingressas no regime de substituição tributária por força deste Decreto.

Art. 7º  O parcelamento do imposto relativo ao estoque levantado conforme rege o artigo 6º deste Decreto poderá ser concedido em até 12 (doze) parcelas mensais, iguais e consecutivas, devendo a primeira quota ser paga até o dia 22 de dezembro de 2014 e as demais até os dias 20 dos meses subsequentes.

§ 1º A solicitação do parcelamento de que trata o caput deve ser dirigida à repartição fiscal de circunscrição do contribuinte até o dia 20 de novembro de 2014.

§ 2º A data de vencimento para o pagamento em quota única é a mesma da primeira quota do parcelamento a que alude o caput deste artigo.

Art. 8º  Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação, produzindo efeitos a partir de 01 de novembro de 2014.

Rio de Janeiro, 12 de setembro de 2014

LUIZ FERNANDO DE SOUZA

     

Pedrucci Millésime Magnum 2010 – Elaborado em Garibaldi, Serra Gaúcha (RS), sob o conceito de “vinhos de garagem ou autor”, o enólogo Gilberto Pedrucci supervisiona uma pequena produção de espumantes de muita qualidade. O Millésime, espumante top da vinícola é elaborado somente em safras especiais, através do método tradicional com uma maturação mínima de 36 meses em garrafa, com as variedades Chardonnay, Pinot Noir e Riesling Itálico. Elegante e complexo. Produção 1.000 garrafas. 750 ml R$ 76,20 | Magnum 1.500ml (cx de madeira) R$ 176,00. Onde encontrar: DZ Emporio – Telefone: 3062-7070

Provado dentro do projeto www.winebar.com.br que apresentou essa semana três novidades da vinícola Salton, o Paradoxo Gewürztraminer 2014, é elaborado com uvas da Campanha Gaúcha, fronteira com o Uruguai. Na taça é leve, fresco, com boa tipicidade da casta – notas frutadas e florais. Também não pesa o bolso. R$ 25. Onde encontrar:
www.salton.com.br

O ultimo gole da semana foi o Assobio 2011, um tinto de Portugal, Douro, elaborado pela Esporão na Quinta dos Murças. Esse vinho foi aclamado por aparecer em quarto lugar na lista Top 100 melhores compras do ano pela respeitada revista Wine Enthusiast. E o melhor de tudo, custa cerca de R$ 50 aqui em Vix. Rico, concentrado, gastronômico é uma boa opção custo x benefício. Onde encontrar: Adega Ok – Telefone: 99719.1529

Mais de 45 rótulos de cervejas artesanais serão oferecidos para degustação aos apaixonados pela bebida na próxima semana. É que acontecerá o primeiro Oktobeer Festival na adega do OK Hipermercado, localizado na Reta da Penha, em Vitória.

O festival será realizado nos dias 23 e 24 de outubro, das 19h30 até as 21h30 e ofertará as melhores cervejas artesanais da cervejaria nacional e internacional.

Para abrir o evento, a cervejaria Therezópolis terá um estande com mais de 20 rótulos, sendo cinco lançamentos exclusivos para o Oktobeer, com uma variedade de estilos, que mostra a nova visão da cervejaria, apostando na diversidade e na qualidade.

No segundo dia serão 25 rótulos, sendo três lançamentos da distribuidora de cervejas Aliança. A empresa é brasileira e especializada na distribuição e comercialização de cervejas artesanais nacionais e importadas, com endereço no Espírito Santo. Possui uma linha de produtos cuidadosamente escolhida para suprir as carências do mercado varejista com produtos de caráter exclusivo no Estado.

Neste dia haverá, ainda, a participação da cervejaria Colorado, com mais de 10 rótulos de cervejas artesanais.

Além das degustações, os apreciadores da famosa bebida poderão conversar com especialistas que darão dicas sobre harmonizações com alimentos e outros, além de apresentarem curiosidades sobre o produto. Dois sommeliers cervejeiros estarão à disposição, para mais informações.

Saiba mais sobre o Oktobeer Festival:

Nos dois dias do evento haverá mais de 45 rótulos da cervejaria nacional e internacional

Dia 23/10

Cervejaria Therezópolis terá um estande com mais de 20 rótulos de cervejas, sendo cinco lançamentos exclusivos para o Oktobeer. Presença da beersommeliere da Therezópolis, Márcia Lopes. Dentre os rótulos expostos estarão:

  • Jade, estilo Ipa, mais cheirosa que as cervejas comuns.
  • Or Blank Vit, estilo witbier, que possui elevada refrescância e aroma cítrico.
  • Weiss de trigo, que é mais natural.

Dia 24/10

Distribuidora Aliança terá um estande com mais de 15 rótulos de cervejas, sendo cinco lançamentos. Presença do beersommelier da Aliança, André Ferolla, e participação da cervejaria Colorado com mais de 10 rótulos. Dentre os rótulos expostos estarão:

  • Schosteiner
  • Bodebrow
  • Sumeria


Terminando o roteiro de viagem pelo Chile, já hospedado em Santiago, fui visitar a vinícola Almaviva. Para chegar lá é fácil. Fica dentro da região metropolitana, cerca de 20 minutos de carro do centro. O endereço é: Av. Santa Rosa, 821 – Paradero 45, Puente Alto. A visitação e prova da safra 2008 custa U$$ 80 dólares por pessoa, somente com agendamento de segunda a sexta nos horários: 09:30, 11:30, 14:00 e 16:00 horas. E-mail para contato: visitalmaviva@almaviva.cl |Site: www.almavivawinery.com | Telefone: (56-2)2270 4226.

A vinícola que foi criada através de uma “joint venture” entre o Château Mouton Rothschild na França e a gigante Chilena Concha y Toro, nasceu em 1997, sob o conceito de Chateau Francês.  Suas características arquitetônicas mesclam o moderno com à paisagem da Cordilheira dos Andes além das tradições dos antigos moradores da região, os índios mapuches. 


Tive o privilegio de ser recebido pessoalmente pelo enólogo Michel Friou, pessoa de fino trato, humilde e profissional de muita capacidade, que inclusive me buscou no hotel. Logo na chegada passeamos pelo vinhedo que ocupa um terroir exclusivo, e depois pela única adega, no qual Michel comanda uma equipe técnica que se dedica ao vinho Almaviva, ícone supremo dos vinhos tops do Chile, e ao seu segundo vinho, Epu, uma versão mais econômica, mas de muita qualidade.

O terroir do Vale do Maipo, na zona central do Chile, Puente Alto, é reconhecido como oferecer as melhores condições ideais para o cultivo da uva Cabernet Sauvignon. No qual foram reservados 85 hectares exclusivamente para Almaviva.

A imagem do rótulo é uma reverência aos ancestrais chilenos, com a reprodução de um desenho que simboliza a visão do universo pela civilização Mapuche. 

A produção do Almaviva gira em torno das 12.000 a 15.000 caixa de 9 litros, sendo vendida para todo mundo, exceto os Estados Unidos, através de distribuidores especiais, os conhecidos “Negociantes de Bordeaux” e através de cadeias de distribuição. Atualmente, a distribuição de Almaviva na América Latina corresponde a 17% de suas vendas anuais, onde o mercado mais importante é o Brasil. Ásia representa 50%, Europa 18% e América do Norte 15%. Custa entre 550 a 900 reais no Brasil.

O segundo vinho da vinícola, o Epu (significa “dois” em mapuche), é elaborado também com uvas Puente Alto e composto pelo mesmo corte do Almaviva, a diferença é que este percentual da composição pode variar um ano para outro. O vinho também é engarrafado na vinícola o mesmo que Almaviva. Agora está sendo liberada a vindima de 2012, mesma que o Almaviva. Custa cerca de R$ 190 no Brasil.

Índios mapuches

Vinhas velhas de Cabernet Sauvignon, casta predominante no corte do Almaviva.

Vinhas mais novas plantadas em solo pedregoso.

As uvas chegam à adega em pequenas caixas plásticas, onde é feita uma rigorosa seleção dos bagos.  Após a seleção é feito a prensagem e a fermentação.

Os tanques de fermentação onde o mostro permanece por um período, cerca de duas a três semanas, com remuage feita com bomba hidráulica.

Após esse processo o vinho é transferido para as barricas de carvalho francês, onde amadurece separadamente antes de ser preparado o blend.

Michel Friou e Silvestre Tavares

Sala de engarrafamento e rotulagem.

Sala de degustação

Ao termino da visita tive a oportunidade de provar uma vertical de safras do Almaviva: 1997, 2005, 2008 e 2011, junto com Michel Friou. Na taça os vinhos estavam incrivelmente distintos, evidenciando a variação climática entre as safras, seu tempo de estagio em barricas, em garrafa e o percentual de Cabernet Sauvignon no corte. Diferente de outras vinícolas a vinícola a Almaviva engarrafa todos os anos, mesmo em condições climáticas adversas.

Almaviva 1997 – 72% Cabernet Sauvignon, 23% Carmenére e 5% Cabernet Franc – 16 meses em barrica – 13,5% – ST (93)

  • Visual já mostrando evolução com tom atijolado. Nariz intenso de frutas negras e vermelhas, além de tabaco, café e agradáveis toques de mentol e cânfora. Na boca, um vinho encorpado com taninos macios, boa acidez e persistência longa. Apesar de se mostrar inteiro, elegante e complexo, não acredito que vá evoluir mais. Um vinhaço para ser provado agora.

Almaviva 2005 – 74% Cabernet Sauvignon, 21% Carmenére e 5% Cabernet Franc – 18 meses em barrica – 14,5% – ST (91)

  • Visual rubi violáceo, aroma franco e fresco, mostrando notas de frutas negras e vermelhas, além de especiarias e notas minerais. Paladar com taninos macios confirmando as notas do nariz.

Almaviva 2008 – 66% Cabernet Sauvignon, 26% Carmenére e 8 Cabernet Franc 18 meses em barrica – 14,5% – ST (92)

  • Rubi violáceo denso, aroma com notas de frutas vermelhas, especiarias e mineral. Paladar de bom corpo, com finos e doces. Um belo Almaviva, profundo, complexo e muito bem proporcionado.

Almaviva 2011 – 67% Cabernet Sauvignon, 25% Carmenére, 5% Cabernet Franc, 2% Merlot e 1% Petit Verdot – 18 meses em barrica – ST (91+)

  • Visual impenetrável, aroma intenso, com muita concentração de fruta e de madeira se integrando. Paladar aveludado, com taninos finos. Paladar concentrado equilibrado, marca registrada da marca Almaviva.

Pesquisa revela comportamento do consumidor de foodservice e apresenta curiosidades sobre usuários da plataforma de pedidos, seja na web ou no app

Depois de mais de um ano e meio no Brasil, o hellofood, empresa líder de pedidos de comida online presente em mais de 45 países, elaborou um infográfico que revela as curiosidades dos clientes na plataforma. Dentre as informações levantadas, a pizza lidera o ranking no Brasil com 9,5% de todos os pedidos, com 46% distribuídos entre as opções de queijo, bacon, palmito e atum. Com 10% fica a pizza de calabresa, na sequência está a de mussarela (8,5%), seguida da pizza de marguerita (8%), portuguesa (7,5%), frango (7%), catupiry (6,5%) e, por fim, a de peperoni (6,5%). 

Atualmente 17 estados já podem pedir por meio da plataforma do hellofood, em mais de 35 opções de cozinhas que vão das tradicionais até as mais diversas como vegetariana, mexicana, japonesa e árabe, além de pratos como kebab ou sobremesas como sorvete. Sobre o formato dos pedidos, hoje eles se dividem em 60% feitos no desktop e 40% realizados pelo app.

Depois da pizza, as duas opções mais pedidas são o hambúrguer e o yakissoba. Na disputa, o prato oriental, que representa 5% dos pedidos da plataforma, vence o lanche com pequena vantagem, que registra 4% dos pedidos no hellofood.

Já para beber, as latinhas registram 38% dos pedidos, a garrafa de 600 ml vem em segundo com 35%, seguida pela de 1 L (11,5%), 1,5 L (6,4%) e a de 2 L finalizando com 1% dos pedidos.

Os dados que levantamos a respeito do comportamento dos usuários e suas preferências são muito valiosos para nossos restaurantes parceiros, além de serem estratégicos para ficarmos mais próximos do nossos clientes”, afirma CEO do hellofood Brasil, Marcelo Ferreira.

Sobre o grupo hellofood

O hellofood, juntamente com sua marca afiliada foodpanda, é um dos principais grupos de delivery on-line do mundo. Presente em mais de 45 países, ele ajuda os restaurantes aumentarem as vendas por meio de plataformas on-line e móveis, proporcionando-lhes constante evolução tecnológica e analítica.

Para os consumidores, o grupo hellofood/foodpanda oferece diversas opções gastronômicas que podem ser acessados via computador ou aplicativos móveis. 

O aplicativo é disponível para iOS, Android e Windows Phone e pode ser baixado gratuitamente.  

Gazeta – 10-10-2014 – 66 (2).pdf by Silvestre Tavares Gonçalves

Gosta de viajar, visitar vinícolas e provar bons vinhos? Conheça seis vinícolas no Chile que oferecem ótima estrutura para receber turistas.

Matéria publicada originalmente na coluna Vivendo a Vida | C2 + Prazer & Cia | Jornal A Gazeta


Pessoalmente venho gostando cada dia mais dos vinhos brancos, principalmente dos frescos e aromáticos. São mais versáteis, combinam perfeitamente com o nosso clima e com uma maior variedade de pratos, inclusive com a culinária capixaba, baseada nos peixes e frutos do mar. Para quem só prova os vinhos tintos, não abandone seu maior prazer, mas procure conhecer na taça os brancos. Existem vários estilos, alguns surpreendentes. Você vai encontrar o seu.

Ontem reuni um grupo de amigos no Osteria Spiaggia do Chef Sergio Quaresma (Aleixo Neto, 1583, Praia do Canto – Vitória, ES – sergio@osteriaspiaggia.com – 27 3019-7370) para provar os vinhos brancos biodinâmicos da vinícola Kuentz-Bas, região Alsácia, França – importados pela Alafia Brasil Importadora de Vinhos. Email: kiko@alafiabrasil.com.br Telefone: (21) 99909-3007

A Alsácia é uma região considerada excelente na produção de brancos, todos com muita personalidade. As castas principais são a Riesling, a Gewürztraminer, a Pinot Gris e a Pinot Blanc.

A vinícola Kuentz-Bas está localizada em Husseren les Châteaux, a vila com a maior altitude na rota do vinho da Alsácia, e localizada no sopé do «Trois Châteaux» (três castelos) de Eguisheim, a cerca de 8 km do sul de Colmar. Os vinhedos têm entre 25 e 45 anos e ocupam 10 hectares da propriedade. O solo é composto predominantemente de argila-calcária. A vinícola adota técnicas de viticultura biodinâmica, respeitando as características do terroir e da natureza, com o objetivo de melhorar a qualidade de seus vinhos. Esta decisão foi tomada para resgatar a verdadeira identidade dos terroirs Grands Crus Eichberg e Pfersigberg.


Mexilhão


Badejo grelhado com capeline de ervas

Avaliação pessoal:

Kuentz-Bas Sylvaner Trois Châteaux 2011 (13%) – R$ 70

  • Visual amarelo claro com nuances esverdeadas, aroma intenso de pera, limão e maça, além de toques de ervas e mel. Paladar bastante fresco, refrescante, com final longo e cítrico. ST (88)

Kuentz-Bas Riesling Tradition 2012 (12%) – R$ 68

  • A uva mais elegante da região da Alsacia mostrou um visual amarelo brilhante, aroma muito intenso, com muita fruta cítrica, e as tradicionais notas minerais. Paladar confirma o nariz, equilibrado, com uma boa textura e longo. ST (89)

Kuentz-Bas Pinot Gris Tradition 2009 (13%) – R$ 88

  • Visual amarelo dourado, aroma complexo, com notas de frutas cristalizadas, damasco e mel. Paladar equilibrado, condimentado e longo. ST (90)

Kuentz-Bas Gewurztraminer Tradition 2010 (13,5%) – R$ 88

  • Visual dourado claro, aromas complexo com notas de abacaxi, mel, gengibre, flores e pimenta branca..etc. Paladar de boa textura, sabores intensos e boa acidez. Longo e agradável. ST (89)

Kuentz-Bas Pinot Blanc Tradition 2011 (13%) – R$ 59

  • Visual amarelo pálido, aroma de média intensidade, mas apresenta toques suaves de pêssego, pera e flores. Paladar fresco e intenso com notas minerais e de frutas. O mais seco do painel. ST (91)

Kuentz-Bas Auxerrois Trois Châteaux 2010 (12,5%) – R$ 81

  • Visual palha, aromas intensos de flores, frutas, mel, além de toques de especiarias. Paladar é gordo, com certa estrutura aliado a uma acidez viva, que aportou frescor e intensidade. ST (90)